As últimas definições

Tite chamou dois Diegos. O do Flamengo, e o Souza, do Sport. Eu não chamaria nenhum deles. Não vejo bola neles, no momento;

SUPER ESPORTES: Jaeci Carvalho

Os jogadores da Seleção Brasileira começaram a se apresentar no fim de semana e hoje o grupo deverá estar completo. O amistoso contra o Japão, sexta-feira, na fria Lille (pela proximidade com Bruxelas, a temperatura lá é bem mais baixa que na capital francesa), deverá dar uma noção do que o técnico Tite pretende analisar nos dois jogos. Esse contra o Japão não é aquele teste com o qual sonhamos, mas o de terça que vem, contra a Inglaterra, sim. Dará uma noção de como estamos no enfrentamento com a escola europeia. Ainda mais com esta Inglaterra renovada, com grandes jogadores e muita técnica. Não existe mais só aquele chuveirinho, bolas alçadas na área. Os ingleses aprenderam a pôr a bola no chão e têm um time muito interessante. O Brasil, sob o comando de Tite, só enfrentou sul-americanos. Chegou a hora de testar o time, elogiado por todos, contra asiáticos e europeus. Em março, teremos os dois últimos amistosos antes da convocação final para a Rússia, justamente contra os donos da casa, em Moscou, e a Alemanha, em Berlim. Não venham me falar em vingar os 7 a 1, pois isso só será possível quando enfiarmos sete nos alemães na casa deles, numa semifinal de Copa do Mundo. Do contrário, é pura balela. Ainda mais em amistoso.

Foto: AFP
Tite chamou dois Diegos. O do Flamengo, e o Souza, do Sport. Eu não chamaria nenhum deles. Não vejo bola neles, no momento, para vestir a camisa amarela. A carência de craques no nosso futebol faz com que repatriemos ex-jogadores em atividade. Os clubes brasileiros estão cheios de gente jogando pouco e ganhando verdadeiras fortunas que nem aqui no Velho Mundo ganhavam mais. O futebol brasileiro é uma mãe. Os clubes parecem nadar em dinheiro, quando na verdade estão de pires na mão, a maioria com cotas de TV antecipadas até 2020.

Voltando ao time canarinho, Tite tenha achar um reserva para Gabriel Jesus. Eu não hesitaria. Convocaria Diego Tardelli, que é craque. Melhor que os dois Diegos convocados agora. Não sei se Firmino, que tem outro estilo de jogo, seria interessante para a reserva do atacante do City. Não gosto de centroavante paradão na área. Mas ele é bom jogador. Paulinho, tão criticado por mim, está conquistando a torcida do Barcelona. Quero ver contra a Alemanha, em Copa do Mundo.

Neymar não poderia estar mais feliz com a chance de fazer o primeiro amistoso com Tite justamente na França. Ele é ídolo do Paris Saint-Germain e, com certeza, a torcida em Lille vai apoiar o jogador e a Seleção. Neymar é nosso único craque e precisa ser protagonista no clube e na Seleção. Tem de amadurecer em campo. Evitar cai-cai, discussão com companheiros e com o árbitro. As notícias por aqui são de que ele e o técnico espanhol Unai Emery não se suportam mais. Claro que a corda vai estourar no lado do treinador, pois o fato de Neymar ter custado R$ 822 milhões lhe dá privilégios que nenhum outro jogador tem. Não duvido ainda que Cavani seja negociado ao fim da temporada. Ele e Neymar também não se suportam. Porém, na Seleção, Neymar é adorado e todos jogam em prol dele. Tem liberdade para criar e jogar por todos os setores. Com Tite, ele aprendeu a ser mais coletivo. Vamos ver o que o Brasil vai mostrar no Velho Mundo. Espero ver dois belos espetáculos, na França e na Inglaterra.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget