Estrelas do Flamengo não correspondem na hora decisiva

Isso porque o Flamengo tinha como meta somar o máximo de pontos na sequência dura que estava prestes a encarar na competição.

Éverton RIbeiro e Guerrero, no Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GOAL: Quando iniciou a temporada, o Flamengo era apontado como um dos melhores elencos do país, com o alto investimento realizado pela diretoria para a disputa da Copa Libertadores. No entanto, a equipe vem decepcionando dentro de campo quando tem pela frente jogos decisivos.

Após a queda precoce na Copa Libertadores, os torcedores tomaram como obrigação a conquista do Campeonato Brasileiro. Mas pelo que parece, uma nova crise está pronta para ser estourada na Gávea.

Isso porque o Flamengo tinha como meta somar o máximo de pontos na sequência dura que estava prestes a encarar na competição. Era a "hora da verdade". Com confrontos diretos pela parte de cima da tabela, o Rubro-Negro tinha o momento para convencer os torcedores que lutaria até o fim pelo título.

Os adversários eram Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras, Coritiba e Corinthians. Dos nove pontos disputados até o momento, somou apenas dois (contra os mineiros e paulistas), e de quebra ainda viu a sua invencibilidade na Ilha do Urubu ser encerrada pelos gaúchos.

Não se pode dizer que o Flamengo não tem elenco e nem jogadores que possam decidir uma partida. Muito pelo contrário. No entanto, o que se viu mais uma vez na noite desta quarta-feira (19), no empate em 2 a 2 com o Palmeiras, foi o que já não é novidade: as estrelas não funcionam na hora da pressão. Não se somaram como equipe.

Enquanto Everton Ribeiro - apesar do passe para o gol de Pará - esteve completamente disperso em campo, errando passes e sendo muito individualista, Diego perdeu pênalti que sacramentaria a vitória da equipe e esteve muito abaixo do seu desempenho.

O único que se salvou foi Paolo Guerrero. Autor de um gol e de assistência para Pará, o atacante peruano ainda terminou a partida com cinco faltas sofridas e reclamou da postura do Palmeiras.

"Eles fizeram dois contra-ataques, dois gols e duas faltas que me fizeram. Fico chateado. Se mata no campo e os caras não querem jogar bola, só querem fazer falta para a gente não aproveitar.", afirmou.

O meia Diego já avisou que o momento é de falar menos e trabalhar mais para poder melhorar o desempenho. De fato, o Flamengo precisa transformar bons jogos em vitórias. O esquema é previsível e a zaga, que é lenta, fica exposta.

Uma boa notícia é que Diego Alves deve estrear justamente contra o Corinthians, no próximo dia 30. O gol poderá ficar mais seguro, uma vez que Thiago, ainda muito inexperiente, saiu mal nos dois gols. A falha foi de posicionamento de defesa e meio-campo, mas não se pode tirar a culpa do goleiro também.

Agora, a equipe busca a recuperação no próximo sábado (22), contra o Coritiba, na Ilha do Urubu, pela 16ª rodada do Brasileirão, para tentar de novo fazer o time de estrelas funcionar. Um resultado positivo é fundamental antes de encarar o líder Corinthians.Será que vai?



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget