Lê aposta em Vinicius Jr como herói de título do Flamengo

Por fim, o antigo xodó rubro-negro disse que a ausências de Guerrero, neste ano, e Romário, em 1999, são bem diferentes.

FOX SPORTS: Nesta quarta-feira (13 de dezembro), o Flamengo recebe o Independiente pela final da Conmebol Sul-Americana – o FOX Sports transmite o duelo a partir de 21h. O Rubro-Negro tentará conquistar o seu primeiro título internacional em 18 anos. E essa última conquista veio graças a um gol de um herói inesperado. Tão inesperado que ele não deveria nem estar na final da Copa Mercosul (na época a segundo maior competição continental) contra o Palmeiras.

Isso só aconteceu porque no fim de 1999, Romário, então a maior estrela da companhia, foi dispensado do clube após uma confusão em Caxias do Sul, abrindo uma vaga no elenco para a final. Essa lacuna foi preenchida por um jovem atacante de 20 anos revelado na base: Leandro Coelho Cardoso. Em entrevista especial ao FOXSports.com.br, Lê, como sempre foi conhecido o ex-jogador, contou como conseguiu escrever o seu nome na história do clube com a maior torcida do futebol brasileiro ao entrar no segundo tempo do jogo e marcar o gol do título.

Vinicius Júnior em Independiente x Flamengo - Foto: Gilvan de Souza
“Na semana anterior, o Flamengo estava no Rio Grande do Sul para enfrentar o Juventude. Eu não tinha ido para esse jogo e quem fosse para lá já iria direto para São Paulo enfrentar o Palmeiras. Então foi quando o Chimello (José Eduardo, gerente de futebol à época) me ligou e fiquei surpreso. Chegando no hotel eu nem tinha a roupa da concentração porque já tinha passado o último jogo do ano e eu já tinha dado as coisas para amigos e fãs”, disse Lê, que hoje tem 38 anos e está aposentado do futebol.

Nesta quarta-feira (13), Lê estará no Maracanã e espera ver um novo herói.

“Acho que o Vinicius (Júnior). Gosto muito também do Paquetá, que tem até uma semelhança, é canhoto, muito bom jogador. E acho que um dos dois, mas o Paquetá começa jogando”, disse o ex-atacante, que aposta no placar de 2 a 0.

Por fim, o antigo xodó rubro-negro disse que a ausências de Guerrero, neste ano, e Romário, em 1999, são bem diferentes. 

“O Romário tinha uma importância maior, goleador nato. E o Vizeu também está fazendo a parte do Guerrero, então acho que não vai ter muito problema. Não tem muita semelhança, dependíamos muito mais do Romário”, completou.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget