10 desafios para Guerrero, do Flamengo, aos seus 34 anos

Aos 34 anos, Paolo Guerrero terá um desafio na Copa da Rússia: marcar pelo menos cinco gols para igualar a marca de Teófilo Cubillas.

DRIBLE DE CORPO: Impedido de jogar futebol até maio, o centroavante Paolo Guerrero completa neste 1º de janeiro 34 anos. Flagrado no exame antidoping após o empate por 0 x 0 com a Argentina em outubro, nas Eliminatórias para a Copa de 2018, o peruano ainda tenta absolvição total do castigo imposto pela Fifa para voltar a defender o Flamengo no início da temporada de 2018. Por enquanto, ele retornará a partir de 3 de maio. Hoje, a realidade é a seguinte: Guerrero está fora do Campeonato Carioca e dos quatro primeiros jogos do Flamengo na fase de grupos da Libertadores. Em tese, voltaria na quinta partida da competição continental. No Campeonato Brasileiro, disputará a Série A a partir da quarta rodada.

A seguir, o blog lista 10 desafios para Guerrero em 2018.

Foto: Gilvan de Souza
1. Voltar a jogar
O trio de advogados formado por Marcos Motta, Bichara Netto e Juan de Dios Crespo reduziu a pena de Guerrero pela metade, de um ano para seis meses, mas não se dá por satisfeito. O time está convicto de que conseguirá derrubar o castigo da Fifa completamente e projeta ver o cliente em campo novamente neste início de temporada com a camisa do Flamengo. O peruano testou positivo no exame antidoping após o jogo com a Argentina pelas Eliminatórias.

2. Recuperar a posição
Paolo Guerrero é indiscutivelmente o centroavante titular do Flamengo, mas não entra em campo desde outubro. Durante a ausência do camisa 9, o prata da casa Felipe Vizeu foi ao limite e conseguiu corresponder com gols decisivos na reta final da Copa Sul-Americana. A tendência é que continue reserva, mas o concorrente de Guerrero mostrou evolução.

3. Virar top 5
Sexto colocado na lista dos maiores artilheiros estrangeiros do Flamengo com 42 gols, Guerrero está a três gols de igualar os 45 ao argentino Agustin Valido para figurar no top 5. A tendência é que, em 2018, ele alcance também o britânico Sidney Pullen, que tem 47. Se voltar a jogar desde o início da temporada e fizer uma temporada espetacular, Guerrero pode tentar alcançar Petkovic (57). À frente do sérvio estão Benítez (76) e o recordista Doval (95).

4. Conquistar títulos nacionais
Em cinco temporadas no futebol brasileiro, Guerrero conquistou apenas duas taças de torneios do país, ambos estaduais: o Campeonato Paulista (2013) e o Carioca (2017). O centroavante ainda deve ao currículo uma conquista nacional como o Campeonato Brasileiro e/ou a Copa do Brasil, que deixou escapar no ano passado na final contra o Cruzeiro. O único título nacional do jogador é a Bundesliga nas temporadas de 2004/2005 e de 2005/2006.

5. Artilharia nacional
Paolo Guerrero jamais foi artilheiro de um campeonato nacional com as camisas do Bayern de Munique, do Hamburgo, do Corinthians e do Flamengo. Tem no currículo duas artilharias consecutivas na Copa América, em 2011 e em 2015, mas em torneios longos, ainda não. Em 2017, foi o artilheiro isolado do Campeonato Carioca com 10 gols.

6. Superar 2017
Apesar da suspensão devido ao caso de doping, Guerrero teve em números absolutos o melhor desempenho da carreira na última temporada ao marcar 20 gols em 40 partidas. O recorde pessoal eram 18 gols em 46 partidas pelo Corinthians em 2013. Ainda assim, a marca é questionável. Fred, por exemplo, fez 30 gols em 55 jogos pelo Atlético-MG em 2017. Bem menos badalado, Henrique Dourado anotou 32 ao longo do ano passado.

7. Quebrar tabu europeu
Paolo Guerrero é o maior artilheiro da história da seleção do Peru com 32 gols, mas o centroavante jamais balançou a rede de um adversário europeu com a camisa do seu país. Liberado pela Fifa para disputar a Copa da Rússia, o jogador terá pelo menos duas chances de quebrar o tabu no Mundial quando enfrentar a França e a Dinamarca. Ou antes, quando a seleção encarar algum sparring em amistoso no Velho Continente.

8. Libertadores
O desempenho de Guerrero na Copa Libertadores da América é muito discreto. Em três participações — duas pelo Corinthians e uma no Flamengo — contabiliza 10 gols, uma média de três bolas na rede por competição. Para você ter uma ideia, Luan, do Grêmio, que acaba de superar Guerrero no prêmio de Rei da América, fez oito em apenas uma edição do torneio na campanha do tricampeonato do tricolor gaúcho.

9. Aceitar redução salarial
O acordo de Paolo Guerrero com o Flamengo expira em 10 de agosto deste ano.  O debate continua aberto sobre o custo-benefício do jogador para o clube. O tempo de contrato e uma possível redução do salário serão os principais desafios da negociação. Estima-se que o salário atual de Guerrero no Flamengo seja de aproximadamente R$ 900 mil. A situação será difícil se o jogador fizer uma boa Copa do Mundo dois anos antes do vencimento do contrato.

10, A primeira (e única) Copa
Aos 34 anos, Paolo Guerrero terá um desafio na Copa da Rússia: marcar pelo menos cinco gols para igualar a marca de Teófilo Cubillas, maior artilheiro da seleção do Peru em uma única edição do Mundial. Ele marcou quatro vezes na histórica campanha de 1970, quando o país chegou às quartas de final e foi eliminado pelo timaço do Brasil. Cubillas é um dos maiores artilheiros da história das Copas, com 10 gols acumulados em 1970 e em 1978.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget