Vasco 0 x 1 Flamengo valeu pelo segundo tempo

Tem elenco e qualidade individual suficiente para brigar lá em cima.

Everton e Rafael Vaz comemorando gol do Flamengo contra o Vasco em São Januário - Foto: Gilvan de Souza
MAURO BETING: ESCREVE GUSTAVO ROMAN

Coitada da bola. Foi muito maltratada no primeiro tempo do Clássico dos Milhões. Com vários desfalques, Milton Mendes armou seu time no 4-1-4-1. O estreante Bruno Paulista estreou bem atuando entre as linhas. Wellington e Mateus Vital jogavam por dentro. Pikachu na direita. Nenê, mais uma vez sacrificado pela esquerda. Luís Fabiano na frente. Já Zé Ricardo manteve o seu 4-2-3-1. Márcio Araújo e Cuellar de volantes. Everton Ribeiro partindo da direita. Mas já em melhor forma física, se movimentou por todas as partes do campo. Diego centralizado e recuando para dar qualidade e desafogar a saída de bola da equipe. Everton na esquerda. E Guerrero mais uma vez brigando com os zagueiros adversários e com seus próprios fantasmas.

Só que nos primeiros 45 minutos não houve jogo. Só faltas, erros de passes e muito pouca inspiração de parte a parte. Além de algumas baixas. Rhodolfo sentiu lesão muscular e foi substituído por Léo Duarte. Réver já sentira no aquecimento e dera sua vaga para Rafael Vaz. Aos 42, Bruno Paulista sentiu e deixou o gramado. Andrei entrou para atuar entre as linhas Vascaínas.

O clássico só valeu pela etapa final. Com menos de três minutos, uma chance para cada lado. Aos 12, Mateus Vital saiu para a entrada de Wagner. A alteração enfraqueceu o sistema de marcação do Vasco e o Flamengo cresceu. Até porque, a esta altura, já colocava mais a bola no chão. E contava com ótimas atuações individuais de Everton Ribeiro e Diego, os destaques do jogo.

Aos 16, Guerrero sentiu uma pancada na nuca e saiu. Damião entrou. Dois minutos depois começou a blitz Rubro-Negra que não saía do campo de ataque do oponente. Ajudado pelo Vasco que errou demais. Andrei deu passe ruim aos 18. Everton Ribeiro toca pra Diego. Martim Silva salva com os pés. No rebote, Everton Ribeiro bateu em cima da zaga. O gol estava esquentando. E estava próximo. No minuto seguinte, novo erro na saída de bola. Rodinei fez o desarme. Everton Ribeiro deixou Henrique no chão com uma linda finta de corpo e cruzou na cabeça de Everton, que testou como manda o figurino. De cima para baixo. Sem chances para o ótimo goleiro uruguaio. Flamengo um a zero.

Logo no reinício, Luís Fabiano quase empatou numa virada espetacular. Thiago fez excelente defesa no cantinho e salvou. Aos 22, Milton Mendes gastou sua regra três ao fazer entrar Manga Escobar no lugar de Pikachu. A tentativa era dar mais velocidade e agressividade pela direita. Não funcionou. O Rubro-Negro recuou. E saía em bloco, sempre na habilidade de Diego ou de Everton Ribeiro. Aos 24, Everton puxou contra-ataque pela esquerda e cruzou para Damião. O caneludo atacante fez jogada de craque e tocou de calcanhar para Everton Ribeiro tentar o gol de placa e se enrolar com a zaga.

O Fla ficou ainda mais cauteloso depois que Léo Duarte sentiu. Sem mais zagueiros de ofício no banco, Zé Ricardo improvisou Rômulo. Deu a bola ao Vasco, que atacou na base da vontade e do abafa. Mas sem criatividade e qualidade.

Sem sofrer atrás, o Flamengo conseguiu mais três pontos importantíssimos na sua caminhada para tentar se aproximar do topo da tabela. Como era esperado pelos torcedores e pelos especialistas. Tem elenco e qualidade individual suficiente para brigar lá em cima. Já o Vasco, apesar de bem colocado na tabela, ainda carece de opções melhores no elenco. Portanto no Clássico dos Milhões de hoje deu a lógica. Venceu o melhor. No momento.

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget