Ninguém Liga

No Flamengo a eliminação foi até comemorada pelo Márcio Araújo no ano passado.

Foto: Divulgação
BOTECO DO FLA: Sorin

Aeeeeeee... A Segunda Primeira Joga Quem Quer Liga está de volta. Dando prosseguimento a esse importante e revolucionário inchaço no inchado calendário do futebol tupiniquim, Flamengo, Cruzeiro, Grêmio, Galo, Inter, Paraná, Londrina e fluminenCe, por ordem atual de grandeza, entram em campo nessa noite do dia 30 para as emocionantes disputas das quartas de final da bagaça.

Dei uma rodada pelas páginas dos participantes e, como era de se esperar, só Paraná e Londrina devem ir pra campo com força máxima para os jogos de logo mais. O fluminenCe fez um pouco de mistério, mas deve mesmo rolar um mistão. Como é contra o Londrina, um clube mais ou menos do mesmo tamanho, justifica-se o enigma para não dar pistas para o adversário na hora da decisão.

A Primeira Liga chega para a sua segunda edição com “mó” cara de fim de festa e despedida. Iniciando com cara de revolução em 2016, e como uma alternativa para manter todo mundo acordado durante as modorrentas disputas dos estaduais, foi sabotada pelos próprios participantes. Fundaram o treco... Pra depois reclamar do excesso de jogos na temporada e mandar um monte de reservas para os sonolentos embates. Só dá maluco. No Flamengo a eliminação foi até comemorada pelo Márcio Araújo no ano passado.

Como podemos ver pela “entrega” e “empenho” das equipes para essa noite, e mais ainda pelo caráter anárquico da organização do treco, que aceita todo mundo que se interessa sem distinções de série e qualidade, não tem cara de que vai muito longe. Inclusive os (não) organizadores já pensam em mudar a forma de disputa para 2018, talvez até com uma única sede em cada ano para a disputa. Vamos observar.

Enquanto isso... Como a bola vai acabar rolando e não tem mais como evitar, o Flamengo pegou Tio Conca para liderar a excursão e tomar conta da gurizada que vai até Cariocica, e que tem a obrigação de honrar a cidade que tão bem acolhe o Mais Querido desde aquela mítica arrancada no Brasileirão de 2016.

A equipe titular DEVE contar de início com os “veteranos” Muralha, Vaz, Márcio Araújo, Rômulo, Everton Ribeiro, Geuvânio, Vinícius Jr. e Vizeu. Ao contrário da CBF, apesar de bagunçada a Primeira Liga não decidiu se sabotar nesse quesito, permitindo a inscrição dos reforços para disputar a competição. Klebinho, Léo Duarte, Thuler e Maldini aparecem com alguma chance de jogar desde o início. Listei 12 nomes porque há dúvidas se Vaz entra ou não para compor a zaga.

Do lado de lá... Do lado de lá... O Paraná está em quinto na Série B, com 3 pontos de distância para o sonhado G4. Campanha importante, já que o clube não pinta na Primeira Divisão já faz uns dez anos. O folclórico técnico Lisca vem com força máxima e o 10 deles, Renatinho, já avisou que “contra o Flamengo pode até ser jogo de botão que é super importante”.

O perfil oficial do clube deu uma cutucada nas redes sociais lembrando de algumas goleadas que já aplicou contra o Flamengo. Por curiosidade, fui dar uma olhada na nossa escalação na maior delas, por 6 x 2 em 2003. Júlio César, Luciano Baiano e Cássio, André Bahia e Fabiano Eller; Fabinho, Jonatas, Igor e Felipe; Jean e Fernando Baiano. O técnico era Nelsinho Baptista. Alívio. Nosso time alternativo hoje em dia conta com nomes como Everton Ribeiro e Vinicius Jr.

Quem passar pega já no próximo sábado o vencedor de Inter e Atlético-MG, que se enfrentam em jogo com 5 titulares do lado do Colorado e nenhum do Galo. Que beleeeeeezaaaa...

Uma pequena aula de como não organizar uma revolução. Uma espécie de maquete da bagunça generalizada do futebol sete a um. De qualquer forma...

Bora torcer.

Isso aqui é Flamengo.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget