Vendedor de 'cavalinhos' torce por vitória do Flamengo sobre o Timão

Nas ruas, isso fica claro. Ainda mais ilustrada nos cavalinhos que semanalmente simbolizam a corrida do Brasileiro na TV.

Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo
EXTRA GLOBO: A cada rodada do Brasileiro, o Flamengo mede a distância para o Corinthians, líder isolado, e seca o rival. Hoje, a diferença pode diminuir e tornar mais palpável a expectativa criada no início do ano: ver o “cheirinho de hepta” de 2016 mais forte em 2017.

As duas equipes se enfrentam 16h em posições que, na teoria, se inverteriam caso fossem baseadas no investimento e no cenário no começo da temporada.

O Flamengo, quarto colocado, conquistou o título estadual, enquanto o Corinthians foi eliminado antes de chegar à decisão. Na semifinal da Copa do Brasil, o Rubro-negro assiste aos paulistas com mais tempo no Brasileiro, pois saíram cedo do outro torneio nacional. Hoje, porém, a crise trocou de lado.

Nas ruas, isso fica claro. Ainda mais ilustrada nos cavalinhos que semanalmente simbolizam a corrida do Brasileiro na TV.

— O time está bom, tem que melhorar é o técnico — conta o ambulante André Luis, 27, que vende os bichinhos nas ruas do Centro do Rio.

— Se o Flamengo fosse líder ia vender muito mais. Mas acho que dá para pegar eles — aposta.

As bandeiras rubro-negras rivalizam com as dos outros clubes cariocas, mas a empolgação resiste, talvez pelos 12 pontos de diferença que separam os clubes.

— Está devagar. Os paulistas estão engolindo os cariocas. Se o Flamengo estivesse bem seria festa no Rio, carnaval. Ia vender muito mais — diz Jorge Bernardo, que vende as bandeiras.

— Tem que ter mais Garra. O Vaz está mal. Fora Muralha — protestou o flamenguista, elegendo os vilões de sempre.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget