Flamengo chega ao fim da temporada desmantelado por lesões

A fratura de Diego Alves engrossa a estatística de contusões importantes de medalhões na temporada.

GLOBO ESPORTE: Que o Flamengo decepcionou sua torcida no ano com mau desempenho no Brasileiro e eliminação na primeira fase da Libertadores ninguém contesta, mas é preciso registrar também que a sorte não anda muita amiga do time. São inúmeros problemas em 2017.

A fratura de Diego Alves - na clavícula direita após choque com González -, nesta quinta-feira, na virada por 2 a 1 sobre o Junior Barranquilla, engrossa a estatística de contusões importantes de medalhões na temporada.

Isso sem falar do câncer de Ederson e do doping de Guerrero. Confira lista abaixo:

Diego Alves deixando jogo do Flamengo lesionado e com dores - Foto: Celso Pupo / Fim de Jogo
Diego contunde joelho direito

Após ótimo 2016 pelo Flamengo, Diego começou a temporada seguinte no mesmo nível. Somava gols importantes e jogava muito bem até sofrer contusão grave em 12 de abril deste ano, na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-PR, na terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

Depois de marcar um golaço na etapa inicial, levou forte pancada no segundo tempo e contundiu o ligamento colateral e o menisco medial do joelho direito.

Acabou 53 dias fora de ação, voltando no segundo tempo do empate por 0 a 0 com o Botafogo, em Volta Redonda. No período, fez muita falta no segundo turno da fase de grupos da Libertadores, e o Flamengo caiu. Perdeu também as finais do Carioca.

Fratura de Thiago

Goleiro de Seleção em 2016, Alex Muralha caiu demais no início da atual temporada e acabou barrado na sexta rodada do Brasileiro. O garoto Thiago assumiu a vaga e alternou bons e maus momentos.

No fim de sua passagem, Zé Ricardo chegou a revezar os dois goleiros. Quando Rueda chegou, apostou em Alex Muralha, mas o goleiro acabou expulso contra o Botafogo.

O colombiano resolveu testar os dois antes da final da Copa do Brasil - já que Diego Alves não podia jogar a competição -, e Muralha falhou contra o Paraná na Primeira Liga e, nos pênaltis, não pegou nenhum.

A vaga era de Thiago, que tinha o apoio da torcida. O goleiro falhou na primeira partida da decisão da Copa do Brasil, em 7 de setembro. Nove dias depois, fraturou o punho esquerdo. Muralha e a pressão sobre si estavam de volta.

Berrío para oito meses

Jogador de confiança de Reinaldo Rueda, Berrío sofreu lesão gravíssima em derrota para o São Paulo, em 22 de outubro. Rompeu o tendão patelar do joelho esquerdo, problema semelhante ao sofrido por Ronaldo Fenômeno na contusão mais séria de sua carreira. O diagnóstico dado à época foi de pelo menos oito meses sem jogar.

Doping de Guerrero

Bem em grande parte de 2017 e artilheiro do Carioca, Guerrero pegou de surpresa o Flamengo e o povo peruano ao ser flagrado em exame antidoping em 3 de novembro - dois dias após a classificação para a semi da Sul-Americana. Tal situação o suspendeu preventivamente por 30 dias, o que lhe fez perder os jogos da repescagem entre Peru e Nova Zelândia e compromissos importantes do Rubro-Negro.

O exame apontou a presença de Benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína. A defesa de Guerrero, em sua estratégia, utilizará amostras do cabelo do jogador, o que descartaria a possibilidade de uso de cocaína por parte do atacante. Os advogados apontam contaminação em um chá tomado pelo atleta.

Câncer de Ederson

Quando finalmente voltou a atuar após contusão grave provocada por tesoura de Fagner em seu joelho direito, Ederson teve, em 25 de julho, diagnosticado um tumor no testículo.

O camisa 10 do Flamengo, que já passou pela fase de quimioterapia, segue em tratamento para vencer definitivamente o câncer.




Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget