Quem decepcionou mais? Compare reforços de Fla e Palmeiras

ESPN: O Palmeiras investiu mais de R$ 100 milhões em reforços na temporada. O Flamengo gastou pouco mais da metade disso, cerca de R$ 58 milhões. Ambos formaram elencos estrelados, alimentaram sonhos dos torcedores e iniciaram o ano como favoritos aos principais títulos. Agora terminam 2017 com outro fator em comum: o sentimento de decepção. O time alviverde não conquistou taça alguma, enquanto a equipe rubro-negra festejou apenas um Estadual.

Mas, entre os dois, quem conseguiu decepcionar mais?

Fotos GazetaPress
Pensando nisso a redação do ESPN.com.br traçou um comparativo dos reforços de Palmeiras e Flamengo para ver quem se deu melhor e quem se deu pior. Veja abaixo e fique a vontade para opinar e apontar quem decepcionou mais ao final do texto.

ELENCO DO PALMEIRAS

Turbinado com o patrocínio da Crefisa/FAM, o Palmeiras trouxe 14 jogadores ao longo da atual temporada. A maioria deles chegou no início  do ano, mas a diretoria não deixou de fazer negociações sempre que tinha alguma possibilidade ou algum pedido de treinador. Foi assim que o atacante Deyverson chegou.

Contudo, poucos, bem poucos dos 14 reforços conseguiram se firmar e terminar 2017 em alta.

- DEFESA

Antonio Carlos: 9 jogos (6 como titular)
Foi o sétimo reforço palmeirense na temporada. O zagueiro veio da Ponte Preta indicado pelo técnico Eduardo Batista. Não chegou a ter atuações ruins, mas foi pouco aproveitado. O contrato dele é de empréstimo e terminará em 31 de dezembro. A tendência é que seja renovado por mais um ano.

Juninho: 22 jogos (22 como titular)
Com custo de cerca de R$ 10 milhões, o defensor chegou com grande esperança da diretoria. Foi titular e tinha como vantagem poder jogar na zaga e também na lateral, mas as falhas cometidas na reta final do Brasileiro ficaram marcadas e ele terminou 2017 (muito) contestado.

Luan: 21 jogos (18 como titular) e 1 gol
Palmeiras investiu R$ 10 milhões no defensor para tirá-lo do Vasco e ainda foi paciente para esperar que ele se recuperasse de uma cirurgia no pé direito. Chegou a ser titular durante uma fase da temporada e ganhou elogios. Depois teve uma queda. Foi um ano regular..

Mayke: 26 jogos (26 como titular) e 1 gol
Chegou em maio em uma troca que envolveu a ida de Rafael Marques para o Cruzeiro. Foi muito bem no início, mas depois passou a ter atuações irregulares. Terminou a temporada sem tanta confiança.

- MEIO DE CAMPO

Bruno Henrique: 17 jogos (17 como titular) e 2 gols
O clube investiu cerca de R$ 13 milhões e tinha grandes expectativas. Seu melhor momento foi com Cuca como técnico. Já com Alberto Valentim terminou a temporada sem muita expectativa. Caiu um pouco o desempenho do volante e não participou dos jogos finais.

Felipe Melo: 32 jogos (29 como titular) e 2 gols
O Palmeiras desembolsou R$ 8,4 milhões de luvas (segundo o GloboEsporte.com) para contratar o volante. Ele iniciou bem a temporada, mas tudo mudou após tomar um gancho por dar um soco em jogador do Peñarol. Perdeu espaço após a suspensão sofrida e com a chegada de Cuca. Depois foi afastado do time, quase foi negociado e só voltou a jogar no final do ano. É uma incógnita. Muitos torcedores gostam do estilo de Felipe Melo, que fala o que pensa e é provocador. Mas ele ainda está devendo regularidade.

Guerra: 38 jogos (31 como titular) e 7 gols
O venezuelano foi contratado por cerca de R$ 10 milhões  e foi o principal armador do Palmeiras em 2017. Poderia ter tido um ano ainda melhor não fossem seguidos desgastes físicos, que o tiraram de alguns jogos ou fizeram com que se apresentasse abaixo de seu potencial. Perdeu a vaga no time na reta final da temporada. Vale lembrar que ele também teve problema após o filho sofrer um afogamento.

Hyoran: 7 jogos e 1 gol
A revelação da Chapecoense foi contratada no final de 2016 (os valores não foram relevados), mas teve poucas chances de jogar. Muitos no clube o defenderam dizendo que o meia de 24 anos foi adquirido pensando no futuro.

Michel Bastos: 38 jogos (23 como titular) e 2 gols
Chegou cercado de expectativa, teve atuações boas, mas o final de temporada foi bem decepcionante. A torcida chegou a pegar no pé dele e pedir o afastamento do jogador (que atuou como meia e lateral em 2017). Tudo indica que não deve prosseguir no Palmeiras.

Raphael Veiga: 22 jogos (8 como titular) e 2 gols
Começou a temporada com atuações discretas, mas foi perdendo espaço e ficou quase esquecido. Quando entrou também não empolgou. Mas é jovem e a visão interna é que ele tem condições de se recuperar e se destacar.

- ATAQUE

Borja: 43 jogos (22 como titular) e 10 gols
A maior decepção para os palmeirenses foi o colombiano. O clube investiu R$ 33 milhões no artilheiro da Libertadores de 2016 e destaque do Atlético Nacional. Mas seguidas más atuações e gols incríveis perdidos fizeram com que virasse reserva. Até teve uma retomada nos últimos jogos do ano. Mas foi pouco.

Deyverson: 20 jogos (14 como titular) e 7 gols
Foi um pedido de Cuca e custou ao Palmeiras cerca de R$ 18,7 milhões, vindo do Alavés, da Espanha. O espírito de luta logo agradou aos torcedores, mas atuações irregulares e o fato de não ter sido um dos cobradores de pênalti na eliminação da Libertadores frente ao Barcelona-EQU o fizeram ser questionado. Terminou 2017 marcando gols, mas sob críticas de parte da torcida alviverde.

Keno: 54 jogos (28 como titular) e 11 gols
O final de ano foi muito bom, com assistências e gols. Mas o início do ano fez muito torcedor questionar o investimento de R$ 3 milhões. A dúvida é: qual Keno a torcida verá em 2018?

Willian: 53 jogos (41 como titular) e 17 gols
Foi o reforço que deu certo. Teve boas atuações, marcou gols decisivos e só não teve um ano melhor por conta de uma lesão muscular, em 19 de julho, o que o tirou de combate por quase um mês (inclusive do duelo de volta contra o Barcelona-EQU). Quando voltou fez apresentações boas e outras regulares. Ainda assim nada que maculasse a temporada dele

ELENCO DO FLAMENGO

- GOL

Diego Alves: 24 jogos (24 como titular) e 25 gols sofridos
Chegou para resolver a posição problema para o Flamengo em 2017. Foi um pedido da torcida rubro-negra. Chegou e já assumiu a posição de titular. Mas deu azar e se machucou na reta final da temporada, o que o fez perder as semifinais e as finais da Copa Sul-Americana. Mas, em campo, justificou o R$ 1 milhão investido.

- DEFESA

Renê: 34 jogos (28 como titular) e 6 gols
Vindo do Sport, o lateral esquerdo veio para ser reserva de Trauco. Custou R$ 3,2 milhões. Até chegou a brigar pelo posto de titular, mas as atuações dele foram bem discretas. Nada que tenha feito a torcida se empolgar.

Rhodolfo: 23 jogos (21 como titular)
O homem da defesa custou cerca de R$ 4 milhões aos cofres rubro-negros. Teve boas atuações, mas ficou marcado por ter perdido o controle ao cobrar Felipe Vizeu na partida contra o Corinthians, em novembro. Quase agrediu o companheiro de time.

Trauco: 53 jogos (52 como titular) e 4 gols
Primeiro reforço do Flamengo em 2017, o lateral teve um bom primeiro semestre. Mas atuações irregulares fizeram com que parte da torcida passasse a contestá-lo. Terminou a temporada criticado.

- MEIO DE CAMPO

Rômulo: 26 jogos (17 como titular) e 1 gol
Assim que chegou assumiu a posição de titular, mas más atuações fizeram o volante perder a vaga justamente para Márcio Araújo, nome que deveria ter colocado na reserva. O fato de não ter tido participação efetiva nas finais da Copa Sul-Americana é a prova de que terminou o ano em baixa.

Everton Ribeiro: 38 jogos (35 como titular) e 7 gols
O Flamengo investiu R$ 20 milhões para contratá-lo e eram muitos clubes interessados. O meia começou bem a temporada, mas acabou decepcionando na reta final do Brasileiro e da Copa Sul-Americana. Prova disso é que ficou no banco contra o Independiente e só entrou no segundo tempo, mas mesmo assim nada fez para justificar um voto de confiança. A torcida pegou no pé dele ao final do jogo no Maracanã (último jogo da temporada).

Conca: 3 jogos
Foram três jogos, mas que se somados dão apenas 27 minutos em campo. Ou seja, o argentino foi a maior decepção do Flamengo na temporada. Vale lembrar que ele já chegou com um problema de lesão. Ficou em tratamento e demorou quatro meses para ficar em forma. Foi liberado antes do segundo jogo da final.

- ATAQUE

Berrío: 46 jogos (24 como titular) e 6 gols
Mais um que teve altos e baixos e ficou aquém do R$ 11 milhões investidos pelo clube para contratá-lo junto ao Atlético Nacional, da Colômbia.

Geuvânio: 17 jogos (9 como titular) e 1 gol
Chegou emprestado pelo Tianjin Quanjian em julho, mas teve poucas chances e terminou o ano em baixa também.

O time alviverde não conquistou taça alguma, enquanto a equipe rubro-negra festejou apenas um Estadual.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget