E o sono do Flamengo continua

Algo que reforça a tese é que o Flamengo, nesse ano, não ganhou nenhuma partida, após sair atrás no placar.

Renê e Rômulo no Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
MEDIUM: Por Rafael Abreu

Mais um jogo do Flamengo, São Paulo x Flamengo pelo Brasileirão. Enquanto um tem que lutar pela sobrevivência na elite do futebol brasileiro, o outro também deveria lutar, mas pela Libertadores. Desde o início do Brasileirão, contra o Atlético-MG, no Maracanã, parecia que o Flamengo já estava garantido na Libertadores, afinal joga sem ânimo, em muitos vontades alterna entre falta de vontade e falta de qualidade. Algo que reforça a tese é que o Flamengo, nesse ano, não ganhou NENHUMA partida, após sair atrás no placar.

Os únicos momentos em que Flamengo foi forte, teve raça, qualidade e vontade foi nos jogos válidos pela competição Conmebol Libertadores Bridgestone, mas apenas como mandante. Na partida contra o Atlético PR em casa, o Flamengo abriu 2x0 no primeiro tempo, mas com a lesão do Diego — lesão que prejudicou o ano rubro-negro — , o Furacão descontou com Nikão e foi para cima. O time do Flamengo se encontrava cansado, sem saber o que fazer, afinal, as duas principais substituições do Flamengo foram Matheus Sávio e Marcelo Cirino, o segundo foi até aplaudido pela torcida numa tentativa de ajudar o jogador. Nesse dia, o Flamengo lutou e ganhou por 2x1.

O outro momento, foi Flamengo x Universidad Católica, no Maracanã, novamente pela Conmebol Libertadores Bridgestone. Nesse jogo, o Flamengo não tinha Diego, destaque rubro-negro, até então. No começo do jogo, o Flamengo começou mal, dando espaços à Católica, que tinha El Tanque Silva e o baixinho Buonannote; o primeiro tempo, em si, foi bem fraco mesmo. No segundo tempo, o ex-técnico Zé Ricardo, percebeu o fraco tempo e colocou o Rodinei, que logo fez um gol após um rebote de uma falta cobrada por Guerrero. A alegria durou pouco, alguns minutos depois, Santiago Silva empatou em mais uma bobeira da defesa. Empurrado por 60 mil pessoas, o Flamengo conseguiu lutar e na qualidade de Guerrero como pivô, ele conseguiu marcar para o Flamengo e no final, num contra-ataque, Trauco conseguiu marcar. Esse dia foi ótimo, houve raça e técnica.

Após esses jogos, houve troca de treinador, contratações de ótimos jogadores, mas parece que o espírito do Flamengo não mudou, continua o mesmo. O Flamengo ganhou? Ótimo, parabéns. O Flamengo perdeu? Ok. É indiferente, e isso transmite um sentimento de desânimo, às vezes sabe-se que o Flamengo poderia ganhar. Você entra nas redes sociais e vê a torcida desanimada com o jogo.

O Flamengo tem que ter vontade de ganhar. Pela torcida.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget