Após 385 minutos, Vinicius Junior desencanta pelo Flamengo

O colombiano tocou de cabeça para o meio, e o garoto aproveitou o cochilo da defesa para bater de direita e balançar a rede.

Vinicius Jr celebrando gol pelo Flamengo com Vizeu - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: Antes de entrar em campo contra o Palestino, Vinicius Junior havia jogado 14 partidas como profissional do Flamengo. Mesmo com toda a expectativa gerada em cima da joia vendida por 45 milhões de euros para o Real Madrid, foram 384 minutos sem gols. Nesta quarta-feira, porém, o garoto de 17 anos precisou apenas de um minuto na Ilha do Urubu para desencantar com a camisa rubro-negra, definir o placar de 5 a 0 e levar o torcedor ao delírio.

Desde a estreia contra o Atlético-MG ao dia da consagração, diante da equipe chile, na Ilha, o jogador alternou bons e maus momentos: meteu bola no travessão contra o Botafogo, distribuiu dribles e deu assistência para Leandro Damião na vitória contra a Ponte Preta, mas acabou perdendo espaço na equipe com Zé Ricardo. Não deixou de ter, porém, o carinho do torcedor.

13 DE MAIO: O NERVOSISMO DA ESTREIA

Vinicius Junior ficou pela primeira vez no banco de reservas na rodada de abertura do Brasileirão, contra o Atlético-MG. Zé Ricardo ouviu os vários pedidos do Maracanã e, aos 37 minutos do segundo tempo, era a primeira vez que o garoto pisava no gramado como profissional do Flamengo. Porém, no 1 a 1 diante do Galo, muito nervosismo e futebol longe do esperado.

04 DE JUNHO: A EMPOLGAÇÃO NO PRIMEIRO CLÁSSICO

Pouco tempo, mas bons lances contra o Atlético-GO; outros 21 minutos contra o Atlético-PR... E chegou o primeiro clássico! No Raulino de Oliveira, contra o Botafogo, substituiu Ederson aos 21 minutos do segundo tempo e empolgou o torcedor. Dribles, tabelas e uma bola que por muito pouco não tira o 0 a 0 do placar - parou no travessão de Gatito Fernández.

14 DE JUNHO: TITULARIDADE E ASSISTÊNCIA

Após a primeira derrota, no jogo contra Sport (parando, inclusive, em Magrão), foi titular pela primeira vez diante do Avaí, na Ressacada, mas teve atuação discreta. Na partida seguinte, contra a Ponte Preta, que marcou estreia da Ilha do Urubu como casa rubro-negra, começou mais uma vez entre os 11 e fez o jogo mais sólido: não só deu dribles, mas fez jogadas verticais, deu passes precisos e uma assistência para Leandro Damião marcar o segundo na vitória por 2 a 0 diante.

18 DE JUNHO: FLA-FLU SEM BRILHO

O otimismo tomou conta da torcida após bom desempenho contra a Macaca. Mas no clássico contra o Fluminense, a titularidade não refletiu num bom desempenho. Começou com uma finalização logo no primeiro minuto, mas, anulado pela forte marcação, deixou o campo no intervalo.

22 DE JUNHO: HOJE NÃO!

A comemoração do primeiro gol quase aconteceu contra a Chapecoense. Chegou a dar o gostinho! Guerrero deu belo passe para Vinicius Junior, que bateu na saída do goleiro Jandrei. Mas o bandeirinha flagrou a posição irregular do garoto e o árbitro anulou o gol. A torcida, que estava em êxtase pela vitória de 5 a 1, ficou chateada de não ver o primeiro gol da joia.

28 DE JUNHO: PRIMEIRO MATA-MATA

A primeira partida das quartas da Copa do Brasil, contra o Santos, foi também o primeiro jogo de uma competição mata-mata de Vinicius Junior como profissional. Menos de 20 minutos em campo, mas uma jogada de perigo, que terminou na defesa de Vanderlei e aplausos da torcida.

22 DE JULHO: OSCILAÇÃO, BRIGA POR ESPAÇO E PROTAGONISMO

Depois do jogo contra o Santos, foram três partidas sem atuar. Novamente com o nome gritado nas arquibancadas, voltou contra o Coritiba, pela 16ª rodada do Brasileirão, na segunda etapa. Começou desligado, mas deixou o campo com saldo positivo: um chapéu em William Matheus e um pênalti sofrido, que originou o gol da vitória no fim, marcado por Éverton Ribeiro.

09 DE AGOSTO: ENFIM, O GOL!

Vinicius viu do banco de reservas os companheiros abrirem 4 a 0 diante da equipe chilena, ainda no primeiro tempo. Aos 26 minutos da etapa complementar, foi chamado por Jayme de Almeida e entrou no lugar de Everton. Logo na primeira jogada, foi lançado na área, perdeu ângulo e optou pelo cruzamento para Berrío. O colombiano tocou de cabeça para o meio, e o garoto aproveitou o cochilo da defesa para bater de direita e balançar a rede.

- Eu imaginava fazer meu primeiro gol como profissional aqui na Ilha, com a torcida do Flamengo, que sempre vem me ajudando, com a minha família toda aí. Tirei um peso desse gol e agora é comemorar e focar também no jogo contra o Atlético-MG pelo Campeonato Brasileiro.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget