Últimas Notícias:

Rodrigo Caetano ao lado de Geuvânio e Éverton Ribeiro, reforços do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: Os dois jogadores mais caros do elenco decidiram a partida contra a Chapecoense. Guerrero, com três gols e passe para outro, e Diego, dois e uma assistência, são símbolo do Flamengo que tenta voltar ao topo do futebol brasileiro - apesar dos tropeços, como a nova eliminação precoce na primeira fase da Libertadores - com regra simples: quanto mais dinheiro e mais investimento no futebol, mais forte fica o elenco rubro-negro, com tantas opções para usar de 11 a 14 jogadores por partida.

A compra de Éverton Ribeiro, uma das transações mais caras da história do clube da Gávea, é o símbolo de um levantamento inédito obtido pelo GloboEsporte.com. De R$ 9 milhões em 2013, no primeiro ano da gestão Bandeira, até R$ 58 milhões em 2017 há um salto impressionante de 544% em cinco anos na aquisição de direitos econômicos de jogadores de futebol - mais de seis vezes o empenhado em contratações no primeiro ano de gestão. Ao todo, em cinco anos, são 61 atletas contratados - nem todos em compras de direitos econômicos, conforme lista que você confere no fim da reportagem com todos nomes contratados pelo Flamengo na gestão Bandeira.

Abaixo, observe o gráfico com informações de maneira resumida do aumento de aporte do clube na contratação de jogadores. Hoje, o Flamengo administra uma folha salarial de R$ 9 milhões. Outro salto dos últimos tempos no clube. O avanço é gradual. No fim do ano passado o futebol tinha vencimentos na casa de R$ 7,5 milhões.

A mudança de patamar do Flamengo se deu, principalmente, a partir de 2015, embora naquele ano o investimento na compra de direitos econômicos tenha sido o menor da série histórica – de R$ 8,5 milhões. Naquela temporada, o clube contou com a Doyen para comprar Marcelo Cirino (sem gastar um tostão) e investiu em compras de menor expressão, como foi o caso de Jonas, que veio do Sampaio Correa (MA). Os mais altos investimentos foram nas chegadas de Guerrero, que não envolveu compra de direitos econômicos, mas luvas milionárias ao camisa 9 do Flamengo. Outros casos do tipo foram de Ederson, Sheik e Alan Patrick. Este último, por empréstimo.



As perguntas da reportagem foram enviadas ao Flamengo logo depois da confirmação da contratação de Éverton Ribeiro – no dia 6 de junho. O departamento de finanças, através do vice-presidente Claudio Pracownik, enviou as respostas em 19 de junho, com detalhamento de alguns investimentos. Confira abaixo.

GloboEsporte.com: A contratação de Everton Ribeiro é a mais cara da história do clube?

Claudio Pracownik: Se não foi a maior, certamente foi uma das maiores. Teríamos que fazer uma pesquisa histórica com conversão de câmbio à época para poder afirmar isso.

Qual evolução do investimento - falando em contratações de ativos (direitos econômicos de jogadores) - que o clube vem tendo desde 2013, primeiro ano da gestão Bandeira?

Em valores aproximados e históricos, seguem os valores investidos em direitos econômicos de jogadores:

- 2013: R$9 milhões
- 2014: R$15 milhões
- 2015: R$ 8,5 milhões
- 2016: R$ 25 milhões
- 2017: R$ 58 milhões

Havia previsão no orçamento de 2017 do clube de atingir folha salarial de cerca de R$ 8,5 milhões a R$ 9 milhões. Hoje, com as novas contratações chegando, está nesse patamar?

Sim, estamos dentro desse patamar, que pode vir a ser revisto conforme novo orçamento a ser apresentado ao Conselho de Administração.

Há necessidade - ou seria recomendável, ao menos - do Flamengo negociar ou emprestar jogadores neste momento para encaixar as novas contratações?

Estamos definindo a revisão orçamentária a ser apresentada ao Conselho de Administração do Clube. Uma revisão de Usos e Fontes de recursos está, portanto, em andamento e será submetida para tal aprovação. A venda ou empréstimo de jogadores será avaliada dentro deste contexto.

Quanto o Flamengo ainda tem para pagar dos últimos reforços, incluindo a operação por Éverton Ribeiro e Rhodolfo?

Incluindo o Marcelo Cirino e sem contar com o Éverton Ribeiro e Rhodolfo, temos a pagar R$32 milhões em reforços ainda.

(Nota da redação: incluindo Cirino, caso este não seja negociado ao fim do contrato com o Fla (em dezembro deste ano) ou não haja entendimento com a Doyen, o Flamengo paga 3,5 milhões de euros (R$ 13 milhões pela cotação desta sexta-feira) pelo percentual dos direitos do atacante, além de juros de 10% ao ano, ao parceiro. O que significa mais de R$ 15 milhões. Somando Éverton e Rhodolfo, o Fla ainda tem mais R$ 27 milhões nesta conta. Ao todo, mais R$ 40 milhões.)

O presidente Bandeira disse que a venda do Vinicius obrigava o Fla a rever o orçamento 2017. O Flamengo já tem definido onde vai investir a grana da venda? Servirá para pagamento de empréstimos, como, por exemplo da obra da Ilha, para compra do Everton Ribeiro?

Estamos definindo a revisão orçamentária a ser apresentada ao Conselho de Administração do Clube. Uma revisão de Usos e Fontes de recursos está, portanto, em andamento e será submetida para esta necessária aprovação. Dentro da proposta que estamos elaborando, uma parte importante dos valores arrecadados com a venda do Vinicius Júnior será destinada ao Departamento de Futebol, seja na compra de novos jogadores (para o time principal e para a base), seja para investimento em equipamentos, infraestrutura e sistemas julgados importantes para o citado Departamento.

As vendas do Jorge e do Vinicius devem ter aumentado e muito a previsão de receitas do ano. Com as receitas extraordinárias qual a previsão total de receitas?

São superiores a R$ 600 milhões.

Todas as contratações do Flamengo na era Eduardo Bandeira de Mello - Foto: Reprodução

Wallpaper de Diego vibrando com gol pelo Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GOAL: O momento mais conturbado do Flamengo desde que o meia Diego chegou ao clube coincidiu exatamente com a ausência do meia. Quando o camisa 35 se lesionou e desfalcou o time na Libertadores o Flamengo patinou e foi eliminado da principal competição que disputaria em 2017.

Ainda sem o craque, o Rubro-Negro começou mal o Campeonato Brasileiro e  mergulhou numa crise que parecia não ter fim. Recuperado de lesão, Diego voltou, longe do ritmo que estava quando se machucou, mas na noite desta quinta-feira (22), na melhor partida desde que voltou, ele mostrou que realmente é o ponto de equilíbrio do Flamengo.

Mais do que a vitória maiúscula sobre a Chapecoense, Zé Ricardo tem que comemorar o retorno, de fato, do seu principal jogador. Com autoridade comandou a equipe, abriu o placar num momento crítico, pediu a bola, orientou os companheiros e foi o diferencial da partida mesmo com Paolo Guerrero balançando a rede três vezes.

Todas as bolas passaram pelos pés de Diego, não à toa o Flamengo sofreu e muito na sua ausência, não tinha uma referência, o time não tinha um dono, o cara que estava ali pronto para resolver os problemas, esse é o Diego. E a torcida o reencontrou em plena forma diante da Chapecoense.

Ânimo renovado com a vitória e com a chegada de Everton Ribeiro, que tem tudo para fazer ótima dobradinha com o camisa 35 no meio-campo, dividir as responsabilidades e ser tão decisivo quanto. Caso essa dupla dê certo, o Flamengo tem grandes chances de sonhar com algo grande neste Brasileirão.

Para embalar de vez, o Rubro-Negro encara o Bahia, fora de casa, no próximo domingo (25), o duelo é válido pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.



SITE OFICIAL DO FLAMENGO: Ficar zapeando à procura de um bom programa na TV ou assinar logo o Premiére para assistir os jogos do Flamengo? Brincando com essa situação, a agência de publicidade NBS levou os jogadores do clube para dentro de programas dos canais de TV a cabo no novo comercial do Flamengo, lançado hoje em parceria com o canal Première. É a primeira vez que o Flamengo produz seu próprio anúncio para estimular a venda de pacotes, já que normalmente é o canal quem faz esses comerciais para cada clube do país. O objetivo é aumentar ainda mais -- o Flamengo já lidera o ranking -- o número de torcedores do rubro-negro entre os assinantes.

 – O Premiére é muito importante para o Flamengo. Hoje boa parte da receita dos direitos de televisão do clube vem do pay per view. Mas não é importante só pela receita, mas também por permitir, junto aos canais abertos, FlaTV e redes sociais, que o torcedor tenha uma experiência completa do que é Flamengo. Buscamos inovar na mensagem, criando um anúncio divertido, lúdico, tanto para quem participou, quanto para quem vai assistir. Espero que os torcedores curtam tanto quanto nós e os jogadores curtimos fazer – explica Daniel Orlean, VP de Marketing do Flamengo.                       

O filme começa com o meia Diego jogando uma monótona partida de golfe; uma jogada perfeita e aplausos da "animada" torcida. Na cena seguinte, Éderson aparece como um chef de cozinha, pronto para preparar um delicioso prato de peixe; em Italiano fluente, já que o meia durante muitos anos foi jogador da Lazio. Pará e Éverton aparecem como dois cientistas, daqueles que fazem as mais engraçadas experiências da TV. Rodinei é o professor de ginástica, daqueles que aparecem animados bem cedo. Para fechar, Réver vende um produto que faz o cabelo do jovem Vinicius Junior crescer.

– Vale destacar o envolvimento super legal dos jogadores com esse comercial. Fizemos uma reunião com eles antes, apresentamos o roteiro e eles curtiram muito. Mostramos que esse tipo de ação envolvendo jogadores em situações incomuns acontece muito na Europa e nos Estados Unidos, embora ainda não seja comum no Brasil. O Flamengo está mais uma vez saindo na frente – explica André Lima, Vice Presidente de Criação da NBS.

Todas as cenas foram gravadas no Ninho do Urubu, o Centro de Treinamento do clube. Em apenas um dia, sem atrapalhar o treinamento ou qualquer coisa do dia-a-dia que envolve o Departamento de Futebol, a produtora Cosmo montou os cenários, filmou com os atletas e desarmou todo o set de filmagem.

Rodinei entrando em campo pelo Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
LANCE: Depois de golear a Chapecoense na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo já virou todas suas atenções para o duelo contra o Bahia, marcado para o próximo domingo, às 18h30, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Rodinei exaltou confiança após os 5 a 1 sobre os catarinenses e espera que time repita boa atuação longe do Rio de Janeiro.

- Estou muito feliz com a vitória. O nosso aproveitamento dentro do Rio é muito bom. São 20 jogos, 11 vitórias e nove empates, mas sabemos que estamos devendo fora de casa. Por se tratar de Flamengo temos que entrar com a responsabilidade que é vestir o manto e buscar a vitória fora de casa. Contra o Bahia vamos fazer de tudo para voltar para o Rio com os três pontos.

Treino desta sexta-feira foi apenas para os reservas, mas com grandes nomes em campo, como Conca, Éverton Ribeiro, Geuvânio, Damião e Rhodolfo. Rodinei falou sobre a qualidade do grupo e disse ser o melhor de toda carreira profissional.

- Em 2012 eu era meio figurante no Corinthians, tinham grandes jogadores. Mas o elenco que estamos formando aqui no Flamengo nunca trabalhei em um igual. Tu vê os caras que não jogaram e tem Conca, Damião, Pará... o Flamengo só ganha com isso, para conquistarmos grandes coisas esse ano ainda.

Partida contra o Bahia deve marcar a estreia de Éverton Ribeiro com a camisa do Flamengo. Rodinei citou conversa com o meia antes do jogo contra a Chape e afirmou que camisa 7 estava muito ansioso para entrar em campo já na Ilha do Urubu.

- Éverton Ribeiro é um colega de trabalho, muito amigo. Já fiquei na resenha com ele, estava ansioso para estrear, mas não deu certo. Vai nos ajudar muito, mas mesmo assim jogou o Berrío e fez excelente partida. Quando jogar vai ajudar muito trazendo pelo meio, vai dar muita qualidade

Torcida Jovem do Flamengo em protesto no CT - Foto: Márcio Alves / Agência O Globo
EXTRA GLOBO: Policiais da Polinter prenderam, nesta sexta-feira, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Eduardo Gomes Rodrigues, de 42 anos. Ex-integrante da Torcida Jovem do Flamengo, ele é acusado de tentar matar a tiros dois torcedores da Força Jovem do Vasco. O crime aconteceu em 1999, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio.

No dia 25 de maio de 1999, um ônibus estacionou em frente ao estádio de São Januário, trazendo torcedores do Vasco da Gama. Segundo a polícia, Eduardo e outro integrante da Jovem Fla desceram do veículo e dispararam pelo menos dez tiros. Os disparos acertaram duas pessoas.

As duas foram socorridas em um hospital e conseguiram sobreviver. Mas, uma delas, sofreu uma lesão permanente no joelho causada pelos disparos. O torcedor que acompanhou Eduardo na tentativa de homicídio já foi julgado e condenado a dez anos de prisão. Ele cumpriu a pena e já está em liberdade.

Eduardo não foi julgado porque estava foragido. Segundo o delegado Mauro Cesar da Silva Junior, da Polinter, Eduardo foi preso por três policiais civis. Ele estava com a prisão preventiva decretada pela Justiça do Rio e não ofereceu resistência.

Zagueiro Juan durante Flamengo x Chapecoense - Foto: Gilvan de Souza
FOX SPORTS: Depois de ver Réver e Rafael Vaz acertarem a zaga rubro-negra em 2016 enquanto estava machucado, Juan precisou esperar uma brecha para voltar a ser titular no Flamengo. E ela chegou apenas em 2017. Mas, quando caiu no colo do experiente defensor, ele não largou mais. Titular em cinco dos seis últimos jogos, foi poupado apenas contra a Ponte Preta. Contra a Chapecoense, Guerrero e Diego foram os protagonistas da goleada por 5 a 1, mas a atuação do camisa 4 rendeu aplausos da torcida. E também de jogadores do ramo.

Em entrevista exclusiva ao FOXSports.com.br, o zagueiro Fabrício, revelado na base do Flamengo e com passagens por Palmeiras, Vasco e Fluminense, entre outros, rasgou elogios a Juan. Para o defensor, que está no Ashdod, de Israel, mas continua acompanhando o clube que o criou, o veterano segue em grande forma, mesmo aos 38 anos de idade:

"Ele é meu ídolo. Vai ser o melhor sempre. Eu o acho muito inteligente para zagueiro, tem qualidade, cabeceia bem. Sou suspeito para falar. Apesar da idade, o vejo como titular no Flamengo. Com certeza. E foi muito bacana ver o Juan no final do jogo como capitão", afirma Fabrício, que lembra dos momentos que teve ao lado do jogador:

"Fui criado no Flamengo. Desde pequeno, o Juan já tava no profissional. Depois, pude jogar contra ele. Conversei. Isso é muito importante para mim. Sempre fui fã, admirei bastante. É uma marca ter jogado contra", finalizou.

Apesar da boa fase, Juan não vai atuar contra o Bahia. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, deve ser substituído por Rhodolfo, novo reforço rubro-negro e que fez sua estreia diante da Chapecoense. O camisa 44 entrou no lugar de Réver, machucado.

Foto: André Fabiano/Código19/Estadão
GLOBO ESPORTE: Em 2011, numa tarde de novembro, com clima de reta final do Brasileirão, o Flamengo recebeu o Cruzeiro no estádio Nilton Santos. Foi lá, seis anos atrás, que o clube da Gávea conquistava a sua última goleada marcando cinco gols no nacional: 5 a 1. Última até ontem, quando venceu a Chapecoense na nova Ilha do Urubu pelo mesmo placar.

Seis edições do Campeonato Brasileiro depois, o time de Zé Ricardo meteu os cinco gols com um quê de déjà vu. Em campo rolou repeteco de hat-trick e figurinhas repetidas. Lembra?

Hat-trick

Naquela vez, quem marcou três gols rubro-negros foi Thiago Neves, hoje no Cruzeiro. Deivid marcou os outros dois.

Guerrero e Diego is the new Thiago Neves e Deivid

Nesta quinta, contra a Chapecoense, Guerrero fez o hat-trick e Diego foi quem completou com os outros dois gols.

Raio caiu duas vezes...

À época do penúltimo 5 a 1, Wellington Paulista vestia a camisa do Cruzeiro. Nesta quinta, reviveu a goleada com as cores da Chape. Não só Wellington sentiu o gosto de novo. O técnico Wagner Mancini, naquele 6 de novembro de 2011, voltou para Minas Gerais com a derrota na conta. Nesta sexta-feira, carregou a mesma conta na mala no caminho de volta a Chapecó.

Éverton Ribeiro em treino do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: Na nublada sexta-feira posterior à goleada por 5 a 1 sobre a Chapecoense, o Flamengo teve uma sexta-feira de treino técnico para os três reforços contratados recentemente: Éverton Ribeiro, Geuvânio e Rhodolfo. Os titulares não foram a campo. Vinicius, Rhodolfo e Rômulo, que entraram no segundo tempo do duelo com a Chape, trabalharam no gramado.

O treino teve ênfase na defesa alta, com marcação adiantada. Assim, as finalizações eram constantes. Quando os atacantes conseguiam chegar à ultima linha do campo, tinham o direito de tentar o gol sem serem incomodados pelos zagueiros rivais. Nessas condições, Éverton Ribeiro e Geuvânio arrebentaram nas finalizações, com destaque maior para o primeiro.

Jogaram em times diferentes inicialmente, mas depois atuaram juntos na equipe de colete. Éverton foi ponta-direita durante todo o treino. Geuvânio, quando era rival de Ribeiro, atuou pela mesma faixa. Depois, quando jogou ao lado do companheiro, seguiu na direita e o ex-jogador do Santos foi para a esquerda.

Réver fez tratamento nesta sexta-feira e nem foi à academia. Há a expectativa de que trabalhe no campo neste sábado. Rhodolfo, que fez sua estreia pelo Rubro-negro ao entrar na vaga do capitão da equipe no segundo tempo, participou de toda a atividade.

Foto: Divulgação
GLOBO ESPORTE: O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, foi denunciado pela Procuradoria do STJD por ofensa a torcedores rubro-negros no empate em 1 a 1 com o Avaí no dia 11 de junho. Bandeira será julgado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que trata da conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva. O dirigente será avaliado pela 3ª Comissão, e Dr. Márcio Torrer será o auditor relator do processo. Caso seja condenado, o presidente ficar suspenso de 15 a 180 dias.

No confronto, Bandeira fez uma banana para o torcedor rubro-negro antes de a bola rolar. Após o gesto, o presidente disse que foi um caso isolado e que também fica de cabeça quente nos jogos.

- Foi parecido com o caso do jogo com a Ponte no ano passado. Tinha um cara me hostilizando e quando o Flamengo desempatou o jogo, eu fiz o gesto feio para ele porque estava desabafando. Não sou um lorde. Se quiserem procurar um presidente no Itamaraty, poderiam encontrar alguém melhor do que eu, mas a pessoa estava segurando uma faixa ofensiva a um diretor do Flamengo. Estava escrito "Rodrigo Caetano 171", e aí eu fiz o gesto com o polegar para baixo (veja em foto abaixo), aí ele largou a faixa, veio para o alambrado e começou a me xingar, começou a falar um monte, aí eu dei a banana para ele. Não sou um lorde, talvez não devia ter feito, mas é difícil, não tenho sangue de barata.

Anteriormente, Bandeira havia sido denunciado para o Conselho Deliberativo do Flamengo. Um grupo de 86 associados, chamado "Fla Mais" apresentou a representação contra o presidente. Os associados querem a criação de uma comissão inquérito para analisar o caso e, em última via, punir Bandeira.

Veja o que diz o artigo 258 do CBJD

Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009). PENA: suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código. (NR).

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget