Rueda parece não ter entendido o Flamengo e o futebol brasileiro

Aqui, as coisas giram de outra forma. E ele tem que entender. Ganhar a ‘Sula’ e pensar diferente em 2018 se sonha em dar certo no Rubro-Negro.

RESENHA DA BOLA: POR GUILHERME ABRAHÃO 

Reinaldo Rueda está a caminho de se tornar mais um treinador estrangeiro, badalado, cobiçado por muitos, a dar errado no futebol brasileiro. A forma como escala a equipe, a falta de coerência em muitos jogos começam a preocupar a nação rubro-negra. A antes vaga garantida na próxima Copa Libertadores (pré no caso) começa a ficar cada vez mais ameaçada.

Rueda, técnico do Flamengo - Lucas Uebel/Getty Images
A impressão que passa, principalmente após ver os três gols infantis – diria até amadores – que a equipe levou do Grêmio, em Porto Alegre, é que essa equipe não perece ter foco nenhum no Brasileiro. Rueda, nunca escondeu sua simpatia por competições continentais. Desde que chegou ao Flamengo, parece que já jogou a toalha em relação ao Brasileirão e seu foco se tornou a pouco empolgante Copa Sul-Americana. Apesar de ser um título continental, dar vaga para a Libertadores e escrever o nome no patamar dos campeões da América do Sul, a torcida do Flamengo também não está muito feliz com a ideia de ‘só’ ganhar ela e o Carioca em toda temporada.

O brasileiro não entendeu muito bem a importância da Copa Sul-Americana. O flamenguista está cansado de alguns vexames. O milionário elenco deixou a desejar demais na temporada. Um Brasileiro muito abaixo do esperado. Sequer figura entre os ‘postulantes’. É apenas o sétimo colocado, vendo sua posição cada vez mais ameaçada. Inclusive, não saiu do G7 porque o Vasco deu uma entregada daquelas contra o Vitória, no Rio de Janeiro.

Rueda quer a Copa Sul-Americana. E tem que ser campeão. Uma vaga na pré-Libertadores será um desfecho melancólico para um Flamengo cheio de esperanças em 2017. A não classificação nem para essa fase inicial da competição, sem dúvidas, irá encerrar a modesta passagem do colombiano pelo Rubro-Negro. O título da Sul-Americana dá uma sobrevida, mas não anima. Será a vaga na Libertadores, na fase de grupos, que irá consolar os torcedores.

E classificar para Rueda será uma faca de dois gumes. Ele tem a obrigação de fazer essa equipe avançar da fase de grupos, já que em 2017 o vexame, ainda com Zé Ricardo, foi uma ducha de água fria na temporada do Fla. Parece que o ano acabou ali. E Rueda já foi campeão, em 2016, mas nesse ano também saiu na primeira fase.

Ele adora competições continentais. Porém não acho que era exatamente isso que a torcida do Flamengo queria. Importante é ser campeão, para ele. Para a diretoria que também quer salvar sua pele. Parecem estar mais perdidos do que todos. O tal planejamento fracassou. E fracassou demais. Mas será que é isso também que os torcedores sonhavam? Rueda parece não ter entendido o Flamengo. Nem o futebol brasileiro. Aqui, as coisas giram de outra forma. E ele tem que entender. Ganhar a ‘Sula’ e pensar diferente em 2018 se sonha em dar certo no Rubro-Negro.

Abre o olho, Rueda! A sequência no Brasileirão não é nem um pouco fácil. Diante dos melhores colocados, só tropeço. Se não ganhar essa Sul-Americana, o ano vai ser um dos maiores fiascos da história.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget