Rimoli detona torcida do Flamengo: "Chegamos ao fundo do poço"

COSME RIMOLI: Basta inverter a situação.

Imaginar que o Flamengo estivesse para decidir o título da Copa Sul-Americana, em Buenos Aires. Primeiro, um grupo de vândalos do Independiente prepararia uma tocaia no Aeroporto Internacional de Ezeiza. Centenas estariam esperando o time brasileiro chegar para 'recepcionar' a delegação. Com palavrões, ameaças e, talvez até agressões aos jogadores e dirigentes. Felizmente, ninguém pôde conferir se a selvageria chegaria a tanto. O time brasileiro escapou do confronto por uma saída lateral do aeroporto.

Depois, na chegada do hotel, havia outros membros das organizadas do Independiente. Eles xingaram, provocaram. Mas foram contidos por seguranças, já que estavam em pequeno número. Mas o clima hostil é algo inacreditável.

Foto: Divulgação
Mesmo durante a tarde, rojões já são disparados ao redor do hotel. Tudo ensaiado para não deixar os brasileiros descansarem, já que treinariam à noite. E veio a hora do treinamento.

Reinaldo Rueda sabia da importância do último, do derradeiro treino. E pretendia afinar as cobranças de faltas. O posicionamento de seus defensores e atacantes nas bolas aéreas. E também decidir de vez os cobradores de penalidades. E a maneira com que cada um bateria em caso de o título chegar a esta dramática forma de decisão.

Evidente que este último treino seria fechado.

Ninguém poderia ter acesso.

Segredo valioso na preparação para a disputa do título.

Pois eis que um torcedor do Independiente, coloca um singelo drone no ar. Aproveitando a fraca iluminação do local do treinamento, por cinco minutos e 38 segundos, o treino de bola parada do Flamengo não é só filmado. Tem suas imagens retransmitidas pelo facebook. Para quem quiser assistir. Lógico que a Comissão Técnica do Independiente teria acesso a essas imagens.

Revoltados e indefesos, os jogadores e os membros da Comissão Técnica do time brasileiro passariam a chutar bolas em direção do drone, ao perceber a indecente espionagem. Um truque sujo nojento.

Mas haveria mais. Os vândalos argentinos que não conseguiram 'recepcionar' os flamenguistas em Ezeiza, se aglomeraram em frente ao hotel onde o clube iria se alojar. Alguns torcedores brasileiros abonados, conseguiram se hospedar no cinco estrelas. Os xingamentos, as provocações são inevitáveis. E os furiosos argentinos decidiriam invadir o hotel. O policiamento evita o que poderia ser uma briga selvagem no lobby.

Mas chegaria a noite. E um esquema furioso de rojões foi montado para evitar que os atletas do Flamengo dormissem. A própria imprensa argentina fica revoltada com a situação. E decide filmar a ação dos delinquentes. Só que jornalistas são agredidos, xingados. E lembrados que deveriam dar cobertura a essa estupidez. Porque se tratava de uma guerra contra os brasileiros. Diante das agressões, novas equipes decidem filmar tudo de longe para não apanhar.

Depois de horas de intenso foguetório, chega a inevitável decisão da Comissão Técnica.

O time teve de mudar de hotel durante a madrugada.

Vitória dos vândalos argentinos.

Como estariam os meios de comunicação brasileiros, se esta situação tivesse acontecido envolvendo o Flamengo? Seria manchete de todos os portais, rádios, televisões.

Mas foi ao contrário.

Vândalos das organizadas do Flamengo fizeram a baixaria.

Decidiram contribuir de forma criminosa na decisão da Sul-Americana.

Dar sua parcela de ajuda na busca do título internacional.

Afinal, faz 16 anos que o clube não conquista algo parecido.

É revoltante.

A desculpa é que, na Argentina, houve rojões.

E eles perturbaram o sono dos brasileiros.

Decidiram dar o troco muito pior.

Nós brasileiros chegamos ao fundo do poço.

Aprendemos o pior das competições sul-americanas.

A selvageria chegou a um nível inaceitável.

Não há o menor grau de esportividade.

Só que a revolta é pequena. Aqui, aceitamos de ruim como tudo como normal. O Brasil é a quarta nação mais corrupta do mundo, segundo o índice de corrupção do Fórum Econômico Mundial. O país está atrás apenas do Chade, da Bolívia e da Venezuela, que lidera o ranking. A corrupção é um dos elementos que a organização suíça inclui em seu índice anual de competitividade, baseado em uma pesquisa com 15.000 líderes empresariais de 141 economias do mundo.

As três perguntas feitas a esses executivos foram: "O quanto é comum o desvio de fundos públicos para empresas ou grupos?"; "Como qualifica a ética dos políticos?"; e "O quanto é comum o suborno por parte das empresas?" Em uma escala de um a sete, em que, quanto maior a nota, maior é a transparência, o Brasil recebeu 2,1, segundo análise publicada pela Business Insider.

O Brasil registrou 61,6 mil mortes violentas em 2016, de acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública divulgado no dia 30 de outubro. O número, que contabiliza latrocínios, homicídios e lesões seguidas de morte, representa um crescimento de 3,8% em comparação com 2015, sendo o maior patamar da história do país. Em média, foram contabilizados 7 assassinatos por hora. Com o crescimento do número de mortes intencionais, a taxa de homicídios no Brasil por 100 mil habitantes ficou em 29,9.

O Rio de Janeiro é o estado com maior número de vítimas (6,2 mil) e registrou o segundo maior crescimento na quantidade de casos, 24,3% em relação a 2015. Foram registrados 37,6 homicídios para cada 100 mil habitantes no estado.

Entre 2001 e 2015 houve neste país 786.870 homicídios, a enorme maioria (70%) causados por arma de fogo e contra jovens negros. Os números da violência no maior país da América Latina atingem dimensões ainda mais preocupantes ao se compararem com guerras internacionais deste século. Desde que começou o conflito sírio, em março de 2011, morreram 330.000 pessoas. A guerra de Iraque soma 268.000 mortes desde 2003. Brasil, com 210 milhões de habitantes, é o país que mais mata no século XXI.

Estudo da ONU crava. De dez assassinatos no Brasil, apenas um é solucionado. E o autor é preso. Nas grandes cidades, esse índice cresce assustadoramente. Curitiba tem um índice vergonhoso. De 23 homicídios, apenas um autor vai para a cadeia, em média. Ou seja, 22 ficam impunes.

A Lei do Saneamento Básico completou dez anos. O resultado é vergonhoso. Segundo os dados mais recentes do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), divulgados em janeiro deste ano e referentes a 2015, apenas 50,3% dos brasileiros têm acesso à coleta de esgoto, o que significa que mais de 100 milhões de pessoas utilizam medidas alternativas para lidar com os dejetos, seja através de uma fossa, seja jogando o esgoto diretamente em rios.

Há inúmeras outra mazelas básicas como a Educação, Saúde.

Mas o quadro já é significativo.

Só a chocante realidade que o país vive explica a apatia. É assustadora a calma, diante da selvageira dos vândalos, que dizem ser flamenguistas.

Apenas um país tão massacrado, violentado diariamente por seus governantes corruptos, dominado por facções criminosas, para aceitar tamanha deslealdade em uma decisão no futebol.

Vivemos a lei da selva.

E fingimos não enxergar...

Só a chocante realidade que o país vive explica a apatia. É assustadora a calma, diante da selvageira dos vândalos, que dizem ser flamenguistas.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget