Atleticanos são flamenguistas desde pequenininhos

Os atleticanos, que tanto odeiam o Flamengo, terão que se concentrar para torcer pelo rubro-negro carioca ganhar a Sul-Americana.

SUPER ESPORTES: Uma rodada de tirar o fôlego, com gols nos acréscimos e definições de rebaixamento e de quem vai para a Libertadores. A expectativa fica por conta do Atlético, que venceu o Grêmio por 4 a 3, no Horto, e agora, mais do que nunca, vai torcer para o Flamengo ganhar a Copa Sul-Americana, para garantir o direito de disputar a Pré-Libertadores, o que lhe daria dinheiro e projeção. A luz se apagou no Horto quando o Atlético empatava com o Grêmio. Na volta da energia, Otero, o nome do jogo, fez 4 a 3 em cobrança de falta e devolveu ao alvinegro o sonho de voltar a disputar a Libertadores. A decepção ficou por conta do Botafogo, “flanelinha”, que ficou quase que o tempo todo no G-7, acabou terminando o Brasileirão em 10º lugar e vai disputar apenas a Copa Sul-Americana. Realmente foi emocionante a rodada final. Coritiba, Avaí, Ponte Preta e Atlético-GO estão rebaixados. A lamentar que Marcelo Oliveira, que dirigiu Cruzeiro e Palmeiras, com títulos importantes, rebaixou o Coritiba, onde era considerado ídolo. O futebol pune.

Guerrero comemorando gol em Flamengo x Atlético-MG - Foto: Gilvan de Souza


Claro que a emoção toma conta justamente porque a Libertadores virou uma competição banalizada, com a possibilidade de nove times brasileiros na próxima temporada. Isso não deveria existir. A Conmebol precisa rever seus conceitos e classificar apenas o campeão e vice de cada país e os campeões da Sul-Americana e Copa do Brasil. Seria mais interessante, tecnicamente, e mais rentável. Porém, o regulamento determina isso e já temos oito garantidos. A grata surpresa é ver que a Chapecoense, refeita depois de perder um grupo inteiro num acidente aéreo, ficou em oitavo lugar e também garantiu vaga na Pré. O futebol é lindo e emocionante por esse tipo de superação. A Chapecoense disse que não queria ser a “coitadinha” e não foi. Conquistou sua condição jogando futebol de primeira linha.

E vejam que curioso é o mundo da bola. Os atleticanos, que tanto odeiam o Flamengo, terão que se concentrar na próxima quarta-feira, dia 6, e no dia 13, para torcer pelo rubro-negro carioca ganhar a Sul-Americana, pois, dessa forma, entraria na Pré-Libertadores. É bem verdade que se tivesse feito sua parte, o Galo não precisaria disso. Como não fez, não resta outra alternativa. E aí, torcedores alvinegros, vocês vão torcer pelo time que mais odeiam? Claro que sim. E depois que o Flamengo ganhar a Sul-Americana, vão continuar odiando do mesmo jeito. Na verdade, eles não odeiam o Flamengo e sim José Roberto Wright, por aquela lambança no Serra Dourada em 1981. Por consequência, o Flamengo passou a ser inimigo. Eu não consigo explicar, mas Freud explica. Não duvidem se tivermos no Maracanã, dia 13, um grupo de atleticanos infiltrados na torcida rubro-negra. O futebol é assim, e para a gente ver nosso time numa condição melhor, fazemos qualquer sacrifício. Eu, é claro, por ser flamenguista, vou torcer como sempre e, agora, com um motivo maior: quero ver Galo e Raposa na Libertadores, juntos novamente. Se bem que o Cruzeiro já está classificado para a fase de grupos. Para o nosso estado, seria ótimo. Espero também que o Brasileirão em 2018 seja mais forte tecnicamente, com o surgimento de bons valores que sairão das divisões de base dos clubes. Somente assim poderemos elevar o nível da competição, com grandes jogos, boas receitas e público maior. Parabéns ao Corinthians, campeão, e a todos que atingiram seus objetivos. E, só para lembrar, em 2018 teremos os três maiores de Minas – Cruzeiro, Atlético e América – disputando o Brasileirão.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget