Fábio Luciano critica Muralha e ensina Réver a ser capitão do Flamengo

Para Fábio, o erro de Alex não foi o de pular todas as cobranças no mesmo canto e sim provocar os jogadores cruzeirenses antes das batidas.

Fábio Luciano, ex-capitão do Flamengo - Foto: André Mourão/Agif/Gazeta Press
EXTRA GLOBO: Já se passou uma semana desde a final da Copa do Brasil, conquistada pelo Cruzeiro, mas o jogo continua rendendo assunto. Considerado um dos melhores zagueiros da história recente do Flamengo, vice-campeão, o ex-jogador Fábio Luciano fez duras críticas ao desempenho do goleiro Alex Roberto na disputa de pênaltis entre o Rubro-Negro e a Raposa. Alex não defendeu um pênalti e os cruzeirenses ficaram com o título ao vencerem por 5 a 3. Para Fábio, o erro de Alex não foi o de pular todas as cobranças no mesmo canto (direito) e sim provocar os jogadores cruzeirenses antes das batidas.

“Eu acho que a única falha dele, que não é falha de pegar... acho que o único erro que ele teve nessa disputa de penalidades que se eu fosse o capitão ia chegar e falar ‘Irmão, para com isso’... Foi assim... todo jogador do Cruzeiro que ia bater o pênalti, ele ia lá e ficava enchendo o saco do cara. Mas ele não estava na situação para fazer isso. Ele não é um Marcos, um Dida, um cara que pega. Porque esse incomoda. Eu falaria ‘Irmão, concentra... vai lá para o gol, concentra, faz o seu... não desfoca, enchendo o saco...’ Quando o Hudson foi bater, o Hudson olhou para a cara dele e deu risada. Mas por qual motivo deu risada? Porque o jogador não é burro. Ele pensa ‘Irmão, você não pegou um pênalti até agora, quer vir aqui me encher o saco, vai para o gol...’ Então, o que ele achou que estava assombrando o jogador, estava motivando”, disse Fábio, em participação no programa Noite dos Craques, do canal Esporte Interativo.

“Você vê... O Léo é zagueiro. Zagueiro é zagueiro, o cara é um pouco mais duro. Vai na segurança do que vai fazer. Mas o Léo bateu com uma raiva... Você que ele fez o gol e mandou ‘então pega aí o seu...’ Então não tinha necessidade disso. E é isso que eu falo do capitão. Tinha que chegar alguém no Muralha e dizer ‘Foca, irmão... vai para o gol... passa pelo atacante batido, vai para debaixo do pau, olha para a cara do cara, abre o olho desse tamanho, abre os braços...’ o cara vai falar ‘esse cara é um louco’... Agora, você vai lá, o cara tá arrumando a bola e você fica ‘Vou pegar, você vai bater naquele canto, não sei o que...’. Aí o jogador do Cruzeiro fala ‘Que momento você tá vivendo para me pressionar, que moral você tem?’... E aí o jogador, naquele momento que ele, o Muralha, achou que estava fazendo mal, se motivou mais...”, acrescentou o eterno capitão rubro-negro.

Por fim, Fábio afirmou como agiria se Alex Roberto fizesse o mesmo com ele.

“Se ele faz isso comigo, eu falo ‘Irmão, você não vai pegar um pênalti meu nem a pau’... Eu gosto do Muralha, torço para ele dar certo... Chegar com pressão, torcida, já é responsabilidade... não precisa jogar mais uma motivação para o cara. E acabou que ele não pegou pênalti, os caras não deixaram. O cara vai mais concentrado, vai mais seguro... não precisava disso”, finalizou.

Após perder a final da Copa do Brasil para o Cruzeiro, o Flamengo voltou a jogar pelo Campeonato Brasileiro na segunda-feira e foi derrotado pela Ponte Preta por 1 a 0, em Campinas.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget