Técnico do Flamengo rasga elogios a Jorge: "Só tende a crescer."

Se o Flamengo não fez grande partida contra o América-MG, venceu por 1 a 0 e deve as melhores jogadas da partida ao lateral.

Lateral Jorge durante América-MG x Flamengo - Fotos: Staff Images / Flamengo
GLOBO ESPORTE: O empate contra o Botafogo pegou um Jorge desprevenido e sincero na saída de campo. O lateral disse em entrevista na zona mista que se o Palmeiras vencesse o Internacional "não tinha mais jeito, era quase impossível". Se o Flamengo não fez grande partida contra o América-MG, venceu por 1 a 0 e deve as melhores jogadas da partida ao lateral. Foi a primeira assistência de Jorge no Brasileiro. Após tabela com Fernandinho, ele cruzou para Everton marcar. Os lances o levaram a atingir a melhor pontuação em todo o Brasileiro no Cartola FC.

- Nada é impossível. Vamos lutar até o fim - disse o lateral na saída do jogo.

Mais do que com palavras, foi com bons passes, atitude e futebol que Jorge deixou no passado os pontos que chegou a entregar no fim do clássico com o Alvinegro. Com facilidade para abrir espaço e infiltrar pelo meio de campo, ele dividiu com Diego e até com Everton, que também ajuda na criação no setor central, as funções no meio do campo. O técnico Zé Ricardo pediu a Jorge que entrasse mais pelo meio para aproveitar a visão de jogo.

- Jorge tem capacidade técnica muito grande. Não tem tanta velocidade para ir na linha de fundo, mas compensa com bastante técnica, com posicionamento muito bom. Ensaiamos alguns movimentos por dentro e conseguimos fazer o gol numa jogada dele. Ele também finalizou de fora da área, fez uma partida muito boa. É um jogador de 20 anos que só tende a crescer. Tem tudo para evoluir ainda mais na carreira e se conseguir isso vai brigar para jogar na seleção - disse o treinador do Flamengo.

Feliz e aliviado com a vitória, Jorge ficou também surpreso ao saber da pontuação dele no Cartola FC, o fantasy game do GloboEsporte.com. Ele fez 14,1 pontos, foi o maior pontuador da partida. A pontuação se deve a assistência, três roubadas de bola, uma finalização perigosa defendida pelo goleiro João Ricardo, do Coelho, e outra para fora.

- Não sou de jogar muito, mas vejo mais a minha família brincando, torcedor na rua que diz que vai me escalar no "Cartola". Fico feliz de saber que pontuei bem. É maravilhoso - afirmou ele.

Sobre o posicionamento dentro de campo, o jogador de 20 anos lembrou as orientações de Zé Ricardo e também a tendência natural de deixar a posição para jogar pelo centro. Disse que já era costume de atuar desde as divisões de base do Flamengo.

- Zé lembrou na preleção e nos treinos, ele pediu bastante isso, porque a equipe do América dava espaço. Quando dava para ir no fundo eu ia, mas acho que hoje faço muito isso de ir para o meio, de tirar a equipe de um lado e levar para o outro lado.

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget