Mancuello, o melhor argentino do Brasileirão?

O meia do Flamengo tem 12 vitórias em 19 partidas disputadas. No entanto, foi titular em apenas nove ocasiões.

Mancuello, meia do Flamengo - Foto: Buda Mendes/Getty Images
GOAL: Dentre os 48 estrangeiros que disputaram o Brasileirão em 2015, a grande maioria deles (20, ou seja 41,6%) era composta de argentinos. E a moral dos ‘hermanos’ só aumenta em nosso futebol, afinal de contas a Séria A de 2016 tem um a mais – sem contar com os que nasceram lá e se naturalizaram por outros países.

Nenhuma equipe lançou mão de tantos no time titular quanto o Cruzeiro, que viu em Ramón Ábila a solução para os gols que não aconteciam antes de sua chegada. Ainda em Belo Horizonte, local onde nesta quinta-feira (10) as seleções de Brasil e Argentina se enfrentam, Lucas Pratto segue encantando torcedores do Atlético-MG com gols decisivos na Copa do Brasil... e alguns no Brasileirão, principalmente quando Fred não está em campo.

Talvez o que mais tenha impressionado, pela falta absoluta de expectativa depositada em sua chegada, tenha sido o zagueiro Joel Carli, do Botafogo. O gigante de 1,93 assumiu a faixa de capitão após a lesão do ídolo Jefferson. Quando esteve em campo, livre das lesões que lhe atrapalharam no primeiro semestre, o Glorioso teve aproveitamento melhor do que o líder Palmeiras (69% contra 68%)!

Mancuello: quem mais venceu e deu assistências

O argentino que mais vezes somou, em um só jogo, os três pontos foi Mancuello, do Flamengo. O meia, ex-Independiente, tem 12 vitórias em 19 partidas disputadas. No entanto, foi titular em apenas nove ocasiões. Mesmo assim, conseguiu marcar três gols e dar duas assistências: ao lado de Martinuccio, da Chapecoense, é o maior ‘garçom’ argentino do BR-16.

Ariel Cabral e Lucas Romero: os que mais jogaram e sofreram

Os meio-campistas Ariel Cabral e Lucas Romero foram os que mais entraram em campo: ao todo, 21 jogos disputados, e ninguém participou em tantos minutos quanto Romero (1609 minutos). Mas graças ao péssimo início do Cruzeiro no primeiro semestre do certame, a dupla é a que mais soma derrotas (9 para Ariel Cabral, 8 para Romero).

Ábila: o grande artilheiro

A sorte do Cruzeiro no Brasileirão começou a mudar muito por causa dos gols de Ramón Ábila. O ex-jogador do Huracán é quem mais balançou as redes dentre os argentinos no Brasileirão. Em 18 partidas disputadas foram 7 gols, um a mais em relação a Chávez, do São Paulo.

Pratto: o ídolo que decide

Lucas Pratto virou ídolo do torcedor do Atlético-MG desde que chegou ao clube, na temporada passada. Com a chegada de Fred, o ‘Urso’ perdeu a titularidade no Brasileirão – mesmo assim, fez quatro gols em 17 jogos, sendo apenas dez como titular. Mas é na Copa do Brasil que o jogador da Seleção Argentina mostrou o seu poder decisivo. Se o Galo está na grande final, deve isso aos gols do centroavante.

Joel Carli: titular absoluto

Se todo xerife de ‘bangue-bangue’ carrega uma estrela ao peito, o argentino Joel Carli pode ser considerado o maior xerifão deste Campeonato Brasileiro. Afinal de contas, tem a Estrela Solitária como emblema de sua profissão.

O seu desempenho pelo Botafogo é surpreendente! Foi titular em todos os 13 jogos que disputou e, com ele em campo, a equipe de General Severiano levou apenas cinco gols em todo o certame.  Carli, que vive o seu melhor momento no futebol com 30 anos, venceu oito jogos, empatou três e perdeu dois. E, quando está em campo, o Alvinegro tem um aproveitamento melhor até mesmo do que o líder Palmeiras!

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget