Heroi no Flamengo, César viveu drama que comprometeu carreira

O próprio médico revelou o drama vivido pelo goleiro em um post no Facebook no qual comemorou o bom desempenho do seu paciente na partida.

MARLUCI MARTINS: Herói improvável na classificação do Flamengo para a final da Sul-Americana na última quinta-feira, ao defender um pênalti na vitória por 2 a 0 sobre do Atlético Junior, na Colômbia, o goleiro César, de 25 anos, viveu, aos 20, um drama que poderia ter comprometido a carreira. Foi submetido a uma Latarjet, delicada intervenção cirúrgica para corrigir uma instabilidade no ombro esquerdo.

O responsável pela cirurgia foi o médico Michael Simoni, um dos mais renomados especialistas em ombro do País que atualmente é diretor de saúde do Fluminense. O próprio médico revelou o drama vivido pelo goleiro em um post no Facebook no qual comemorou o bom desempenho do seu paciente na partida.

Goleiro César, do Flamengo - Foto: Gilvan de Souza


“Não posso negar que ver o Cesar arrebentando me deixa feliz e orgulhoso...um Latarjet no ombro esquerdo de um goleiro jovem e ver esse resultado faz parte da historinha da minha vida... Medicina esportiva sempre. Parabéns, meu camarada...”, escreveu Simoni, destacando “a responsabilidade em fazer um Latarjet em um jovem na época com 19 anos (na verdade, 20) e ver o resultado”.

O procedimento normalmente é indicado em caso de desgaste ósseo da glenoide, parte da escápula da articulação.César deslocou o ombro em um treino. Não poderia dar continuidade à carreira, não fosse o sucesso da cirurgia.

— O ombro ficou instável. Não tinha como dar sequência à carreira. A única forma de dar sequência era fazendo essa cirurgia — explicou Simoni ao Blog Extracampo. — Qualquer cirurgia articular tem risco para o atleta. Tem jogador que opera o joelho e não joga mais. Em um goleiro, uma cirurgia no ombro é sempre uma situação muito delicada. Mas o César tirou de letra. Em oito, nove meses, jogou uma partida contra o Cruzeiro e se saiu muito bem.

Foi o médico José Luiz Runco, então médico do Flamengo, quem procurou Simoni, diante da gravidade do quadro.

— A cirurgia consiste na retirada de um fragmento ósseo de uma região e seu desvio um pouco mais para baixo para que aumente a superfície articular e, consequentemente, a estabilidade. Optei por esse procedimento pensando única e exclusivamente na carreira dele. Se não fosse goleiro, não teria feito — lembrou Simoni.

Na manhã desta sexta-feira, o médico ainda comemorava a total recuperação de César, comprovada na hora da defesa do pênalti.

— Ele caiu para o lado esquerdo. O lado do ombro operado! Querem testar meu coração de qualquer maneira. Mas não conseguem. Depois de cinco anos, não conseguem mais.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget