Para Caio Ribeiro, Flamengo não deveria mais usar Muralha

GLOBO ESPORTE: Você está jogando, e acha que está tudo dando certo. Mas aí uma coisa dá errado. E mais uma...E mais uma... Você tenta reagir, mas quanto mais você luta, mais afunda. Até que você não consegue se mexer, não consegue respirar, porque já subiu até a sua cabeça. Como areia movediça."

A citação acima não é minha, é de Keanu Reeves no filme "Virando o jogo".

Numa conversa de vestiário, o treinador pergunta do que os jogadores mais têm medo, e em meio a respostas como "de avião", "de abelhas" e etc..., o quarterback da equipe relata o efeito AREIA MOVEDIÇA (o filme retrata a segunda oportunidade que alguns jogadores de futebol americano têm de dar a volta por cima).

Foto: Agência Estado
É exatamente assim que vejo o goleiro Muralha.

Ele é bom goleiro. Provou isso no Figueirense, no início de sua trajetória no Flamengo e muito provavelmente será assim no próximo clube que defender, já que vejo como muito improvável sua permanência na Gávea. O problema é que as falhas surgiram e minaram sua confiança. Vieram os jogos grandes, decisivos e ele não conseguiu responder à altura. Continuou a falhar.

Esse fenômeno é mais comum com os artilheiros, os camisas 9. Eu passei por isso e quase todo atacante também. Primeiro vem a sua autocrítica, depois a cobrança da torcida, a da imprensa... e finalmente a desconfiança dos próprios jogadores de time.

É justamente nessa hora que você tem que mudar, tirá-lo da equipe, blindar o ser humano que existe por trás do jogador de futebol. Você tenta de tudo: não vê mais TV com programas de esporte, fica 30 minutos a mais em campo após os treinos, vai ao cinema com a esposa, lê livros motivacionais... mas quando entra em campo, na primeira vacilada, aquele caminhão de 100 toneladas de pressão retorna, e é dificil lidar com ele.

Muralha acusou o golpe.

Me dá a clara sensação que ele não está sabendo lidar com os erros, e isso para um goleiro é mortal. Porque quando o centroavante falha, ele sabe que terá no mesmo jogo uma segunda, terceira, até quarta oportunidade. Mas quando se trata do camisa 1, o erro custa o resultado e, a essa altura do campeonato, uma vaga na Libertadores. Um título!

Rueda está tentando de tudo. Já botou o jovem Thiago (que também falhou), já uniu o grupo (até mobilização por conta de uma nota infeliz de jornal os jogadores fizeram), já tirou, colocou de novo, e hoje se encontra em uma sinuca de bico: coloca César que não joga há quase dois anos, e é a única opção para o gol com a lesão de Diego Alves, ou dá mais uma oportunidade a Muralha?

Eu tiraria.

O jogador nunca vai admitir a fase ruim e propor ir pro banco. Essa tomada de decisão é do treinador!

Não acompanho o dia a dia dos treinamentos e não sei em que condição Cesar está, mas vejo um goleiro errando e com dificuldades para lidar com os erros. Mais do que isso, essa instabilidade saiu das arquibancadas e está afetando o time todo. Muralha é um cara do bem, querido pelo grupo e nessas horas todo mundo sofre junto.

Será que assim como o personagem Shane Falco no filme citado acima, o goleiro dará a volta por cima no jogo contra o Junio Barranquila, na quinta?

Tomara que sim!

O final dessa historia a gente só vai saber na madrugada de sexta-feira, com a classificação ou eliminação do Mengão na Copa Sul-Americana. Mas seja qual for a decisão, podem acreditar em mim: "Não é fácil vencer a areia movediça!"

O jogador nunca vai admitir a fase ruim e propor ir pro banco. Essa tomada de decisão é do treinador!



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget