Maurício Prado cobra jogadas ensaiadas no Flamengo

E o seu time continuou a fazer o mesmo. Jogar bolas altas sobre a área. Alô, departamento de estatísticas! Ajuda aí o treinador, vai…

Éverton Ribeiro e Diego em falta do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
RENATO MAURÍCIO PRADO: O departamento de estatísticas do Flamengo deveria fazer um levantamento do número (absurdo) de bolas altas que o time de Zé Ricardo alça sobre a área do adversário e qual é o percentual de vezes que tal lance primário se transforma em gol. Aposto que não chega a 1%. Pois assim mesmo, é essa a principal (diria a única) jogada de ataque da equipe dirigida por Zé Ricardo. Qualquer falta nas laterais do gramado vira chuveirinho. Escanteios, então, só bola alta. Nenhuma jogada ensaiada. Dessa forma, não adianta contratar bons jogadores. Qualquer sistema defensivo minimamente eficiente os anulará.

Faz tempo que o Mais Querido vive de lampejos individuais. Ora de Diego, ora de Guerrero e, mais recentemente, de Éverton Ribeiro (tecnicamente, os seus craques). Basta que eles não estejam em dia inspirados e, pronto, a mediocridade é geral. Diego fez hoje sua pior partida com a camisa do Flamengo, Éverton Ribeiro também errou demais e Guerrero, suspenso, não jogou. O resultado foi o que se viu: a primeira derrota na nova casa.

Impressiona na forma de atuar do rubro-negro carioca a falta de algumas coisas básicas no futebol. Nesse time do Zé Ricardo, ninguém apoia o jogador que tem a bola. Ninguém se aproxima para uma tabela ou uma triangulação. Ultrapassagens pelas pontas, nem pensar! Isso tudo é o beabá do futebol! Como é possível que um grupo profissional e agora de inegável qualidade não jogue assim?

Nessa noite, a confusão tática era tamanha que, no primeiro tempo, por duas vezes, quem se infiltrou para concluir (pessimamente, claro) foi o Márcio Araújo! Que continua a ser o principal responsável pela saída de bola da defesa para o ataque, apesar de sua reconhecida limitação técnica. Dessa vez, nem marcar bem, marcou, pois foi driblado facilmente por Luan, na entrada da área e abandonou o lance, passando a caminhar (como cansa de fazer, aliás). Basta ver o vídeo da jogada. Na qual também falharam Trauco, Cuellar e o Thiago (a bola, defensável, foi bem próxima dele).

A possível chegada do goleiro Diego Alves transformará o Flamengo, ao menos no papel, num time de inegável qualidade. Claro que o ideal seria ter ainda um volante decente (para o lugar de Márcio Araújo) e outro zagueiro de área, para evitar que Rafael Vaz continue a ser a primeira opção do banco, como agora, com a contusão de Rhodolfo. Mas de qualquer maneira, com a chegada de um goleiro de qualidade, como Diego Alves, o elenco estará entre os melhores do futebol medíocre que se joga atualmente no país.

Falta um sistema tático à altura. Será que o inseguro Zé Ricardo será capaz implementá-lo?

O final do jogo de hoje, uma autêntica salada de jogadores de frente, me leva a ter sérias dúvidas. Em tempo: será que o Conca ainda não tem mínimas condições de jogo? Gostaria de tê-lo visto, pelo menos nos 15 minutos finais, no lugar do Diego. E o Vinícius Jr? Nem no banco? É o tipo de jogador que, talvez, num lance individual, pudesse ter aberto a defesa gremista.

Mas Zé Ricardo pensou diferente. E o seu time continuou a fazer o mesmo. Jogar bolas altas sobre a área. Alô, departamento de estatísticas! Ajuda aí o treinador, vai…

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget