Com a 10 no Maraca, Diego é goleador e está invicto pelo Flamengo

Com o número que foi eternizado por Zico, a relação é de muito sucesso. Principalmente no Maracanã.

GLOBO ESPORTE: Diego chegou à Gávea em julho de 2016 para ser o 10 que a torcida tanto sentia falta. E tem sido assim: é o 10 de fato, mas não de direito e por respeito - a Ederson, dono do número desde 2015. Armador que pensa o jogo e atua centralizado, conquistou a torcida com gols, boas atuações e frases de efeito.

Nesta quinta-feira, às 21h45, no Maracanã, contra o Junior Barranquilla, a dobradinha 10 e Maracanã se repete na trajetória rubro-negra de Diego. O duelo é o primeiro entre os clubes pela semifinal da Copa Sul-Americana.

Foto: Buda Mendes/Getty Images
Na atual temporada, vieram oscilação e algumas vaias como consequência da queda de rendimento. Porém, com o número que foi eternizado por Zico, a relação é de muito sucesso. Principalmente no Maracanã.

- Com certeza (traz sorte). Jogos que participei e gols que fiz com ela foram importantes e ficaram marcados com certeza na minha memória. Então vesti-la é uma motivação extra. São detalhes que emocionam e motivam.

- Quando você chega no estádio e vê a camisa 10 com seu nome é uma motivação extra. É um prazer poder utilizar essa camisa. O importante é que a equipe sempre vença, mas são situações que nos dão extremo prazer - afirmou.

No estádio, jogou quatro vezes com a 10 às costas. Tem mesmo número de gols (média de 0,75 por jogo) e vitórias nessas condições (83,3% de aproveitamento): três. De quebra ainda está invicto. Na única vez que não venceu, celebrou no Maraca classificação contra um rival, obtida diante do Fluminense, nas quartas de final da Sul-Americana.

Neste clássico, fez o primeiro gol do seu time num duelo emocionante que terminou em 3 a 3 após o adversário abrir vantagem de dois gols.

No mesmo palco, fez seus únicos gols de falta como rubro-negro, ambos de 10: o contra o próprio Tricolor e o outro diante do San Lorenzo (4x0) - veja em GIF abaixo -, jogo no qual o Flamengo estreou na Libertadores 2017 e em que Diego vestiu o número pela primeira vez no ex-maior do mundo.

- Quando eu digo que foram alguns fatores que me atraíram a jogar no Flamengo, sem dúvida que o Zico usando a camisa 10 foi um deles. Lógico que esse número 35 tem um significado muito grande para mim, e eu me identifiquei bem e me sinto bem ao ver com a camisa 35 (a escolheu em homenagem às idades que seus filhos, Matteo e Davi, tinham em 2016).

- Assim como a do Santos pelo que o Pelé fez com ela, a 10 do Flamengo, com a grandeza do clube e a grandeza do jogador que usou ela, faz dela mais do que especial.

Sem a 10, também invicto e com gols importantes

Com a 35 no Maracanã, Diego também está invicto, mas o número de vitórias (cinco) é inferior ao de empates (oito). O jogador de 32 anos, porém, também registra números individuais relevantes. Dignos de atacante. São sete gols em 13 partidas - média de 0,53 por jogo.

Dois destes sete gols foram importantes. No ano passado, na penúltima rodada do Brasileiro, fez um golaço contra o Santos, clube que o formou, e não se furtou de comemorar o voleio que sacramentou os 2 a 0. Na atual temporada, classificou o Flamengo para final da Copa do Brasil ao marcar o único gol da vitória sobre o Botafogo.

Confira todos os gols de Diego no Maracanã

01/11/2017 - Flamengo 3x3 Fluminense
23/08/2017 - Flamengo 1x0 Botafogo
18/06/2017 - Flamengo 2x2 Fluminense
12/04/2017 - Flamengo 2x1 Atlético-PR
08/03/2017 - Flamengo 4x0 San Lorenzo
27/11/2016 - Flamengo 2x0 Santos
20/11/2016 - Flamengo 2x2 Coritiba


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget