Argentina leva vantagem sobre o Brasil em finais sulamericanas

Na Copa Mercosul, que teve apenas quatro edições, uma final entre Flamengo e San Lorenzo e o título para o Ciclón, em 2001.

LANCE: Brasil e Argentina, sem dúvidas, registram a maior rivalidade de países no futebol mundial. E neste ano de 2017, os 'deuses do futebol' colocaram frente a frente os dois países para decidir a Copa Libertadores. Do lado brasileiro, o Grêmio será o representante diante do Lanús, da Argentina. Os jogo acontecem nos dias 22 de novembro, em Porto Alegre, e dia 29 de novembro, em Buenos Aires. Contando com mais um decisão, o Lance! fez um levantamento de todas as grandes finais continentais para ver quem leva a melhor. Pior para nós. Os hermanos levam ligeira vantagem de 18 a 15, em 33 decisões. Os torneios são Copa Libertadores, Copa Sul-Americana, Recopa Sul-Americana e as extintas Copa Conmebol, Copa Mercosul e Supercopa da Libertadores.

Time do Flamengo na Sul-Americana - Foto: Gilvan de Souza

Para começar a contar, vamos falar da Libertadores. Os argentinos são os clubes com mais títulos da competição e já enfrentaram os brasileiros em 13 oportunidades na decisão. Nessa competição, a vantagem é total com nove títulos conquistados pelos hermanos e somente quatro para o Brasil. A final mais recente aconteceu em 2012, quando o Corinthians foi campeão contra o Boca Juniors. Anteriormente, o São Paulo venceu o Newell's Old Boys, em 1992, o Cruzeiro bateu o River Plate em 1976 e o Santos também o Boca em 1963. Os Xeneizes, inclusive, são o que mais venceram os brasileiros nesta competição. Ao todo são cinco finais, com três vitórias e duas derrotas. O Estudiantes jogou duas vezes e venceu ambas, assim como o Independiente.

Outra competição que ainda está em disputa atualmente, a Copa Sul-Americana, os brasileiros equilibram mais os números. Em quatro finais, são duas vitórias para cada lado, com Inter em 2008, sobre o Estudiantes, e São Paulo em 2012, sobre o Tigre. Em 2010 e 2013, Goiás e Ponte Preta perderam para Independiente e Lanús, respectivamente.

Na extinta Copa Conmebol, o Brasil e Argentina possuem os mesmos números que na Sul-Americana, dois títulos cada em quatro finais. Atlético-MG e Santos venceram Lanús em 1997 e Rosário Central em 1998, consecutivamente. Já o mesmo Galo perdeu para o Rosário em 1995 e o modesto CSA, de Alagoas, perdeu a decisão para o Talleres de Córdoba, na última edição da competição em 1999. Na Copa Mercosul, que teve apenas quatro edições, uma final entre Flamengo e San Lorenzo e o título para o Ciclón, em 2001.

Na Supercopa da Libertadores, a situação também é ruim para os brasileiros. Em seis decisões, são quatro derrotas e somente duas conquistas, todas com o Cruzeiro em 1991 e 1992, em cima do River Plate e do Racing. A própria Raposa também já perdeu duas vezes, para o mesmo Racing e para o Independiente. Flamengo também foi derrotado pelo Independiente em 1995 e o São Paulo para o River, em 1997.

Na Recopa da Libertadores, um alento para os brasileiros. Apenas o São Paulo, em 2006, perdeu a disputa para o Boca Juniors. Já nas outras quatro vezes, o Brasil levou a melhor com o Grêmio derrotando o Independiente, em 1996, Cruzeiro bateu o River em 1998, o Inter o mesmo Independiente em 2011 e o Atlético-MG ganhou do Lanús, rival do Grêmio na final desta Libertadores, em 2014.

Em números absolutos, o grande papão argentino é o Boca Juniors, que venceu cinco de sete decisões contra os brasileiros. Pelo nosso lado, o Internacional nunca perdeu, com dois triunfos em duas finais. O Cruzeiro é quem mais encarou hermanos com oito confrontos decisivos, tendo 50% de aproveitamento (quatro vitórias e quatro derrotas). Flamengo e Palmeiras, por sua vez, perderam as duas finais que jogaram com argentinos. Já o São Paulo, em cinco soma dois títulos e três perdas. Santos e Atlético-MG foram campeões duas vezes em três disputas, enquanto o Grêmio apenas uma vez em três também. Goiás, Ponte Preta e CSA perderam a única final que jogaram.

Entre os argentinos, além do Boca, o Independiente tem boa vantagem com quatro conquistas em seis disputas. O River Plate perdeu três de quatro decisões. O Lanús venceu uma e foi derrotado em outras duas e o Vélez Sarsfield saiu campeão nas duas oportunidades que teve. O Estudiantes foi campeão duas vezes em três finais, enquanto o Rosário Central venceu uma e perdeu a outra. Talleres de Córdoba e San Lorenzo venceram a única decisão contra brasileiros e o Newell's perdeu na única vez.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget