Com Lincoln e Paulinho, Brasil enfrenta forte Inglaterra no Sub-17

Tanto Brenner (São Paulo), quanto Paulinho (Vasco) e Lincoln (Flamengo) têm três gols e estão há dois do artilheiro alemão Arp.

Paulinho e Lincoln, jogadores de Vasco e Flamengo - Foto: Divulgação
ESPORTE INTERATIVO: A Copa do Mundo sub-17 vai chegando nos seus últimos capítulos e conhecerá seus finalistas nesta manhã de quarta-feira (25). Primeiro, o Brasil enfrenta a Inglaterra, às 9h30. Na sequência, a Espanha encara a equipe de Mali, às 12h30. Os dois duelos são equilibradíssimos e trazem cotações altíssimas, de acordo com o Oddsshark.com.

Geração de ouro do Brasil

Lindas jogadas, golaços, vitórias confortáveis e na base da superação, o Brasil tem feito de tudo no Mundial Sub-17. Mesmo sem o principal jogador da geração, o atacante Vinicius Jr, a seleção não tem se intimidado e tem batido até em rivais na briga pelo título. Na fase de grupos, o alvo foi a Espanha, que foi superada por 2 a 1. Já nas quartas de final, o triunfo veio sobre a Alemanha, pelo mesmo placar.

Tamanho sucesso se deve ao talento de toda equipe. Prova disso é que o time tem três jogadores brigando pela artilharia. Tanto Brenner (São Paulo), quanto Paulinho (Vasco) e Lincoln (Flamengo) têm três gols e estão há dois do artilheiro alemão Arp, que está fora da disputa. O trio é apenas um exemplo em meio a um grupo que tem despertado interesse dos principais clubes europeus. Falta agora dar o próximo passo: encerrar em jejum de 12 anos sem chegar em uma decisão. Para isso, precisa vencer a Inglaterra, o que está cotado em 2.22 para 1.00.

Ingleses chegam fortes

O empate em 0 a 0 com o Japão nas oitavas de final havia tirado um pouco a moral da Inglaterra na competição. No entanto, a seleção voltou a encontrar o futebol da Euro e que o colocou como uma das candidatas ao título, e com isso atropelou os Estados Unidos nas quartas de final. Com um show de Brewster, que anotou três gols, os ingleses voltaram a mostrar que podem chegar a uma inédita decisão. Aliás, esta geração já está fazendo história, pois pela primeira vez o país alcançou esta fase do torneio. Se conseguir dar mais um passo e consiga uma vitória sobre o Brasil rende 3.30.

Superioridade africana

Quem acompanha as seleções de base sabe que as equipes africanas são extremamente fortes e dão trabalho nos mundiais. O que talvez não saibam é que a presença do continente em finais é algo quase que certa. Das 16 edições do torneio sub-17, por exemplo, em 11 tinha no mínimo um representante da África. E esta estatística não se refere somente ao passado.

De 1997 para cá, somente em 2011, quando o México enfrentou o Uruguai, que a região ficou de fora – algo extremamente baixo considerando que a competição é disputada a cada dois anos. Aliás, nesta edição, nenhuma das seleções sequer conseguiu chegar na semifinal. Em compensação, a última final foi dominada pelos africanos, com a decisão acontecendo entre Nigéria e Mali.

É exatamente Mali que vem com a missão de manter este retrospecto. A seleção que ganhou o Campeonato africano da categoria com três vitórias e dois empates, vem fazendo bonito neste Mundial, principalmente no ataque. Foram cinco partidas, com quatro triunfos e uma derrota para Paraguai, com um total de 15 gols marcados e seis sofridos. No entanto, é bom lembrar que os adversários foram mais frágeis que os dos concorrentes, tendo passado por Nova Zelândia e Iraque, além de Gana, nas quartas de final, quando Mali ganhou por 2 a 1. Por este motivo, a equipe vem menos cotada para a partida, com 4.28, de acordo com dados do Oddsshark.com.

Espanha vive ano quase perfeito

Assim como na Euro sub-17, a Espanha foi derrotada exatamente quando podia, na fase de grupos. No torneio continental, a seleção caiu para a Grécia e se encontrou passando pelas fortes Itália, França, Alemanha e Inglaterra, e agora vem repetindo esta história no Mundial.

Após perder na estreia para o Brasil por 2 a 1, o time botou a bola no chão e só teve dificuldades contra a França, quando precisou de um gol de Abel Ruiz nos acréscimos. O atacante do Barcelona, por sinal, é o principal nome do país na competição, tendo anotado quatro gols. Brigando pela artilharia, o jogador tenta levar os espanhóis para a quarta decisão, para enfim levantar o caneco pela primeira vez. O triunfo na semifinal está cotado em 1.84.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget