Veja pontos fortes e fracos do rival do Flamengo na Sul-Americana

Joga no 4-1-4-1, ou 4-2-3-1 (que é o habitual), ou até mesmo no 4-3-3, a depender das circunstâncias da partida.

GLOBO ESPORTE: Conforme o próprio treinador Julio Comesaña disse em entrevista coletiva na última terça-feira, o Junior Barranquilla tem atingido todos os seus objetivos na temporada. Terminou a primeira fase do Campeonato Colombiano em primeiro lugar com o melhor ataque e a segunda melhor defesa, está na semifinal da Copa Sul-Americana e ganhou a Copa Águila, o que já deu vaga direta para a Libertadores de 2018. Por outro lado, foi eliminado na Pré-Libertadores pelo Atlético Tucumán, da Argentina.

Uma vitória contra o Flamengo pode deixar o time muito próximo de sua primeira conquista internacional na história. O mais longe que chegou foi às semifinais da Libertadores de 1994, quando foi eliminado pelo Vélez Sarsfield.

Foto: Divulgação
Mas o que faz com que o time colombiano esteja indo tão bem nas competições e tenha tido só um grande revés? E o que o Flamengo pode explorar para chegar à final da Copa Sul-Americana? O GloboEsporte.com conversou com cinco jornalistas colombianos para entender o que esperar dos jogos desta quinta-feira e também da próxima semana.

FLOR DÍAZ OSPINO – HORA 724

Pró: O ponto forte do Junior é a proposta de jogo. É uma equipe que cria, propõe o jogo, tem bom toque de bola, além de grande mobilidade de seus atacantes e boas saídas pelos lados do campo, sem contar que é forte no um contra um. O Junior também é uma equipe que se adapta a diferentes formações táticas: joga no 4-1-4-1, ou 4-2-3-1 (que é o habitual), ou até mesmo no 4-3-3, a depender das circunstâncias da partida.

Contra: Sem dúvida o jogo aéreo, seja para defender ou atacar. Os desfalques na defesa, nessa altura do campeonato, se tornam um ponto negativo para o Junior. Dois zagueiros viajaram para o Brasil (Jorge Arias e Rafa Pérez), que não jogaram muito juntos. E só há um volante que pode atuar improvisado como zagueiro, que é Luis Narváez. Os laterais também podem ser uma dor de cabeça, porque ainda que subam ao ataque, não finalizam a maioria das jogadas. O estado dos jogadores também pode ser um fator contrário. A soma das partidas e as viagens em excesso tornam a forma física deles uma incógnita.

JOSE HUGO ILLERA – WIN SPORT CANAL

Prós: O ponto forte com certeza é o ataque e que ainda tem variações. Teófilo e Chará fizeram uma parceria muito boa, com muitos gols marcados no futebol colombiano. Também tem Jarlan Barrera, que é um meia armador muito jovem, que estava nas seleções de base da Colômbia. Luis Diaz é um jogador considerado revelação na Colômbia e marcou contra o Cerro Porteño, na Sul-Americana. O time tem sido muito uniforme no ano.

Contra: O ponto fraco neste momento é que tem somente dois zagueiros, os outros três estão machucados. Então, serão apenas dois defensores e esse pode ser o ponto fraco da equipe. Os dois laterais também são muito jovens, com pouca experiência internacional. Esse deve ser o ponto mais fraco: os laterais com pouca experiência internacional.

MANUEL RAMÍREZ – RADIO TROPICAL

Prós: O Junior tem um bom goleiro que estava cotado para a seleção do Uruguai. Também tem uma boa defesa, é uma das equipes menos vazadas, e na frente tem a combinação Chará e Teo Gutiérrez, que produziu metade dos gols. Não é fácil marcar Chará, porque ele atua do lado esquerdo, do lado direito, pelo meio... seria preciso uma cortina para pará-lo. É um jogo que se caracteriza por um bom toque de bola e com bastante profundidade.

Contra: Eu diria que o Junior tem tido problema de concentração. Às vezes eles estão ganhando jogos e são surpreendidos nos minutos finais, porque há uma falta de concentração, falta de atenção na marcação. Por uns momentos tem deixado de ter atenção em algumas partidas e os resultados escaparam. Esse pode ser o ponto fraco.

RICARDO ORDOÑEZ – EMISSORA ATLANTICO

Prós: Junior é forte no ataque. É um time bem ofensivo e tem dois atacantes que estão na seleção colombiana. É a força principal do Junior. Chará é um jogador mais veloz, rápido e habilidoso, enquanto Teo é um atacante mais tranquilo, sereno e com um maior faro de gol. Essa é a principal qualidade do Junior, porque eles sabem tomar as melhores decisões em espaços curtos e sabem o que fazer na frente do gol.

Contra: A defesa do Junior é um problema, ainda mais agora que não conta com Ávila, que se machucou. Ele pode colocar Jorge Arias, que é um zagueiro de origem e alto (1,84m), ou ele põe Luis Narváez, que é um volante de 1,79m, cabeça de área, e o improvisa como zagueiro.

WILLIAM BADILLO – EL HERALDO

Prós: O caráter da equipe, a convicção que tem e a união dentro do grupo. No campo e bola, a troca de passe e a valorização da posse. A principal característica é a troca de passes e eles tratam de fazer isso em todo o campo, mas com mais precaução quando não se sentem confortáveis. Mesmo assim, não traem sua filosofia de jogo.

Contra: Tem poucos pontos fracos. Como toda equipe, às vezes tem partidas boas e ruins, mas durante todo o semestre tem mostrado uma grande regularidade. Todos os jogadores, em seu momento, têm respondido à altura, tanto titulares como reservas. Vai ser um grande jogo, contra um rival muito bom, e que com certeza vai exigir muito mais do Junior Barranquilla.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget