Justiça obriga Maracanã a cobrar, no máximo, R$ 500 mil por jogo

O Flamengo entrou com uma ação pedindo tratamento isonômico, sob a alegação de que o Fluminense desembolsa apenas R$ 100.000 por jogo.

VEJA: Em decisão liminar, a Justiça do Rio estabeleceu valores máximo e mínimo que a Odebrecht poderá cobrar em aluguel dos clubes interessados em mandar seus jogos no Maracanã.

O grupo empresarial, responsável pela gestão do estádio, exigia entre R$ 250.000 e R$ 700.000, dependendo do porte da partida. Agora, o piso será de R$ 100.000 e o teto, de 500 000 reais.

Foto: Gilvan de Souza
Na tentativa de conseguir um acordo mais vantajoso para 2018, o Flamengo entrou com uma ação pedindo tratamento isonômico, sob a alegação de que o contrato firmado entre Odebrecht e Fluminense permite ao tricolor desembolsar apenas R$ 100.000 por jogo.

A desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga negou o pleito, mas, em seu despacho, espinafrou as taxas cobradas pela construtora e as classificou como “leoninas”.

Leia os trechos mais importantes da decisão:

“[…]a remuneração mínima de R$250.000,00 à concessionária torna inviável a realização de jogos de menor apelo aos torcedores, ferindo de morte a finalidade precípua do bem público, como se certos jogos não merecessem serem debutados no referido estádio”.

“[…]a remuneração máxima de R$700.000,00 representa valor desproporcional e excessivamente oneroso ao clube, considerando que este já arca com parte considerável dos custos de operação. Trata-se de violação ao princípio do equilíbrio econômico […]”.

“[…] manutenção dos parâmetros de remuneração nos presentes termos leoninos poderá resultar na inviabilidade da realização de diversos jogos no ano que se inicia”.



Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget