Ilha do Urubu passa bem por primeiro teste do Flamengo.

O formato como o Flamengo reestruturou a Ilha do Urubu também não deixa ponto cego para os torcedores.

Ônibus do Flamengo na (Arena) Ilha do Urubu - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: A espera, enfim, acabou. Depois de cinco meses de obras e preparos, a Ilha do Urubu, casa do Flamengo pelos próximos três anos, foi inaugurada nesta quarta-feira. E os quase 13.981 rubro-negros que prestigiaram a estreia foram brindados com uma vitória por 2 a 0 sobre a Ponte Preta, em jogo válido pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mesmo sem a lotação do estádio (Fla pôs à venda 16 mil ingressos - a capacidade é de 20 mil), os torcedores cantaram e apoiaram durante boa parte do tempo. A proximidade da arquibancada com o campo valorizou o canto da torcida, mas a acústica, aberta, fez a arena não virar "caldeirão".

Filas para entrar e trânsito

Como toda estreia, a desta noite não foi perfeita, mas o saldo foi positivo. Do lado de fora, muitos orientadores foram recrutados para ajudar os torcedores. Nem isso, porém, foi o suficiente para acabar com as enormes filas, principalmente para os setores sul, norte e leste da Ilha do Urubu. Até metade do primeiro tempo, por volta de 21h25, muita gente ainda entrava no estádio.

O trânsito para chegar à Ilha do Governador, é verdade, não colaborou. Nossa equipe, por exemplo, saiu da Barra da Tijuca por volta de 16h, passou pela Zona Sul e chegou à Ilha do Urubu por volta de 18h10, já com as intermediações fechadas – os bloqueios foram montados às 17h. O que também atrapalhou, e muito, foi o fato de esta quinta-feira ser feriado de Corpus Christi.

Tudo isso, somado à experiência nova para os rubro-negros, dificultou a chegada ao estádio. Em meio às filas enormes às 20h50, torcedores tentavam furá-las para ganhar tempo. Na entrada para a arquibancada leste, um torcedor, com ingresso para a norte, pegou a fila errada, não foi avisado (apesar de ter mostrado o bilhete) e teve de enfrentar todo o caminho novamente. O princípio de confusão foi logo controlado pela Polícia Militar.

– Ninguém me avisou nada, agora vou perder o começo do jogo por causa disso. Falta de organização! – reclamou um indignado torcedor na entrada.

Enquanto isso, diversos orientadores, por todos os cantos e todas as ruas do entorno da Ilha do Urubu, ajudavam os torcedores informando as direções das entradas. As filas para troca de ingresso não foram tão grandes.

Food trucks funcionam

Dentro do estádio, menos dor de cabeça. Em todos os setores, o Flamengo montou food trucks, formando “praças de alimentação”. As opções eram pizzas (cerca de R$ 10 o pedaço) e sanduíches (entre R$ 10 e R$ 20). Havia, também, promoção de cerveja: até meia hora antes do jogo, duas por R$ 10 – depois, uma por R$ 8. Experimentamos a pizza: valeu a pena.

– Consegui chegar cedo, saí bem cedo de casa e deu tudo certo. Peguei fila para entrar, mas tranquilo. As opções de comida aqui dentro são muito boas também. Está aprovado – disse o rubro-negro Paulo Almeida.

Banheiros químicos dão conta

O Flamengo também disponibilizou banheiros químicos por todo o estádio, além da estrutura já fixa da Portuguesa, para evitar filas. Só teve espera durante o intervalo.

Chegada dos times

O que chama atenção, também, é por onde os times chegam à Ilha do Urubu. Os ônibus, diferentemente da maioria dos estádios, entram ao lado do gramado e estacionam para que os jogadores desçam. O “estacionamento” dos veículos é exatamente colado ao campo de jogo, praticamente em frente dos vestiários. Ali também é realizada a zona mista de entrevistas para os jornalistas.

Refletores

A iluminação da Ilha do Urubu também é ótima. Com quatro refletores, um em cada canto, o campo fica completamente iluminado, assim como as arquibancadas.

Sem ponto cego

O formato como o Flamengo reestruturou a Ilha do Urubu também não deixa ponto cego para os torcedores. Claro, é um estádio “simples”, sem “frescura”, mas extremamente funcional no que se trata assistir aos jogos. O acesso complicado e distante para parte da torcida complica.

Ingressos

O que desagradou grande parte dos torcedores ouvidos pela reportagem foi o preço dos ingressos. Quando iniciou as vendas, o Flamengo liberou apenas pacotes para os três primeiros jogos na Ilha do Urubu. O preço, portanto, ficou salgado: os bilhetes mais baratos, para as três partidas, custavam R$ 104 (meia). Já os mais caros estavam a R$ 600. Depois, apenas para o confronto contra a Ponte, o mais em conta custou R$ 35.

Saída tranquila

A saída da torcida após o fim da partida foi tranquila em todos os portões. Com a vitória garantida, alguns Rubro-Negros preferiram sair um pouco antes do apito final, para se livrar do trânsito, o que ajudou no escoamento dos torcedores.

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget