"Ao Flamengo eu voltaria de graça", diz Hugo Colace

Fama de raçudo, capitão das seleções de base da Argentina e indicado por Mancuso, ex-jogador do Fla e da Argentina na década de 90.

Foto: Globoesporte.com
GLOBO ESPORTE: Há cerca de 10 anos, Flamengo e Vasco se enfrentavam pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2007 no mês de outubro, assim como acontecerá neste sábado, às 19h, no Maracanã.

Naquela ocasião, o Fla acabou levando a melhor: venceu por 2 a 1 no Maracanã - gols de Toró e Ibson - mas, por pouco, não viu um argentino complicar a sua vida no clássico: Hugo Colace.

Contratado um mês antes, o volante entrou no intervalo da partida para substituir o lesionado Rômulo. Mas com apenas nove minutos em campo, o argentino foi expulso diretamente após uma entrada forte em cima do vascaíno Marcelinho.

- Isso (a expulsão) não foi bom para mim. Mas foi uma boa experiência também, porque todos (flamenguistas) me falam que eu matei um vascaíno (risos) - conta o bem-humorado volante, que 10 anos depois do episódio, diz que retornaria ao Rubro-Negro sem pensar e até sem receber nada em troca.

"Ao Flamengo eu voltaria de graça. Só para trocar o meu passado por lá".

Cão de guarda, indicação de Mancuso e apelido feroz

Fama de raçudo, capitão das seleções de base da Argentina e indicado por Mancuso, ex-jogador do Fla e da Argentina na década de 90: era com essas referências que Hugo Colace desembarcava no Rio de Janeiro para acertar com o Flamengo no início do mês de setembro de 2007.

Depois de uma negociação arrastada com o Estudiantes, o Rubro-Negro levou a melhor e anunciou o volante revelado pelo Argentino Juniors. C destaque da seleção argentina no Mundial sub-20 de 2003 que revelou, entre outros nomes, Carlitos Tevez, Mascherano e Zabaleta e foi eliminada nas semifinais para o Brasil, o campeão do torneio.

Com fama de cão de guarda, como noticiado pela imprensa na época, e o apelido de "El León", assinou um contrato até junho de 2008. Entretanto, após a expulsão diante do Vasco acabou perdendo espaço sem nunca se firmar e pouco entrou em campo com a camisa rubro-negra - foram apenas cinco jogos no total.

Em 2008, sem oportunidades, pediu para deixar o Rubro-Negro e acertou com o Barnsley, da Segunda Divisão da Inglaterra.

- Gostei muito de jogar no Flamengo. Mas eu acho que eu era muito jovem. Agora que passou o tempo fico pensando que agora seria melhor. Acho que a pouca experiência me fez jogar mal. Hoje até falo com o Sambueza (argentino também ex-Flamengo) e nós dois achamos a mesma coisa. Depois fui para a Inglaterra. Futebol é assim. Eu queria ficar, mas não era o momento, porque eu tinha pouca experiência fora. Foi a minha primeira equipe fora da Argentina. Agora com quem eu falo para voltar e mostrar a minha experiência no Flamengo? (risos) - brinca Colace, que recorda da torcida rubro-negra a "fama" que adquiriu após a expulsão contra o Vasco.

- O que eu mais lembro do Flamengo é a torcida. As pessoas só me conheciam na rua porque eu quase matei um vascaíno. Eu só fiquei pouco tempo, mas foi muito bonito. Ainda estou a tempo de jogar bem lá (risos). Lembro de Maxi, Léo Moura, ainda sigo ele, Fábio Luciano, que eu tenho muito respeito, e o Toró.

Ida para Inglaterra, propostas e volta ao mundo

No futebol inglês, Hugo Colace atuou por quase quatro temporadas no Barnsley, onde disputou mais de 100 partidas oficiais. O argentino conta que, durante o tempo em que esteve no clube inglês recebeu propostas para defender duas equipes que estão atualmente na Premier League: Crystal Palace e Swansea. Entretanto, garante que recusou as ofertas para seguir no Barnsley.

- Na Inglaterra eu fiquei por quatro anos. Acho que o meu melhor momento na carreira foi lá. Tive propostas de Crystal Palace e Swansea, mas eu fiquei no Barnsley mesmo, porque eu já tinha jogado dois anos maravilhosos no clube. A torcida gostava muito de mim. Então assinei por mais dois anos no Barnsley. Meu coração era do Barnsley - afirma Colace.

Hugo Colace deixou o futebol inglês em 2011 e, a partir daí, rodou por Estudiantes Tecos (México), Auxerre (França), All Boys (Argentina), Olimpo (Argentina), Deportivo Capiatá (Paraguai) e Mons Calpe (Gibraltar). Na última janela de transferências na Europa, acertou com o modestíssimo Atlético de Arcos, da Terceira Divisão de Portugal.

Lá, tem trabalhado com outros dois brasileiros: o goleiro Guilherme Cioletti e o atacante Zé Roberto, com quem, inclusive, brinca sobre a passagem pelo Flamengo.

- Agora eu estou jogando com um jovem que é torcedor do Flamengo. Eu falo que ele ainda não tinha nascido quando eu joguei pelo Flamengo. É o Zé Roberto, não é conhecido, mas jogou no Japão também.

Futuro aberto

Com o contrato no time português válido até o dia 30 de novembro, Hugo Colace sonha com um retorno ao Flamengo. Mais experiente, cita até Léo Moura, outro ex-rubro-negro e atualmente no Grêmio, para cavar um vaga no time carioca.

- Gostaria muito, nada é impossível. Agora com experiência eu voltaria, sim. Agora eu mesmo que falo com os clubes. Não preciso de intermediários. Mas gostaria muito de voltar. Você acha que com 33 anos ainda pode dar? O Léo Moura tem 38 anos, eu acho - encerra o argentino.




Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget