Olivinha quer título para coroar aposentadoria de Marcelinho

GARRAFÃO RUBRO-NEGRO: Por Rafael Rezende

A saída precoce na Liga Sul-Americana poderia afundar o Flamengo na temporada, mas não foi isso que aconteceu. Pelo contrário, fortaleceu. E a campanha no primeiro turno do NBB 10, com vitórias merecidas e atuações exemplares, sentencia o momento extraordinário. Não dava para esperar outra coisa de um time que está acostumado a vencer e tem a alcunha de 'Orgulho da Nação'. Nada é por acaso.

Essa reação tem alguns pilares, e um deles é xodó da torcida: Carlos Alexandre Rodrigues do Nascimento. Ou, simplesmente, Olivinha. Conhecido por sua entrega/raça dentro de quadra, o ala-pivô segurou o grupo, prometeu dias melhores e cumpriu. Nos quatorze jogos da fase inicial da competição, teve médias de 10.3 pontos, 7.3 rebotes e 13.7 de eficiência. Além disso, percebeu como poderia ajudar mais, e executou. Seu estilo, já aguerrido e brigador, ganhou a liderança como nova característica.

Foto: Staff Images, Flamengo
De olho em conquistar mais um título, o jogador abriu o coração em conversa com o GRN depois de um treino na Arena Carioca 1. Confira o bate papo exclusivo e inédito a seguir.

Avaliação do 'ano' e da melhora notável

"Nossa temporada, até aqui, está sendo muito boa. Nós tivemos um início meio conturbado, mas com a experiência da equipe, sabíamos que poderia acontecer esse tipo de coisa. Colocamos a cabeça no lugar, trabalhamos bastante e estamos na liderança do campeonato. É o nosso lugar. Sempre traçamos esse objetivo e conseguimos finalizar o primeiro turno assim. Conquistamos a meta primária e, agora, teremos todo o returno pela frente. Espero que a gente repita a campanha, ou até melhore. Queremos ter a vantagem nos playoffs."


Evolução com as derrotas dolorosas na LSA

"Sem dúvida nenhuma, a Liga Sul-Americana é página virada. Não podemos ficar remoendo o passado e temos que olhar pra frente sempre. Foi o que fizemos. A gente sabia que ia demorar para entrosar, até porque, ocorreu uma reformulação grande. Estamos em um momento muito melhor hoje. A nossa equipe deu liga com Cubillan e Rhett. Eles tiveram algumas dificuldades, mas cresceram bastante e ajudaram efetivamente nos últimos jogos. Todo mundo cresceu, existe uma química, e nós trabalhamos. A chegada do Varejão vai ajudar ainda mais nesse sentido. Vamos seguir a preparação, pois está dando certo."

Anderson Varejão

"É um jogador com bastante experiência. Já pude conviver com ele na Seleção, onde fomos campeões juntos em uma Copa América. Ele vai ajudar bastante na parte defensiva e na intensidade. Por ter uma envergadura gigantesca, será importante nos rebotes. É um cara que briga por todas as bolas. Ofensivamente, os adversários vão ficar preocupados. A carreira comprova o que estou dizendo, e torço para que o sucesso continue. Estamos felizes com a vinda dele, afinal, representa muita coisa para o basquete brasileiro. Tenho certeza que irá agregar e que vamos crescer dentro e fora de quadra."

O fim da carreira de Marcelinho Machado

"Eu já estou sofrendo também (risos). Voltei ao Flamengo há seis anos e são cinco com o Marcelinho sendo meu companheiro de quarto. A gente já viveu muita coisa e isso está chegando ao fim. Estou me doendo todo com essa última temporada dele, e quero agradecer por tudo que já foi feito. Teremos alguns meses pela frente, e vou curtir. Sentirei falta do Marcelo. Quero que ele reveja essa aposentadoria e jogue mais uma, porém, sei que é uma decisão que tomou com a família e é muito pessoal."

Arena Carioca 1 como 'carta na manga' do sucesso

"Em todos os jogos que atuamos na Arena, tivemos um público superior ao que tínhamos no Tijuca. A torcida comprou o nosso barulho. Contra o Botafogo, foram mais de duas mil pessoas, que nos ajudaram de forma impressionante. É fundamental. Que bom que a Nação está chegando junto, estamos vivendo uma boa fase, invictos dentro de casa. Sabemos que esse apoio facilita o trabalho, e espero, que, até o fim da temporada, se transforme em quatro, cinco ou seis mil. Vamos honrar o suporte do torcedor."

Conquista do NBB para reverenciar o brilho do camisa 4

"Eu não costumo pensar no futuro. É cedo para cogitar algo relacionado ao título. Sei que estamos bem na tabela, porém, tem muita coisa pra acontecer. Mas, se pudesse imaginar o melhor final de carreira pro Marcelinho e o cenário perfeito, seria conquistando outro NBB. E, com certeza, estarei chorando. Assim como na última vez, vamos ter outra foto daquela. Por tudo que ele já ganhou, nada mais justo que seja desse jeito, de preferência em casa, ao lado da torcida. Farei de tudo para que aconteça."

Expectativa para o returno

"Para a segunda parte, só quero que a gente consiga manter essa sequência boa que tivemos. Vencer é essencial para seguirmos adiante. Vamos trabalhar cada vez mais, sempre com intuito de melhorar alguma coisa que falhamos durante os jogos. Temos vários treinamentos pela frente para ajustar esses detalhes."

Não dava para esperar outra coisa de um time que está acostumado a vencer e tem a alcunha de 'Orgulho da Nação'. Nada é por acaso.



Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget