Promessas de Flamengo e Vasco esbanjam sintonia na Seleção

A chamada da dupla funcionou. Pouco a pouco, o time cresceu, criou várias chances e superou a defesa adversária.

Foto: Divulgação
GLOBO ESPORTE: Os moleques começaram com tudo. Já teve jogão, teve gol, vitória e dancinha. Um atua no Flamengo. O outro, no Vasco. Mas na seleção brasileira sub-17 a sintonia entre eles é muito maior do que qualquer rivalidade. Lincoln e Paulinho mostraram logo na estreia no Mundial da categoria que podem dar muito ao Brasil na competição. Foram deles os gols da equipe na vitória por 2 a 1 sobre a Espanha, de virada, neste sábado, em Cochim, na Índia.

Mas antes de comemoraram, precisaram acalmar os ânimos do time. Juntos, reuniram outros jogadores um pouco mais experientes logo que a Espanha abriu o placar, aos cinco minutos de jogo - gol contra do lateral-direito Wesley. Era preciso chacoalhar, respirar fundo e recomeçar.

- A gente sabia que não ia ter jogo fácil. Não vai ter jogo fácil na competição. A Espanha é muito qualificada. Chamei o Paulinho, chamamos o Alan depois do gol deles, falamos com o Vitão também, com os mais experientes, para acalmarmos o nosso grupo - contou Lincoln, o camisa 9.

A chamada da dupla funcionou. Pouco a pouco, o time cresceu, criou várias chances e superou a defesa adversária. Primeiro, o empate com Lincoln. Depois, já nos acréscimos do primeiro tempo, a virada com Paulinho. Levinhos, levinhos...dançaram.

- A primeira dança foi o passinho de funk. Na segunda, o Paulinho sambando. É um grupo muito alegre, muito descontraído (risos). A tendência é crescer durante a competição. Brenner, Paulinho e Alan são excepcionais - contou Lincoln.

O Brasil mostrou estar bem preparado psicologicamente. É o primeiro Mundial de todos os jogadores. E o time ainda carrega o favoritismo na competição.

- A gente trabalhou muito duro na preparação para esse jogo. Esse é nosso forte, mentalmente. A gente tem que se preparar muito na prática, mas mentalmente tem que ser o principal. Uma vitória importante para seguir o campeonato bem - afirmou Paulinho.

Joias da base

O jogador do Vasco tem 17 anos, é fã de Cristiano Ronaldo e tem porte físico mais avantajado - mede 1,74m e pesa 75 kg -, fruto de um trabalho antigo de alimentação e suplementação e de dedicação diária – tudo com aval do clube. Xodó na base de São Januário, subiu para o profissional e tem sido monitorado constantemente pelos principais clubes da Europa, que possuem olheiros no Brasil.

Lincoln, aos 16, ainda não é profissional do Flamengo, mas é tratado com joia do Rubro-Negro. A multa rescisória dele é de R$100 milhões. É o tipo de atacante que fica à vontade com a camisa 9.

- Quem veste essa camisa tem que fazer gol sempre - frisou.

A dupla vai bem e fica ainda melhor quando ganha o reforço de Brenner. O atacante do São Paulo assumiu a vaga de Vinicius Junior no time titular.

- Esses três, esse conjunto que nós temos, ele foi construído ao longo desse processo. Sai um, entra outro, sabem como conduzir, se conhecem, gostam do jogo de concentração, infiltração, essa alegria de estarem juntos. São agudos, criam problema para a defesa adversária, mas não querem só atacar. Colaboram com meio-campo, com a defesa. Todos os nossos jogadores são assim, buscam o trabalho em conjunto. Eles sabem que isso desgasta os adversários e eles vão crescendo ao longo da competição. Eles sabem atacar - comentou o técnico Carlos Amadeu.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget