Flamengo vence Liga Sorocabana em dia de Marquinhos e Ramon

Coube ao ala Marquinhos e ao armador Ronald Ramon, que já tinham se destacado contra o Mogi, liderarem a equipe rumo ao nono triunfo em 11 jogos.

GLOBO ESPORTE: Como queria o técnico José Neto, o Flamengo aproveitou bem a sequência de quatro jogos seguidos que teve na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro. Vasco da Gama, Pinheiros, Mogi das Cruzes e agora, a Liga Sorocabana. Todos foram vítimas do Rubro-Negro. Diante da LSB nesta quinta-feira, o placar foi de 82 a 67, mantendo o time da Gávea na liderança e a invencibilidade como mandante. São seis vitórias e seis jogos. O jogo não foi fácil, mas os flamenguistas deslancharam no fim. Coube ao ala Marquinhos e ao armador Ronald Ramon, que já tinham se destacado contra o Mogi, liderarem a equipe rumo ao nono triunfo em 11 jogos.

- Fico feliz com a vitória do time, está de parabéns, vem evoluindo a cada jogo. Essas vitórias em casa lá na frente farão a diferença. Espero que a gente consiga seguir nesse ritmo e manter nosso objetivo de ficar entre os quatro - disse Marquinhos.

Foto: Divulgação
O ala foi o cestinha da partida, com 27 pontos, sua melhor pontuação nesta temporada do NBB. Ramon anotou 20 pontos. JP Batista, que sofreu um corte no supercílio e precisou tomar ponto durante o jogo, quase ficou com um duplo-duplo (10 pontos e 8 rebotes).

Assim como aconteceu contra o Pinheiros, o ala-armador Marcelinho Machado, de 42 anos, foi poupado devido a um problema na cervical. No jogo contra o Mogi das Cruzes, ele entrou a pedido da torcida rubro-negra e contribuiu apenas com uma assistência, mas não marcou pontos.

Pela Liga Sorocabana, Lucão se destacou com 20 pontos. Drudi também teve bom desempenho, com um duplo-duplo (10 pontos e 11 rebotes). Mas não foi o suficiente para evitar mais uma derrota da equipe paulista.

Com a vitória desta quinta, o Flamengo agora tem 81,8% de aproveitamento no NBB, abrindo vantagem para o vice-líder Mogi (76,9%). São nove vitórias em 11 partidas disputadas. O time volta à quadra no domingo, às 12h (de Brasília), contra o Basquete Cearense, fora de casa.

- A gente sabe que o NBB não tem jogo fácil, não tem jogo mole. Primeiro tempo foi muito duro, sofremos com rebote de ataque deles. Mas focamos no terceiro quarto e até o final do jogo para sair com a vitória. Ficamos fechados como time para a vitória acontecer. Eu acho que agora serão duas equipes muito difíceis, tenho certeza que serão dois jogos duros. São times que estão bem, não dá para dar mole. Tivemos a sequência boa em casa, e agora vamos buscar fora. São times bem físicos e vamos dar nosso máximo - disse Arthur Pecos.

A Liga Sorocabana, por sua vez, caiu para a lanterna da competição, agora com 15,4% de aproveitamento. São apenas duas vitórias em 13 partidas disputadas. A equipe tenta acabar com a sequência negativa na quarta-feira, às 20h, contra o Mogi, fora de casa.

O jogo

De bandeja, Marquinhos abriu para o Fla. Logo depois, o jogo ficou paralisado por um problema nos cronômetros. Os jogadores foram se aquecer. Ao todo, o duelo ficou 20 minutos parado, mas os dois relógios foram trocados, e ele reiniciou. A Liga Nacional de Basquete explicou que o comissário checa todo o equipamento e, se está tudo funcionando, ele dá ok no laudo. Se acontece isso durante o jogo, não há punição justamente por ter sido testado e aprovado antes. A punição somente ocorre se caso o comissário for testar antes e não estiver funcionando. As equipes precisam ter um aparelho reserva. O time da Gávea tinha três aparelhos e e puseram o terceiro, porque até o reserva deu problema. Ao menos, o Rubro-Negro estava preparado.

Na volta, Marquinhos roubou a bola e marcou. Na sequência, pontuou de novo. JP Batista deu um tapinho e ampliou após rebote. "Pegando fogo", o camisa 11 fez seu oitavo ponto. Cubillan abriu 12 a 4 para o Flamengo. A LSB começou a reação, e Brite e Crescenzi empataram em 12 a 12. Marquinhos deu troco em lance livre. Crescenzi, que entrou muito bem, contribuiu com um bom passe na sequência, e Drudi empatou de novo. Mais tarde, na ponte aérea com Cubillan, o ala rubro-negro ampliou seu número de pontos. Olivinha fez de três. Drudi, na bandeja, respondeu. Fim de papo na parcial: 19 a 16 para o Rubro-Negro.

O Flamengo voltou sem Marquinhos, grande destaque da primeira parcial com 12 pontos. O time ficou com Pilar, Humberto, JP Batista, Ronald Ramon e Arthur Pecos. Crescenzi voltou a aparecer bem pela Liga Sorocabana e marcou após linda ligação direta de Rafael Mineiro, voltando encostar no placar. No contra-ataque rápido, Cook fez para a LSB, mas Ramon respondeu duas vezes com bolas de três. Os visitantes encostaram com Drudi no garrafão em jogada rápida. O dominicano do Fla pontuou em dois lances livres. E, na enterrada, Lucão deu o troco. Neto pediu tempo. E ficou por isso mesmo. Alerta ligado no time da Gávea, que levou para o intervalo com 33 a 32 no placar.

O Rubro-Negro abriu o placar na terceira parcial em sobra de Olivinha no garrafão. Drudi, de três, deu o troco. A LSB passou a frente pela primeira vez. Mas o 11 do Fla fez seu 14º ponto e virou. JP Batista saiu sangrando após falta de Ferros. O pivô foi receber atendimento no vestiário. Pilar entrou e marcou duas vezes. Ferros, do time paulista, fez dois pontos e ainda ganhou lance de bonificação, comemorando muito, mas errou. Ramon fez o mesmo depois, mas acertou o ponto extra. Marquinhos voltou a pontuar. Cook, de três, empatou. Em seguida, por reclamação, o técnico da Liga Sorocabana levou falta técnica. Marquinhos converteu os três lances. O armador dominicano do Fla fez o mesmo. A parcial terminou 58 a 53 para a equipe da Gávea.

JP Batista, com um curativo, apareceu para o quarto final. A LSB abriu o placar com Jackson. Marquinhos, no garrafão, pontuou. O Fla abriu sete com Ramon, e o técnico rival pediu tempo. Mas o Flamengo era muito mais organizado e, com o apoio de sua torcida, cantando o tempo todo, enfim deslanchou na partida. Marquinhos voltou a ser decisivo dentro do garrafão. Arthur Pecos apareceu bom bola de três. E, aos poucos, o time da Gávea passou a ditar o ritmo. A aguerrida LSB dos outros quartos não conseguiu fazer frente. No fim, 82 a 67 para os rubro-negros.


Marcadores:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget