Maurício Prado lista erros do departamento de futebol do Flamengo

Rueda não passa os vídeos tapes dos jogos para o elenco e mostra o absurdo que costuma ser feito dentro das quatro linhas?

RENATO MAURÍCIO PRADO: Em mais de 60 anos acompanhando o futebol (40 deles como jornalista), já vi muitos times ruins do Flamengo. Alguns, péssimos, mesmo. Mas nenhum tão irritante como este atual. Torcer pelo Mais Querido, nos últimos tempos, se tornou um exercício de masoquismo. De tortura. Porque, apesar de contar com vários pernas-de-pau, que jamais deveriam ter vestido a camisa rubro-negra (casos de Márcio Araújo, Pará, Rafael Vaz, Gabriel e outros), a equipe montada nesta temporada até possui alguns bons jogadores que, entretanto, parecem não conseguir render por uma incrível falta de alma, de tesão, de culhão, vale a pena dizer.

Foto: Reprodução
Como é admissível que o Flamengo, perdendo por 1 a 0, de um daqueles rivais que lutam contra o rebaixamento, não demonstre, no mínimo, denodado espírito de luta? Como admitir que, com o placar adverso e o relógio correndo, o time se farte de tocar bolas para o lado e PARA TRÁS, até mesmo recuando para o goleiro Diego Alves? Jogadas ofensivas? Somente cruzamentos altos e inúteis sobre a área adversária, onde quase nunca há alguém para tentar a conclusão (além de que os centros são em 90% dos casos, completamente tortos e sem direção).

Rueda não passa os vídeos tapes dos jogos para o elenco e mostra o absurdo que costuma ser feito dentro das quatro linhas? Não pensa em armar algumas jogadas ensaiadas para os escanteios e faltas nas proximidades da área? Isso é o beabá do futebol, cacete! Como Rodrigo Caetano, que foi jogador, não vê que está tudo errado e toma uma atitude?

Ah, não, mas quando alguém se manifesta é o Mozer, cracaço com a bola nos pés e um pereba inútil como dirigente do atual futebol rubro-negro, que ainda teve o desplante de dizer (numa de suas raríssimas entrevistas) que Márcio Araújo, Gabriel etc eram peças valiosas do Flamengo. Ah, volta pra Portugal, Mozer, volta!

Apesar da excelente administração em termos financeiros, os anos de Bandeira de Mello como presidente vão se caracterizando cada vez mais como um absoluto desastre no futebol – que é, em última análise, a coisa mais importante do clube.

Fred Luz, Mozer e Rodrigo Caetano (além do próprio Bandeira, é claro) acumulam erros sobre erros, em contratações e gerenciamento de um grupo milionário que não dá nem 10% do que recebe em retorno esportivo. Se o Flamengo ainda tem alguma chance de conquistar uma vaga na Libertadores, através do Brasileiro, é devido ao baixíssimo nível técnico do campeonato. Mas os rivais estão chegando e, do jeito que a coisa vai, tudo leva a crer que os rubro-negros dançarão. Até o Bahia já encostou…

Nada no futebol do Flamengo, hoje em dia, parece estar no rumo certo. O departamento médico virou um caos e os casos de distensões e curas para lá de demoradas se acumulam (hoje, foi a vez de Éverton); os preparadores de goleiros são outro problema, e o clube deixou escapar a oportunidade de contratar o de Diego Alves, que acabou indo para o Cruzeiro.

Enfim, a bola murcha e irritantemente sem alma que os jogadores têm demonstrado jogo após jogo (com raríssimas exceções) é o retrato fiel desta administração em termos futebolísticos.

Só a (cada vez mais improvável) conquista da Sul-Americana salvará o ano. Mas nem isso deveria impedir uma ampla reformulação no departamento de futebol rubro-negro que gasta 14,5 milhões de reais por mês e é incapaz de montar um time que tenha, pelo menos, a raça tradicional do Flamengo.

Uma vergonha, um vexame completo!


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget