Análise: Motivos para virada do Flamengo sobre o Vitória

O time que encontra o titular no quarto goleiro, que nem estava no clube meses antes, pois andava emprestado e sem espaço na Gávea.

GLOBO ESPORTE: O ano de contradições do Flamengo se fez representar no Barradão cheio nesta última rodada do Brasileiro de 2017 com a virada aos 50 minutos contra o Vitória (gols de Carlos Eduardo, Rafael Vaz e Diego, de pênalti).

O Fla do investimento milionário que arruma na base as soluções. O time que encontra o titular no quarto goleiro, que nem estava no clube meses antes, pois andava emprestado e sem espaço na Gávea.

Que chega numa final continental depois de 16 anos, mas sofre para garantir lugar na fase grupos da Libertadores. De Rafael Vaz que dá espaço num gol e empata a partida em outro. De Diego, mal no jogo, mas de gol salvador no apagar das luzes.

Diego em Vitória x Flamengo - Foto: Gilvan de Souza


Sem Réver e Rhodolfo, suspensos - o primeiro por cartão amarelo, o segundo por punição do STJD -, Rueda lançou Rafael Vaz, que ainda sente dores de lesão na coxa direita, e Léo Duarte, que fazia apenas a sexta partida na temporada. Mesmo sem sofrer tanto no primeiro tempo, o Fla levou gol no momento que criava as melhores chances. No fim, após grandes defesas de César, Diego, mal na partida, marcou o gol que classifica o time direto para a fase de grupos da Libertadores.

Confira os destaques da partida no Barradão.

Desentrosados e inativos, Vaz e Léo assustam no início
A ousadia de Rafael Vaz algumas vezes rende erros e críticas. Depois do espaço para Carlos Eduardo no gol do Vitória, ele foi lá na frente empatar a partida, com toque para Vinicius Junior e outro para o gol. Um bonito gol.
Mas o início não foi bom. Primeiro, tentou cortar de cabeça e deu a bola para o Vitória. Depois fez falta desnecessária em Kieza, que rendeu chance perigosa para o Vitória. Em seguida foi Léo Duarte, que perdeu a dividida para Kieza. A dupla de zaga sentiu a falta de ritmo e o desentrosamento.

Espaços não aproveitados
Diego recuava muito para tentar criar jogadas. Novamente, foi pouco efetivo – fez uma boa jogada individual no primeiro tempo, quando driblou e chutou com perigo -, mas foi decisivo no fim com o gol de pênalti. O jogador parece sentir o desgaste das mais de 80 partidas do time na temporada. Diego, aos 32 anos, fez seu 52º jogo no ano.

Pela direita, Éverton Ribeiro criou a principal jogada do Flamengo ao deixar Felipe Vizeu na cara do gol. Mas o atacante chutou para fora, rasteiro. O atacante rubro-negro ainda perdeu mais duas chances. No início do jogo em cruzamento de Trauco, Vizeu desperdiçou outra oportunidade, em boa trama de todo o time, que envolveu saída pela zaga com Vaz, Cuéllar e Paquetá até chegar ao lateral peruano.

César bem novamente
Cheio de confiança após pegar até pênalti em Barranquilla, pela Sul-Americana, César salvou o Flamengo no início do jogo. Defendeu chute cruzado de Patric, que entrou livre ao lado de Carlos Eduardo. O goleiro não teve culpa no gol do ex-rubro-negro, que acertou chute seco no cantinho para abrir o placar no Barradão. No segundo tempo saiu mal num dos cruzamentos para a área, mas fez outra defesaça em chuta à queima-roupa de André Lima no fim da partida.

Carlos Eduardo comanda sufoco a Trauco
Com passagem recente pelo Flamengo, Carlos Eduardo foi a surpresa da escalação de Vagner Mancini. Campeão da Copa do Brasil de 2013 pelo Rubro-Negro carioca, o camisa 8 do Vitória não deu sossego para Trauco pelo lado esquerdo da defesa do Fla. O peruano, que não tem na marcação o seu forte, foi envolvido em algumas jogadas também pelo lateral-direito Patric.

No fim do primeiro tempo, Vaz cortou pelo alto e Paquetá e Trauco não fecharam os espaços. O ex-flamenguista Carlos Eduardo recebeu livre, girou e chutou no canto. Vaz, mais distante ainda, não conseguiu bloquear o chute.

Paquetá mal. Vinicius faz duas boas jogadas e muda panorama
Depois de sequência de boas partidas, Lucas Paquetá errou bastante no jogo do Barradão. Perdeu a bola quatro vezes em pouco mais de 50 minutos em campo – o pior índice no Flamengo. Numa delas, no início do segundo tempo, gerou contra-ataque perigoso para os donos da casa. Antes de sair para a entrada de Vinicius Junior chamou a responsabilidade e bateu falta na frente de Diego. Mas não era o dia dele. O chute saiu na barreira, o rebote, fraquinho.
Vinicius tentou de fora da área, depois cruzou para ninguém. Na terceira bola que recebeu entortou o marcador e cruzou para o gol de Rafael Vaz. No fim, Rueda ainda tentou lançar Geuvânio na vaga de Cuéllar para aumentar o poder ofensivo.

E foi Vinicius quem criou a chance de gol, ao driblar para lá e para cá e sofrer a falta frontal nos últimos segundos de acréscimo. Na cobrança, o capitão do Vitória Uilliam Correia deu um tapa na bola. No pênalti, gol de Diego.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget