"Em 2009 o Flamengo também estava 9 pontos atrás", lembra Zico

Outro motivo para crer na possibilidade do título é a forma como aconteceu a última conquista do Fla no Brasileirão.

Zico, eterno ídolo do Flamengo, atualmente - Foto: Gilvan de Souza / Flamengo
GLOBO ESPORTE: O bom momento do Flamengo tem agradado Zico, ídolo do clube. Na última rodada do Campeonato Brasileiro, o rubro-negro venceu o clássico contra Vasco, chegou aos 23 pontos e assumiu a vice-liderança do nacional. Galinho minimiza a distância de nove pontos para o líder Corinthians com o fato da competição ainda estar no primeiro turno. Outro motivo para crer na possibilidade do título é a forma como aconteceu a última conquista do Fla no Brasileirão.

– É só lembrar que quando o Flamengo foi campeão em 2009, o Palmeiras também estava nove pontos à frente. Acho que no meio do returno é que começa a definir. Hoje, você vai falar que estão na briga o Flamengo, o Corinthians, o Grêmio, o Palmeiras... O Campeonato Brasileiro é muito difícil. Assim como você pode pegar um período de três vitórias, você pode pegar um período de três derrotas também pelo equilíbrio dos jogos e das equipes – comentou.

Considerado principal meia da história do Flamengo, Zico também acredita que a chegada de Geuvânio, que deve ter a situação regularizada ainda nesta quarta-feira, 12, é um trunfo extra na briga pelo título.

– A qualidade do Éverton Ribeiro, se o Geuvânio tiver oportunidade e junto com o Diego, acho que pode formar um trio maravilhoso. Isso dá tranquilidade até para os outros jogadores. Você tendo esses jogadores, que normalmente a responsabilidade de criação está em cima deles, favorece todo mundo. O Flamengo vem mantendo um espírito muito bom de competitividade e, por isso, os resultados aparecerem. É um campeonato longo, ainda está muito cedo. Não pode deixar quem está na frente distanciar muito, porque depois fica difícil pegar – ressaltou.

Vinícius Júnior e base brasileira

Zico esteve nessa terça-feira, 11, em Taubaté, interior de São Paulo, para acompanhar as finais da Copa Zico. Pela primeira vez, a competição é realizada fora do Rio de Janeiro. O torneio, que é realizado desde 2008 no Rio, reuniu em Taubaté quase mil atletas, divididos em 54 equipes, entre as categorias sub-7 e sub-17. Galinho se sente realizado com a possibiidade de expandir a Copa Zico além da cidade carioca e dar mais visibilidade para crianças e jovens.

– Queremos dar oportunidade para a molecada, que às vezes não tem chances de fazer um teste em uma boa equipe. Aqui, não pode jogar nenhum jogador federado. Fizemos isso justamente com essa finalidade. Nós vemos que aqui, mesmo nas idades de sete, nove anos, tem observadores do Corinthians, do Flamengo. O pessoal está de olho. É uma competição que fico feliz, de ter sucesso desde 2008 no Rio. Agora, termina em Taubaté e depois vai ter em Juiz de Fora (MG). Vamos ter duas Copa Zico fora do Rio. É muito bacana a empolgação da garotada. Não tive na minha infância essa chance de disputar nenhuma competição. Sei o quanto ela é importante nesta idade – afirmou.

O ex-camisa 10 do Flamengo e da seleção brasileira trabalha há anos com as categorias de base, com o Centro de Futebol do Zico (CFZ) e a Copa Zico. Para ele, a base brasileira segue boa e cita algumas revelações do país, como Neymar, Gabriel Jesus e Philipe Coutinho, que agora despontam na Seleção e no cenário internacional.

Outra promessa do futebol brasileiro é Vinícius Júnior, de 16 anos, do Flamengo, que já foi negociado com o Real Madrid.

– É um grande jogador. Tem tudo para ter um futuro brilhante. Ele tem todas as qualidades que um jogador precisa: técnica, habilidade, visão de jogo, força, visão de gol, coletividade... Ele tem todos esses requisitos para que, continuando assim, se torne um grande profissional, e o sucesso aparece bem mais cedo até – comentou.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget