Desliga e religa

Um Flamengo recheado de reservas e sem a menor vontade contra uma equipe humilde que já por longos dez anos não disputa a 1ª Divisão.

Foto: Reprodução
BOTECO DO FLA: Sorin

Já deturparam tudo. A Primeira Liga nasceu com a bela teoria de ser uma alternativa para os chatos estaduais do começo da temporada, com confrontos entre os maiores do futebol tupiniquim. Agora nem é mais só no começo da temporada, e também não é mais um porto seguro onde possamos nos isolar da modorrência reinante do Carioqueta.

O primeiro tempo de ontem prova isso. Parecia muito o Estadual. Um Flamengo recheado de reservas e sem a menor vontade de jogar bola, contra uma equipe humilde que já por longos dez anos não disputa a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro.

Claro que a gente queria ganhar o treco, apesar da inutilidade intrínseca do torneio. Mas nem dá pra crucificar de todo a má vontade dos jogadores presentes. Tudo bem... A gente sempre vai ter a teoria romântica de que mesmo se for cuspe à distância, se o Manto Sagrado está envolvido na peleja, sangue e suor devem ser deixados na luta pelo triunfo. Mas na prática a gente sabe que acaba não funcionando assim. Até mesmo para os nossos corações, que certamente estavam na noite de ontem sem alterar o ritmo dos batimentos e, caso tenha acontecido, foi por lembrarmos os confrontos próximos contra o Cruzeiro pela Final da Copa do Brasil.

Pô, Sorin... Tá falando merda. Não pode ser assim. Esses putos ganham pra isso. Tem que representar o Manto sempre, em qualquer circunstância.

EU concordo e assino embaixo. Mas infelizmente não é assim... Simplesmente porque não é assim e pronto. Dentre outros motivos, basta lembrar que é o trabalho dos caras e a maioria ali nem Flamengo é. Chato lembrar isso, mas é um fato.

Pois bem. Primeiro tempo patético, segunda etapa nem tão deprimente, mas de forma alguma interessante. Resultados da noite: Paraná e Londrina em festa com a classificação para as semifinais. Justo. Não era o objetivo inicial do torneio ter clubes de todas as divisões... Mas ironicamente os envolvidos mais humildes são os únicos que acabam dando importância para a Primeira Liga e levando a bagaça a sério. Torço até para que um dos dois fature a taça.

Não se pode deixar de falar de mais uma fraca atuação do Muralha e da displicência com que Paquetá cobrou o pênalti. Como bônus extra ganhamos mais uma dúvida no ataque para o primeiro jogo da Final no dia 7 por conta da lesão do Vizeu... Posso falar? Talvez até seja bom. A expressão “falso nove” é danada de esquisita. É apenas uma maneira de dizer que não tem ninguém pra jogar de centroavante. Mas na disposição, na mobilidade e nas alternativas possíveis de atuação durante a partida, diante dos últimos desempenhos do garoto que saiu lesionado ontem, sou mais de ter em campo “na posição” o Berrío ou o Paquetá. Ironicamente, muito mais pelo que podem apresentar fora da área do que dentro.

Fla Twitter enfurecida na noite de ontem. Não rolou relevar empenho do adversário, falta de entrosamento do time que foi pro campo, desconcentração por conta da proximidade da Final da Copa do Brasil, nada. Como no futebol sempre tem que ter a figura do culpado, Muralha foi eleito como o inimigo público número 1, respingou um pouco no Paquetá, e é claro, houve quem elegesse o Capitão (quem diria?) Márcio Araújo como alvo principal por força do hábito. Na verdade até me surpreende não ter encontrado ninguém botando a culpa no Zé Ricardo. Eh, eh, eh... Quer saber? Mentira minha. Vi até isso. O tal do “se o ZR não tivesse perpetuado Vaz, Saraújo, Muralha e Gabriel no elenco isso não tinha acontecido”.

Agora já foi. Foco no Cruzeiro.

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget