Carabao atrasa pagamento e pode até romper com o Flamengo

O contrato com a Carabao pode ser encerrado caso, no fim de setembro de 2018, as vendas ficarem abaixo de 37 milhões de unidades.

Fred Luz e Daniel Orlean na apresentação da Carabao no Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
GLOBO ESPORTE: Patrocinadora anunciada pelo Flamengo com festa no começo do ano - com investimento total que poderia chegar a quase R$ 200 milhões em seis anos de contrato -, a Carabao sofre para para se estruturar no mercado brasileiro. As dificuldades da parceira rubro-negra afetaram novamente o repasse de verba para o Rubro-Negro. Houve novo atraso de pagamento da empresa para o clube, o que ameaça o estruturado fluxo de caixa do clube da Gávea. Reflexos, com dias de atraso em pagamentos de direitos de imagem no futebol, foram sentidos recentemente.

Por contrato, está previsto que a empresa tailandesa, depois de pagar R$ 15 milhões pelas mangas em 2017, assuma o patrocínio master - hoje da Caixa, que paga R$ 25 milhões anuais - em 2018, por R$ 35 milhões. Porém, a situação é delicada e preocupa num cenário de poucos investidores no mercado esportivo. No Flamengo, há misto de ceticismo com pessimismo para ver a Carabao assumir o principal espaço do uniforme em 2018.

Procurado sobre as informações da reportagem, o Rubro-Negro preferiu não comentar o assunto oficialmente. Nos bastidores, há reconhecimento do problema e um sinal de alerta ligado. Dirigentes do clube preferem não expor o caso e valorizam o parceiro, mas há insatisfação com o cenário. Internamente, o departamento financeiro busca alternativas para que os atrasos não afetem o funcionamento normal e os pagamentos do clube - incluindo o futebol.

O contrato com a Carabao pode ser encerrado caso, no fim de setembro de 2018, as vendas ficarem abaixo de 37 milhões de unidades. Nesta hipótese, a empresa da Tailândia pode até encerrar o acordo sem justa causa.

O GloboEsporte.com publicou duas reportagens sobre as dificuldades da Carabao no Brasil. Na primeira, mostrou a falha distribuição do produto e as metas consideradas dificílimas por agentes do mercado e concorrentes. Na última, no início de setembro, contou que a Carabao preparava ofensiva no mercado brasileiro e passava por uma fase de reformulação.

Houve mudanças na equipe de profissionais da empresa, como a troca de um gerente de vendas e outro de marketing. No entanto, as mudanças não surtiram efeito prático algum até o momento.

Até agora, nem Flamengo nem Carabao comentam se a meta de vendas de bebidas está muito aquém do esperado - ou mesmo, quantas latinhas foram vendidas, como está o ritmo das vendas. Nos bastidores, o comentário é de que a meta de vendas ainda está longe de ser alcançada.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, comentou os problemas da Carabao no cenário nacional, mas reforçou a confiança sobre o sucesso da parceria.

- A dificuldade de iniciar uma operação num país estrangeiro todo mundo tem, mas nosso departamento de marketing está trabalhando em conjunto com eles e acompanhando tudo. Tenho muita confiança de que é uma parceria que vai durar muito tempo - afirmou Bandeira.

Atualmente, a Carabao tem cerca de dois mil pontos de venda de uma malha de mais de um milhão por todo o Brasil. A distribuição segue sendo um problema sério. Nos relatórios do setor, o energético ainda está longe do top 5 no cenário nacional.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget