Damião leva menos tempo que Guerrero para marcar no Flamengo.

Na goleada por 5 a 2 contra o Palestino, Damião mostrou mais uma vez a tendência, ao marcar um belo gol de letra.

Damião fazendo careta em gol pelo Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
SPORTV: A atual temporada de Leandro Damião com a camisa do Flamengo vem sendo um tanto quanto curiosa. O atacante vem se destacando por atuar nas partidas em que Guerrero está de fora e marcar golaços, um hábito não tão comum. Na goleada por 5 a 2 contra o Palestino, Damião mostrou mais uma vez a tendência, ao marcar um belo gol de letra.

No entanto, se engana quem pensa que o jogador vive de lampejos. Pelo menos é o que diz a estatística. Apesar de atuar em menos jogos e de marcar menos gols, o reserva do ataque do Flamengo tem uma média de gols por minuto melhor que a de Guerrero, conforme mostrado no "Redação SporTV".

O titular da seleção peruana tem 27 jogos na temporada, com 17 gols marcados. No entanto, a alta "rodagem" em campo aumenta a média de minutos por gol: para anotar um tento, Guerrero precisa de 140 minutos.

Por outro lado, Leandro Damião tem 21 jogos, com oito gols feitos. A média parece menor, mas por ter saído muitas vezes do banco, a quantidade de minutos em campo é bem inferior: são apenas 1022, o que deixa o atacante com média de 127 minutos para balançar a rede.

Apesar dos dados mostrarem que a média de minutos por gol favorece Leandro Damião, o analista Sérgio Xavier Filho acredita que Guerrero não é um jogador de estatísticas, que são normais para um atacante. Em sua visão, a contribuição do atacante dentro de campo passa por fatores que são escondidos pelos números.

- A estatística histórica dele como artilheiro mal chega no meio gol por partida, o que para um atacante é pouco, não é relevante. Agora, se a gente pegar o que o Guerrero tem feito pelo Flamengo nos últimos tempos, não sei se o número mostra. O que a gente vê, mostra. Ele é fundamental - analisou.

O comentarista Carlos Eduardo Eboli, da Rádio CBN, complementou a visão de Sérgio Xavier. Para ele, é a maneira como Guerrero joga para o time - única no futebol brasileiro - que o torna mais útil ao time em relação a Damião. O jornalista lembrou que o peruano não é um jogador de área e que possui uma "visão tática" do jogo.

- A maneira como ele joga para o time, o Guerrero joga fora da área. Ele não é um atacante de área, um finalizador apenas. Tem uma visão tática do jogo, um domínio de bola, a maneira como ele segura e espera o time se aproximar dele. (...) Acho que nenhum outro (centroavante) no futebol brasileiro faz o que ele faz, essa capacidade de dominar a bola, esperar o time se aproximar e distribuir. Eu acho um jogadoraço, encaixou muito bem no Flamengo... e a carreira dele não tem grandes momentos de artilharia, tem gols pontuais importantes e uma participação intensa durante os jogos.

Eboli crê que não há comparação entre a qualidade de Guerrero e Damião, mas lembrou que as boas atuações do reserva somadas a sua experiência fizeram com que muitos se esquecessem de Felipe Vizeu, que mostrou bom futebol quando foi acionado nos últimos tempos.

- Ele tem mais experiência, está fazendo gols, e o Vizeu já tem muita gente falando, inclusive, em negociá-lo. O Vizeu entrou nos últimos minutos, no lugar do Damião; ele deu conta do recado quando substituiu o Guerrero em um momento de ausência, foi bem. É um garoto de personalidade, tem muito a crescer e perdeu esse espaço com a contratação do Damião, pelo peso financeiro que tem. Agora, não dá para comparar, como jogador de futebol, Damião com Guerrero.

Com dois atacantes em boa fase no elenco, o Flamengo busca inspiração no setor ofensivo para conseguir a quarta vitória seguida no Brasileiro. O desafio será o clássico diante do Vasco, no estádio de São Januário. Se vencer, o Rubro-negro pode ultrapassar o Grêmio e assumir a vice-liderança da competição.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget