Juca critica Flamengo e Corinthians por "pobreza de futebol".

O Flamengo, acredite, recuou para segurar o resultado contra o América que voltava ao seu lugar, a Série B, ao lado do Santa Cruz, uma pena.

Alison durante América-MG x Flamengo - Foto: Pedro Vilela/Getty Images
JUCA KFOURI: A novidade deste final de temporada no futebol brasileiro está em que não é mais preciso comparar os jogos do Brasileirão com os do futebol europeu para ficar irritado — ou deprimido.

Basta compará-los aos jogos da…Seleção Brasileira.

São realidades quase opostas e quem viu os primeiros tempos de América e Flamengo e Figueirense e Corinthians entenderá perfeitamente a afirmação.

No Mineirão, dignos de nota apenas dois lances: uma bola na trave do Flamengo logo no começo do jogo e o gol rubro-negro, de Éverton, em bola desviada na zaga mineira, aos 33.

Em Floripa, também apenas dois lances: um pênalti sobre o corintiano Lucca não assinalado pelo soprador de apito e um belo gol de Camacho, aos 43 minutos.

De resto, uma briga constante entre os jogadores e as bolas que rolavam em Minas e em Santa Catarina.

Nos intervalos, o Flamengo voltava à vice-liderança (mas o Santos recebe o Vitória amanhã) e o Corinthians se fixava na sexta colocação, ao desalojar o Atlético Paranaense, a apenas dois pontos do Botafogo, surpreendido e vencido em casa pela boa equipe da Chapecoense, por 2 a 0, apesar de ter mandado duas bolas na trave catarinense, diante de 10.170 torcedores na Ilha do Governador.

Faltavam 45+45 minutos de suplício.

Quando chegamos aos 25+25, lagartixas caíam dos tetos dos dois estádios.

O Corinthians acertara uma bola na trave logo no recomeço do jogo e nada mais.

O Figueirense alternava faltas com impedimentos. Um horror.

O Flamengo, acredite, recuou para segurar o resultado contra o América que voltava ao seu lugar, a Série B, ao lado do Santa Cruz, uma pena.

Quatro times e um deserto de talentos e ideias.

Tanto o Flamengo quanto o Corinthians mereciam levar os empates, mas nem América nem Figueirense mereciam obtê-los.

Aos 32, o dispersivo corintiano Giovanni Augusto perdeu gol fácil para matar o jogo e, aos 35, o goleiro Paulo Vitor salvou o Flamengo de perder dois pontos.

O Figueirense até empatou, mas, mais uma vez, em impedimento.

E empatou de novo, aos 47, com Rafael Moura, de cabeça, numa bola que veio do meio de campo, também em impedimento, mas desta vez valeu.

Giovanni Augusto foi expulso e se juntou a Rodriguinho e Lucca, suspensos do jogo contra o Inter.

O Corinthians se afasta da Libertadores.

E o Flamengo, enfim, fez alguma coisa: mandou na trave americana e dorme a quatro pontos do Palmeiras.

Quando os jogos acabaram a sensação era uma só: de alívio!

Que pobreza…

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget