Mais do que uma semi: o que está em jogo entre Bota x Flamengo?

Por outro lado, a eliminação seria o primeiro grande golpe em termos de eliminação para o Alvinegro no ano.

Vinicius Júnior em Flamengo x Botafogo - Foto: Divulgação
LANCE: Em momentos distintos na temporada, Botafogo e Flamengo voltam a se enfrentar nesta quarta-feira, na partida de ida da semifinal da Copa do Brasil. Além do vencedor conquistar uma vaga na final do torneio, há outras coisas em jogo: rivalidade, motivação e impacto no futuro.

No caso do Botafogo, a classificação para a final da Copa do Brasil seria mais um grande feito do time que vem encantando e também surpreendendo a torcida. A última vez que o Glorioso disputou uma final de torneio nacional foi em 1999, quando foi derrotado pelo Juventude, diante de um Maracanã lotado, com mais de 100 mil pessoas. Por outro lado, a eliminação seria o primeiro grande golpe em termos de eliminação para o Alvinegro no ano.

Num momento ruim, o Flamengo sabe que precisa de apenas quatro jogos (semifinais e final da Copa do Brasil) para mudar completamente o clima. A classificação para a final seria a retomada do orgulho rubro-negro e a esperança de um título de peso num ano de grande investimento no futebol - cerca de R$ 59 milhões em contratações. Entretanto, a eliminação representaria um grande baque, já que o time praticamente daria adeus às chances de uma conquista relevante no ano, no cenário nacional.

Recentemente, o presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, mostrou preocupação com a arbitragem contra o Flamengo. O mandatário alvinegro disse que o Rubro-Negro vinha sendo 'sistematicamente favorecido'. O Flamengo evitou responder a esta declaração, mas é fato que os dirigentes de ambos os clubes não vêm se 'bicando'. Neste ano, houve outras polêmicas.

Em fevereiro, uma postagem nas redes sociais do Flamengo mexeu com a internet. Após a vitória de 2 a 1 sobre o Botafogo, no Nilton Santos, no qual houve confusão e briga fora do estádio, o Rubro-Negro provocou pelo Twitter: '#CadeVocê? Não adianta fugir, não adianta correr'. A publicação foi ainda mais questionada após a confirmação da morte do alvinegro Diego Silva Santos, de 28 anos.

Em outra polêmica, Carlos Eduardo Pereira defendeu clássicos com torcida única contra o Flamengo pela Copa do Brasil. O mandatário alvinegro argumentava que esta opção era melhor do que ter apenas 5% de ingressos destinados aos visitantes nos duelos. Em outro episódio que aguçou a rivalidade, o Botafogo tentou vetar a realização de um Fla x Flu no Estádio Nilton Santos, na final da Taça Guanabara.

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget