Flamengo eleva exposição da Copa Sul-Americana

RODRIGO MATTOS: Em sua campanha para ter suas competições fortes, a Conmebol tem turbinado a Copa Sul-Americana, seja em premiações, promoção e por uma natural exposição de televisão. É o que se percebe pelos dados da campeonato que será encerrado nesta quarta-feira com a final entre Independiente e Flamengo, no Maracanã.

A importância para a Conmebol de se promover a Sul-Americana é porque esta tem os seus direitos vendidos juntamente com a Libertadores para as televisões. Haverá uma concorrência feita pela IMG no início do próximo ano. A empresa fechou a acordo pelos direitos da confederação por US$ 1,4 bilhão (cerca de R$ 4,6 bilhões) por quatro anos e agora vai comercializa-los.

O campeão entre Flamengo e Independente levará US$ 2 milhões (cerca de R$ 6,6 milhões), dois terços do prêmio dado ao Grêmio pelo título da Libertadores, Grêmio. Em comparação, a Uefa paga € 6,5 milhões (cerca de R$ 25,2 milhões) ao campeão da Liga Europa, e o vencedor da Liga dos Campeões fica com € 15,5 milhões (cerca de R$ 60,2 milhões) , mais do que dobro.

Time do Flamengo na final da Sul-Americana - Foto: Gilvan de Souza
Haverá aumentos de premiação da Libertadores e da Sul-Americana para 2018, sem valor definido para esta segunda. A Conmebol ainda depende de aprovações para definir os montantes. Mas, no caso da Sul-Americana, há ainda cotas por participações na Recopa, que podem elevar os ganhos totais a mais de R$ 20 milhões.

Para além do dinheiro, a Sul-Americana teve uma exposição inédita em TV aberta no Brasil neste ano, o que aumenta seu potencial da comercialização. A Globo exibirá hoje com a final um total oito jogos do Flamengo em TV aberta, e já transmitiu outros quatro do Corinthians, no maior mercado que é o brasileiro. Isso não foi feito em 2016 porque a Chapecoense, que avançou no torneio, não tinha alcance nacional na época.

Para completar, a Conmebol tem promovido a competição de forma parecida com a Libertadores. Usará o árbitro de vídeo, cerimoniais de preparação antes do jogo, houve uma solicitação grande de ingressos de cortesia pela Conmebol, entre outros itens. Obviamente, esse tipo de evento não ocorreu em 2016 com a tragédia do voo da Chapecoense, que foi designada campeã pela confederação sul-americana.

A final terá um Maracanã cheio com a previsão de uma renda um pouco menor do que a primeira decisão da Copa do Brasil, entre Flamengo e Cruzeiro, que gerou R$ 7 milhões. Foram vendidos menos ingressos de visitantes para o Indenpendiente em relação ao time mineiro.

Há potencial para a Conmebol ganhar mais dinheiro com a Sul-Americana já que neste ano só foi vendida, por exemplo, uma placa de publicidade. Além disso, há a já mencionada venda dos direitos de televisão, que se tornam mais atrativas com audiências altas.

A Sul-Americana teve uma exposição inédita em TV aberta no Brasil neste ano, o que aumenta seu potencial da comercialização.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget