No melhor estilo Flamengo, Vinicius Júnior muda a cara de clássico

Deu uma resposta que o torcedor precisava, correu atrás de dois gols de desvantagem e, com o empate em 3 a 3, está na semifinal do Sul-Americana.

GLOBO ESPORTE: O Flamengo testou o coração de seus torcedores. Abusou das falhas em bolas aéreas e deixou o jogo diante do Fluminense com contornos dramáticos. Mas, sobretudo após a entrada de Vinicius Junior, contrariou as críticas recentes e teve postura necessária para empatar buscar o resultado. Deu talvez uma resposta que o torcedor precisava, correu atrás de dois gols de desvantagem e, com o empate em 3 a 3, está na semifinal do Sul-Americana.

Flamengo volta a campo no domingo, pela 32ª rodada do Brasileiro. O adversário é o Grêmio, que joga em sua arena. O adversário na semifinal da Sul-Americana sai do confronto entre Junior Barranquilla e Sport. Em Recife, na ida, os colombianos venceram por 2 a 0. Eles se reencontram nesta quinta-feira.

Vinicius Júnior, do Flamengo - Foto: Marcelo Theobald

Bola aérea cardíaca
A bola alçada na área do Flamengo vinha se mostrando perigosa desde a primeira cabeçada de Renato Chaves, que parou em defesa de Diego Alves. O segundo gol tricolor acabou saindo através da jogada que vinha se desenhando. Cobrança de escanteio, e o zagueiro Chaves subiu mais alto que a marcação do Flamengo.

O balde de água fria veio no começo da segunda etapa. De novo uma bola na área, de novo Renato Chaves e de novo uma falha na marcação - nas costas de Arão: 3 a 1 e uma cenário terrível para o time.

Diego salva primeiro tempo com bola parada
Mais uma vez sem poder contar com Guerrero, Reinaldo Rueda modificou seu ataque e colocou Felipe Vizeu no lugar de Lucas Paquetá. O centroavante não foi bem no primeiro tempo, assim como os pontas do Flamengo, Everton e Everton Ribeiro.

O gol marcado pelo rubro-negro na primeira etapa foi marcado após bonita cobrança de falta de Diego - ele havia sido derrubado na entrada da área no lance.

Vinicius entra e sua velocidade muda jogo
Após o balde de água fria do terceiro gol tricolor, o Flamengo passou a pressionar um pouco mais. Reinaldo Rueda - que só mexeu dez minutos após o gol sofrido - colocou Vinicius Junior, que deu mais velocidade e criatividade. Everton foi deslocado para a lateral esquerda.

Vizeu também correspondeu melhor. E foi com ele que saiu o gol da reação. Ele recebeu lindo passe de Everton Ribeiro, de letra, e entrou livre. Cara a cara com Diego Cavalieri, não desperdiçou. A jogada havia começado justamente com Vinicius.

Arão: raça, erro e o gol decisivo
Willian Arão era um dos mais pilhados em campo. No primeiro tempo, entrou em cada dividida com vontade e pedia o tempo todo o grito da torcida. Mas também errou passes simples e não posicionou bem no terceiro gol tricolor.

Mas o Fla-Flu reservava para ele o cargo de herói. Após falta cobrada pela direita por Pará, desviou de cabeça e ainda viu a bola bater caprichosamente no travessão antes de entrar e selar a vaga do Flamengo na semi.

Espaços pela esquerda
O primeiro gol, sofrido com três minutos de jogo, voltou expor as falhas defensivas do Flamengo pelo lado esquerdo. Trauco errou um bote no meio para tentar para o ataque tricolor e abriu uma avenida para Lucas abrir o marcador do clássico. Por ali, também viu Marcos Junior inverter sua posição e arriscar jogadas perigosas em suas costas. Não cobriu os espaços e deixava a zaga exposta. Deixou o campo no segundo tempo sob vaias.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget