5 dos 15 gols que o Flamengo levou foram no contra-ataque

No Brasileirão 2017, foram cinco gols sofridos desta mesma forma - dos 12 que o time rubro-negro levou até aqui na competição.

Cuéllar durante Flamengo x Palmeiras - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: Os três jogos sem vencer mostraram pontos a serem corrigidos no Flamengo. Os últimos três gols sofridos nos empates diante de Palmeiras e Cruzeiro tiveram como origem um contra-ataque que pegou a defesa e o meio de campo do Flamengo desprotegidos depois da da perda da posse de bola. No Brasileirão 2017, foram cinco gols sofridos desta mesma forma - dos 12 que o time rubro-negro levou até aqui na competição.

Nesta quarta-feira, o gol de empate do Palmeiras foi alvo de reclamação por uma falta que não teria sido marcada na origem da jogada. Mesmo assim, Zé reconheceu falha no posicionamento e na organização no momento do lançamento de Zé Roberto - com liberdade perto de Cuéllar - para Willian, nas costas de Pará. Ele acredita que pontos precisam ser alinhados nesta questão.

- O primeiro gol estava bem na minha frente e tenho certeza que houve infração em cima do Paolo. Mesmo assim, tínhamos que estar melhor posicionados. A essência do jogo posicional é você fazer o ataque equilibrado para a defesa. São coisas que precisam ser acertadas - cobrou Zé Ricardo.

O segundo gol do Palmeiras foi parecido, novamente utilizando da velocidade para partir para cima e punir o Rubro-Negro em seu campo defesa. Mina, que passou por Márcio Araújo, avançou até achar Roger Guedes, desta vez nas costas de Trauco. De novo, não houve tempo de se reorganizar.

Em um esquema ofensivo, com Diego, Everton, Everton Ribeiro e Guerrero, é necessário e esperado mais força dos volantes Cuéllar e Márcio Araújo, bem como um preenchimento de espaços que iniba as ações rápidas de contra-ataque. A coordenação do Flamengo hoje é falha em lances desse tipo. Mais uma prova disso veio com a chance desperdiçada por Borja no fim do jogo.

- É difícil falar. Eles foram muito felizes nesses lances. A gente sabe que o Palmeiras é um time muito rápido e eles foram felizes nas bolas que acharam. Claro que temos que sentar e conversar. Temos pouco tempo para treinar. É mais no descanso, mais na base da conversa, mas tenho certeza que nosso grupo é muito forte e vamos dar a volta por cima - analisou o zagueiro Rafael Vaz.

Na rodada do fim de semana, o lance do gol de empate do Cruzeiro foi diferente, mas também mostrou a defesa do Flamengo exposta após perder a bola. O gol sofrido no Mineirão teve origem a boa bola enfiada por Diogo Barbosa que deixou Sassá em posição confortável para marcar.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget