Contratação de Guerrero pelo Flamengo valeu a pena?

Sua entrega ao Flamengo está bem abaixo da expectativa gerada em junho de 2015, quando o clube oficializou sua contratação.

GILMAR FERREIRA: Quer dizer então que Paolo Guerrero, recuperado de dores na coxa esquerda, queria estar em campo neste Fla-Flu das quartas-de-final da Sul-Americana para "chegar em bom nível na seleção peruana", como disse Reinaldo Rueda nesta terça-feira?

Será mesmo que a preocupação do jogador era essa?

Não creio.

Mas, embora imagine o tanto que representa para o país dele a vaga na Copa da Rússia, devo lembrar ao competente atacante uma triste constatação.

Foto: Gilvan de Souza
Sua entrega ao Flamengo está bem abaixo da expectativa gerada em junho de 2015, quando o clube oficializou sua contratação.

Operação, aliás, adiantada aqui neste espaço em maio, quase um mês antes.

E QUANDO falo em "entrega" não me refiro à dedicação e ao comprometimento, mas em retorno desportivo e financeiro.

A aquisição de Guerrero em seu primeiro contrato de três anos custou ao Flamengo algo em torno de R$ 40 milhões.

Desde então, já foram 105 jogos, 42 gols (um gol a cada quatro jogos) e um título estadual.

Aos 33 anos, o peruano começa a sofrer um pouco mais com os problemas musculares e a ser menos decisivo.

Não há dúvidas de que se trata de um baita atacante, e é claro que sem ele o Flamengo é menos letal.

Mas é fato: o custo & benefício de Guerrero até agora não é bom.

EM SEUS PRIMEIROS seis meses, em 2015, não houve retorno técnico.

O atacante chegou ao clube no segundo semestre e jogou 18 das 30 partidas desde então _ exatos 60%.

Fez quatro gols, e o time ficou em décimo-segundo lugar no Brasileiro.

Em 2016, com a chegada de outros reforços, o Flamengo conseguiu ao menos chegar à Libertadores.

Guerrero esteve em campo em 43 dos 66 jogos (65,1%) do time e marcou 18 gols, nove deles no Brasileiro.

Este ano, participou de 44 das 71 partidas (61,9%) e "anotou" vinte gols, mas apenas seis na Série A.

Na Copa Sul-Americana, participou de três dos quatro jogos do time em 2016.

E de dois dos cinco jogos da edição deste ano - seis, com o Fla-Flu de hoje.

O TEMA é sensível e divide opiniões, até no próprio clube.

Mas a conta é simples...

Se a operação mobilizou cerca de R$ 40 milhões por três temporadas, cada uma delas custa algo em torno dos R$ 13 milhões _ um por mês, mais o 13° salário.

E duas temporadas se foram, com o título estadual de saldo.

Valeu a pena?

CURIOSO é que muitos agora lamentam a liberação de Leandro Damião, contratado ao Santos para suprir as ausências do peruano.

Apostou-se na contratação de Berrio e, depois, no desabrochar de Vizeu.

Hoje, discutem a necessidade de uma nova contratação...


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget