Sem paulista, Rimoli diz que Globo perderá audiência com Flamengo

O cardápio desta quarta-feira é Botafogo e Flamengo. Os paulistas sem tevê a cabo precisam se conformar. É o que tem para hoje...

Vinicius Júnior e Ronaldo rindo em treino do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
COSME RIMOLI: Outra vez, lamúrias nos corredores da Globo São Paulo.

Pelo segundo ano seguinte, os clubes paulistas foram incompetentes para chegar sequer à semifinal da Copa do Brasil. A emissora não teve saída. Não houve como adiantar ou atrasar qualquer partida do Campeonato Brasileiro.

Os executivos globais ficaram com um dilema para a noite desta quarta-feira. Mostrar Grêmio e Cruzeiro, em Porto Alegre. Ou Botafogo e Flamengo, no Engenhão.

Houve quem defendesse a exibição de um filme de fácil absorção, como um de ação. Só que os quatro clubes envolvidos na decisão estão 'fechados com a emissora'. Não se deixaram levar pelos milhões que a Turner ofereceu, via Esporte Interativo, para a transmissão do Brasileiro pela tevê a cabo, entre 2019 e 2024.

E o mercado paulista é o mais atraente, o mais rico do país. Lógico que as quatro equipes queriam a exibição de seus jogos. Agradar seus patrocinadores. Serem trocadas por um filme seria uma declaração de guerra.

Encurralada, a Globo não teve o que fazer.

Analisou apenas qual jogo perderia menos audiência.

E escolheu Botafogo e Flamengo, com flashes de Grêmio e Cruzeiro.

Em 2016, já havia passado por drama igual.

Internacional e Atlético Mineiro e, por coincidência, Grêmio e Cruzeiro fizeram a outra semifinal.

A Globo mostrou para São Paulo gremistas e cruzeirenses.

O resultado foi assustador.

A pior audiência de toda Copa do Brasil de 2016.

Apenas 17 pontos.

Não quis cometer o mesmo erro.

Por isso optou pelos cariocas.

Sem grandes esperanças.

Esta quarta-feira fúnebre contrasta com a passada.

A eliminação do Palmeiras diante do Barcelona de Guayaquil acabou sendo muito interessante para a emissora. Foi a maior audiência na Libertadores deste ano, foram 30 pontos.

Agora, a Globo será obrigada a fazer o que também evitava.

Mostrar os jogos do Santos na Libertadores.

O time é considerado um derrubador de audiência.

E a relação piorou com a associação santita com o Esporte Interativo.

Para exemplificar.

No Campeonato Paulista, a emissora mostrou oito partidas do Corinthians. Sete jogos do São Paulo. Seis do Palmeiras. E um do Santos.

Os números, no entanto, foram irônicos. O 'derrubador de audiência', o Santos, ficou teve mais pontos no Ibope. Teve 27 pontos, no clássico contra o São Paulo.

O Corinthians ficou com 26,3 pontos de média.

7 jogos aos domingos e 1 na quarta-feira. 3 clássicos transmitidos

5ª rodada: Corinthians x Palmeiras – 35 pontos
8ª rodada: Ponte Preta x Corinthians – 20 pontos
9ª rodada: Ferroviária x Corinthians – 21 pontos
11ª rodada: São Paulo x Corinthians – 27 pontos
Quartas de final (2º jogo) – Corinthians x Botafogo – 22 pontos
Semifinal (2º jogo) – Corinthians x São Paulo – 29 pontos
Final (1º jogo) – Ponte Preta x Corinthians – 28 pontos
Final (2º jogo) – Corinthians x Ponte Preta – 29 pontos

O São Paulo ficou com 23,1 pontos como média

5 jogos aos domingos e dois em quartas-feiras. 3 clássicos transmitidos

2ª rodada: São Paulo x Ponte Preta – 20 pontos
3ª rodada: Santos x São Paulo – 27 pontos
7ª rodada: São Paulo x Santo André – 18 pontos
10ª rodada: Botafogo-SP x São Paulo – 22 pontos
11ª rodada: São Paulo x Corinthians – 27 pontos
Quartas de final (1º jogo): Linense x São Paulo – 19 pontos
Semifinal (2º jogo): Corinthians x São Paulo – 29 pontos

O Palmeiras teve 21,8 pontos como média.

3 jogos aos domingos, 2 às quartas-feiras e 1 em sábado. 1 clássico transmitido

1ª rodada: Palmeiras x Botafogo-SP – 18 pontos
4ª rodada: Linense x Palmeiras – 17 pontos
5ª rodada: Corinthians x Palmeiras – 35 pontos
6ª rodada: Palmeiras x Ferroviária – 15 pontos (pior audiência do campeonato)
12ª rodada: Ponte Preta x Palmeiras – 23 pontos
Semifinal (1º jogo) – Ponte Preta x Palmeiras – 23 pontos

A quarta-feira à noite tinha de ser de futebol.

A Globo tenta compensar o buraco que a Copa das Confederações deixou para seus patrocinadores. A emissora pretendia no início do ano transmitir a competição. Mas desistiu diante da não participação brasileira. Pesquisas mostraram que não valeria a pena.

Banco Itaú, Brahma, Chevrolet, Johnson e Johnson, Ricardo Eletro e Vivo estão sendo mostrados nas precoces inserções das chamadas da Copa do Mundo de 2018, da Rússia. É uma maneira de agradar.

A audiência do futebol na tevê aberta caiu 22% nos últimos dez anos.

E a emissora segue cobrando R$ 1,6 bilhão dos patrocinadores.

Coca Cola, Volkswagem, Magazine Luíza, Sadia e Casas Bahia já desistiram de seguir patrocinando o futebol na Globo. Por considerarem que o investimento não vale a pena.

A esperança dos executivos da emissora é o time de Tite.

A renovada confiança na Seleção deve valer dinheiro em 2018.

E a Copa do Mundo atrair os patrocinadores.

Mas isso ainda está distante.

O cardápio desta quarta-feira é Botafogo e Flamengo.

Os paulistas sem tevê a cabo precisam se conformar.

É o que tem para hoje...

Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget