Flamengo e Palmeiras se encontram em fim de ano frustrante

Gastos que, no entanto, não impedem os dois clubes de chegarem a novembro frustrados pela falta de protagonismo na Série A.

UOL: Protagonistas do Campeonato Brasileiro no ano passado, Palmeiras e Flamengo encontram um panorama completamente diferente em 2017. Mesmo em uma temporada na qual os dois clubes lideraram os investimentos e reforçaram os elencos com contratações milionárias, ambos se encontram fora da disputa pelo título e se enfrentam, neste domingo, às 17h (de Brasília), no Allianz Parque, em duelo pelo "prêmio de consolação": a vaga na próxima Copa Libertadores.

Foto: Getty Images
Ambas as equipes, depois de disputarem durante a maior parte do ano passado o título brasileiro – o Palmeiras levou a melhor -, aproveitaram a saúde financeira adquirida nos últimos anos para investir. Enquanto o Fla passou a casa dos R$ 60 milhões em atletas contratados - e ainda encarou Guerrero, um dos principais nomes do elenco, ser afastado pela Fifa por suspeita de doping, o time alviverde, com a ajuda direta da patrocinadora Crefisa, passou dos R$ 100 milhões.

Gastos que, no entanto, não impedem os dois clubes de chegarem a novembro frustrados pela falta de protagonismo na Série A. O Palmeiras foi quem mais se aproximou da briga pelo título, mas, as derrotas para Corinthians e Vitória na última semana, tornaram a defesa do título quase impossível - a diferença para o arquirrival é de 14 pontos, restando apenas 15 em disputa.

O Palmeiras entra com vantagem no duelo deste fim de semana. Quarto colocado com 54 pontos, o time comandado pelo interino Alberto Valentim possui quatro de vantagem em relação aos flamenguistas. No entanto, a tensão se apresenta maior pelo lado alviverde, especialmente depois dos dois resultados negativos diante de Corinthians e Vitória.

Até então embalado pelo bom início e a chance de brigar pelo título nacional, Valentim agora é questionado. O treinador interino, que não conta com o criticado e punido (pela diretoria) Egidio para este domingo, apelou para a "união do grupo" a fim de amenizar o clima ruim. Todos os atletas disponíveis estiveram presentes na entrevista do treinador, que ainda encara neste domingo uma manifestação da principal organizada.

A principal reclamação dos torcedores corresponde à falta de briga por taças nesta temporada. O Palmeiras não economizou para ganhar a Copa Libertadores e demais competições. Somente em Miguel Borja, centroavante contestado e desfalque neste domingo por estar com a seleção colombiana, foram R$ 35 milhões. Deyverson, outro atleta criticado, mesmo com o pouco tempo de equipe, custou mais R$ 18 milhões.

Juninho e Luan, atletas que chegaram sob a indicação de Cuca e não se afirmaram entre os titulares, custaram R$ 20 milhões. Já Bruno Henrique, titular agora sob o comando de Alberto Valentim, chegou ao Palmeiras após investimento de R$ 11 mi. Gastos insuficientes para tornar o Palmeiras protagonista em campo durante a temporada 2017. O ano fatalmente termina sem qualquer título.

No Flamengo, a missão de "salvar" a temporada está longe de ser simples. O clube gastou pelo menos R$ 41 milhões na aquisição dos direitos de jogadores. Everton Ribeiro (R$ 22 milhões), Berrío (R$ 11 milhões), Rhodolfo (R$ 4 milhões), Renê (R$ 3 milhões) e Diego Alves (R$ 1,1 milhão) estão na conta. Mas existem pagamentos parcelados de atletas comprados em 2016 e luvas que colocam o montante na casa dos R$ 60 milhões.

Até o momento, o Rubro-negro só conquistou o Campeonato Carioca invicto e foi vice-campeão da Copa do Brasil. A campanha no Campeonato Brasileiro está muito aquém do que era esperado por dirigentes e torcedores. Tanto que só uma performance invejável será capaz de colocar o time carioca na fase de grupos da Copa Libertadores de 2018.

Nas contas do departamento de futebol, o Flamengo precisa de 12 pontos em 15 disputados para garantir a vaga sem a necessidade de enfrentar a fase eliminatória da competição continental. A alternativa é conquistar o título da Copa Sul-Americana - os cariocas disputam as semifinais contra os colombianos do Junior Barranquilla.

O feito é difícil, mas a conquista do torneio poderia "salvar" uma temporada frustrante no segundo clube que mais investiu na formação do elenco em 2017.

"A formatação de um elenco forte é mérito da diretoria. Há expectativas e sonhos. Mas é preciso harmonizar tudo isso. Muitas vezes as coisas não acontecem tão rapidamente", ponderou o técnico Reinaldo Rueda.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget