Maracanã pode decidir para o Flamengo

E com os ingressos já esgotados e a garantia de um estádio cheio, talvez seja esse o craque que vai decidir os rumos da Sul-Americana 2017.

ESPN FC: Por João Luis Jr

Não precisa ser um especialista em futebol pra ver o que deu errado no Flamengo nessa quarta-feira. Desde a “Avenida Trauco”, o maior projeto de acessibilidade urbana já realizado numa parceria Brasil e Peru, onde basicamente qualquer pessoa pode transitar com a bola dominada sem sofrer nenhum tipo de incômodo, até o daltonismo seletivo de William Arão, único caso registrado de pessoa que confunde as cores branco e vermelho, passando pelo fato de que Éverton Ribeiro entrou tão tarde no jogo que, se pagasse ingresso o bilheteiro teria ficado com pena e cobrado meia-entrada, as falhas da equipe rubro-negra foram claras, visíveis e podem ser diretamente ligadas a cada um dos gols do adversário.

Foto: Gilvan de Souza
Em dados momentos nos faltou organização, em outros nos faltou malícia, em vários nos faltou tranquilidade e no geral pagamos o preço de uma combinação errada que envolveu falhas individuais e a péssima decisão de, após abrir o placar, não só chamar o adversário para o nosso campo, como ainda pagar o Uber para que ele viesse, oferecer nossa própria cama para ele deitar e ainda se disponibilizar a fazer o café da manhã.

Mas ainda que o placar de 2x1 para o Independiente não seja, é claro, ideal para o Flamengo e vários dos defeitos que torturaram a torcida nessa temporada tenham vindo à tona - se não aceitarmos que temos graves problemas em ambas as laterais para 2018 é complicado até saber se vale a pena ter um 2018, por exemplo -, o Flamengo também mostrou que, quando atua com calma, inteligência e jogadores-chave da equipe são informados que a bola precisa ser passada para o coleguinha e não para o adversário, ele tem plena capacidade de dominar a partida e criar as chances de gol que precisa.

E é essa a tarefa que ficou para o Maracanã. Com um cenário sem o gol qualificado, em que uma vitória simples leva o jogo para a prorrogação mas qualquer vitória por dois gols ou mais de vantagem já garante o título, o Flamengo com certeza não tem pela frente uma tarefa fácil, mas, com todo respeito ao Independiente, também não se trata de nada impossível, ainda mais num mês em que coisas consideradas bem mais improváveis pela nossa torcida acabaram efetivamente acontecendo. Sim, estou falando do gol do Rafael Vaz. Eu ainda não consigo acreditar.

Mas para garantir esse resultado o Flamengo vai precisar, tanto quanto de correções na marcação de Trauco, melhoria no desempenho de Éverton Ribeiro, uma conversa com a terapeuta de William Arão, do apoio da sua torcida. Do estádio lotado, dos torcedores cantando, das mais de 50 mil pessoas que vão estar lá querendo garantir que esse ano tão confuso possa terminar com um final feliz. E talvez, mais do que Diego, mais do que Paquetá, mais do que Vizeu, esse seja o trunfo que vai fazer a diferença e garantir o primeiro título internacional do Flamengo desde a extinta Copa Mercosul.

Pará pode falhar, Diego pode estar num dia ruim, Vizeu pode sumir do jogo, mas, se tem alguém que nunca se omitiu quando o Flamengo precisou, foi ela, a torcida. E com os ingressos já esgotados e a garantia de um estádio cheio, talvez seja esse o craque que vai decidir os rumos da Sul-Americana 2017.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget