Geuvânio, do Flamengo, diz que jogador cresce em jogo grande

O panorama, segundo ele, tem tudo para mudar com a virada do ano e o foco numa pré-temporada.

GLOBO ESPORTE: Geuvânio entrou em campo contra o Corinthians num misto de sentimentos. Apesar da boa notícia que ganharia oportunidade como titular, assim como havia pedido nas redes sociais, o jogador teve que lidar com a pressão das vaias da torcida até mesmo antes da bola rolar.

Em campo, começou nervoso, errou várias jogadas, mas não se omitiu. Mais na persistência do que na qualidade, sofreu pênalti de Pablo e viu Diego marcar o segundo do Flamengo. Na zona mista após a partida, foi sincero. Lembrou do tempo no futebol chinês – em 2017 jogou apenas cinco vezes pelo Tianjin Quanjian – e pediu paciência para a torcida.

Foto: André Durão
- A minha situação é bem complicada. É um ano muito difícil para mim. Ninguém sabe da minha trajetória, venho há praticamente um ano sem jogar, de um futebol totalmente diferente. No Brasil não tem comparação, é quarta, domingo, viagem para lá, para cá. Tem que ter pulmão, corpo, descansar bem a mente. Eu vim de um futebol que eu descansava duas vezes por semana, só jogava no fim de semana, não tinha essa pressão, que o jogador tem que estar preparado – destacou o meia-atacante.

Geuvânio fez uma comparação para para exemplificar a cobrança no Rubro-Negro:

- Estou chegando no Flamengo e as pessoas já querem que o Geuvânio mostre algo, tipo miojo, em três minutos já tenho que estar pronto. Preciso de um tempo. Falei que precisava de oportunidades porque um torcedor disse que eu precisava de confiança. Não é isso, eu tenho confiança, sei o que posso fazer, sei da minha qualidade. Acabei respondendo ele, e acabou saindo matérias que eu queria oportunidade.

Um dos pedidos de Geuvânio é por sequência. De fato, com Rueda, o meia-atacante de 25 anos ainda não conseguiu. A vitória por 3 a 0 contra o campeão brasileiro foi apenas o sexto jogo como titular com o colombiano. E novas chances podem aparecer na sequência, até mesmo pelos desfalques – Everton e Berrío estão lesionados.

O panorama, segundo ele, tem tudo para mudar com a virada do ano e o foco numa pré-temporada.

- Esse jogo acabou caindo no meu colo, um jogo bom, onde jogadores de verdade aparecem mesmo. Eu pude aproveitar. Fui vaiado desde o início do jogo, mas continuei tentando, fazendo meu futebol. Uma hora você está bem, na outra está mal, a torcida vai te beijar, te abraçar, outra hora vão criticar. Essa é a maturidade que estou buscando, preciso evoluir no Flamengo, tenho coisas para mostrar. Mas ano que vem, com uma pré-temporada, eu vou fazer um grande trabalho. Sei das minhas qualidades, a diretoria e comissão apostam no meu trabalho. Eu sei o que eu fiz para estar aqui.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget