Copinha costuma revelar novos treinadores

DRIBLE DE CORPO: A Copa São Paulo de Futebol Júnior não revela apenas jogadores. O torneio de base mais badalado do país costuma alçar técnicos às categorias profissionais. As séries A e B do Campeonato Brasileiro têm pelo menos quatro treinadores que foram campeões da Copinha antes de assumirem elencos principais: Guto Ferreira (Bahia), Zé Ricardo (Vasco), Enderson Moreira (América-MG) e Claudinei Oliveira (Avaí). Sem contar Rogério Micale, que chegou a comandar o Atlético-MG no segundo semestre do ano passado, e o promissor Osmar Loss, auxiliar de Fabio Carille no Corinthians.

Guto Ferreira foi o responsável pelo título do Internacional na Copa São Paulo Júnior de 1998. Faz 20 anos. O time tinha como capitão o zagueiro pentacampeão mundial Lúcio, do Gama. De lá para cá, Guto Ferreira virou grife. Ganhou até o apelido de “Gordiola” e coleciona bons trabalhos.  No ano passado, brindou o Bahia com a conquista da Copa do Nordeste. No segundo semestre, ajudou o Internacional a retornar à primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Foto: Gilvan de Souza
Enderson Moreira comandou o Cruzeiro na conquista da Copinha de 2007. A Raposa derrotou o São Paulo nos pênaltis, por 6 x 5. Um dos destaques da equipe era o goleiro Rafael, além do meia-atacante Guilherme. Depois daquele título, o treinador trabalhou no Fluminense, Goiás, Grêmio, Santos, Atlético-PR e ganhou a Série B no ano passado pelo América-MG.

Rebaixado para a segunda divisão no ano passado, Claudinei Oliveira continua à frente do Avaí. Em 2013, faturou a Copinha pelo Santos. Neilton era o destaque do time. A conquista abriu caminho para o técnico comandar a equipe profissional e chamou a atenção de clubes de fora da Vila. Ele trabalhou no Goiás, Vitória, Paraná, Atlético-PR e mantém o emprego no Avaí desde 2016. Apesar do rebaixamento em 2017, a diretoria garantiu a permanência no emprego.

Zé Ricardo foi o mentor do tricampeonato do Flamengo em 2016. A equipe tinha o goleiro Thiago, o zagueiro Léo Duarte, o volante Ronaldo, os meias Lucas Paquetá e Matheus Sávio e o centroavante Felipe Vizeu. O bom trabalho rendeu vaga de auxiliar na comissão técnico de Muricy Ramalho. Com o pedido de demissão do treinador para o tratamento de uma doença, Zé Ricardo herdou o cargo e levou o rubro-negro ao terceiro lugar no Brasileirão. Demitido em agosto do ano passado, topou o desafio de reconstruir o Vasco e classificou o clube para a Libertadores.

Desempregado, Rogério Micale comandava o Figueirense na conquista da Copinha de 2008. Depois de levar o Brasil à inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016, teve uma rápida chance de comandar o time profissional do Atlético-MG.

Auxiliar de Fabio Carille no Corinthians, Osmar Loss deve seguir carreira solo em breve. Em 2013, conduziu o Internacional ao título do Campeonato Brasileiro Sub-20. Além disso, brindou o Timão com duas conquistas da Copinha nas edições de 2015 e de 2017.

Portanto, fique, sim, de olho nos moleques de São Paulo e Flamengo às 10h desta quinta-feira. Mas dê uma espiadinha nos trabalhos dos treinadores Mauricio Souza, o Mauricinho, do Flamengo, e André Jardine, do tricolor paulista. Afinal, o título da Copinha pode ser um bilhete premiado para que um dia desses, num desses encontros casuais, eles assumam o seu time do coração.

Zé Ricardo foi o mentor do tricampeonato do Flamengo em 2016. A equipe tinha o goleiro Thiago, o zagueiro Léo Duarte, o volante Ronaldo.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget