Para Gilmar Ferreira, problema do Flamengo não é só "falta de raça"

É simpático dizer o que o torcedor espera ler ou ouvir. Mas o que falta ao Flamengo é trabalho no campo.

GILMAR FERREIRA: A campanha do Flamengo no Brasileiro deste ano me faz lembrar da trágica trajetória do time de 1995, com Romário, Sávio, Edmundo, Branco, Ronaldão, Válber e Djair, jogadores que faziam parte de um elenco caro e invejável.

A atual dificuldade de Reinaldo Rueda em transformar os valores técnicos individuais num conjunto harmonioso e vencedor explode a mente dos rubro-negros.

Há dezenas de explicações, mas não há uma só que encerre a questão.

E nessa hora, quando não se tem a resposta inquestionável para tamanha frustração, apela-se à surrada muleta, também utilizada no ano do centenário do clube.

Foto: Staff Images
"Falta garra..."

NADA MAIS simplista.

E é curioso lembrar que era também o que se dizia daquele time no qual pontificava o melhor jogador do mundo em pleno gozo de seu reinado.

Ao lado dele estava Edmundo, um dos mais temidos atacantes em atividade no futebol brasileiro...

E fechando a "divina trindade" surgia Sávio, um dos mais promissores pratas da casa à época, dois anos depois repassado ao Real Madrid.

Posso garantir que não foi por falta de vontade e de empenho que o Flamengo cumpriu naquele ano uma de suas piores campanhas no Brasileiro.

A saber: apenas cinco vitórias em 23 rodadas.

O JOGO do Flamengo não encaixava, a bola não entrava e o pífio desempenho num campeonato vencido pelo modesto Botafogo foi resumido no "faltou raça".

Leitura simplista que escondia erros que variavam desde um planejamento destruído em menos de seis meses à estrutura não condizente ao tamanho das metas.

Luxemburgo abriu a temporada de sonhos e o radialista carioca Washington Rodrigues fechou o ano do pesadelo, ele que substituiu o então promissor Edinho.

O FLAMENGO de hoje tem trabalho de médio prazo, estrutura adequada aos objetivos e um elenco à altura dos resultados imaginados.

Mas o futebol exibido pelo time ainda fica abaixo dos de concorrentes do mesmo porte.

Pode-se atribuir ao pouco tempo de trabalho do colombiano Reinaldo Rueda ou às constantes alterações por motivos diversos.

Nada, porém, ameniza o tom das cobranças.

Fato é que como ninguém sabe explicar a razão do fiasco, o "falta raça" simplifica...

Pois garanto que o problema não é esse _ como não era em 95.

É simpático dizer o que o torcedor espera ler ou ouvir.

Mas o que falta ao Flamengo é trabalho no campo.

Não será mudando o elenco a cada seis meses que a torcida terá o que espera...

Caso contrário, estará sempre correndo atrás do próprio rabo...


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget