Por que campeões pelo Atlético Nacional não deram certo no Brasil?

GLOBO ESPORTE: Franco Armani; Bocanegra, Sánchez, Henríquez e Díaz; Sebastián Pérez, Mejía, Guerra, Marlos Moreno, Berrío e Copete.

Era esse o time base do Atlético Nacional em 2016. Comandado por Reinaldo Rueda, os colombianos sobraram na América do Sul e, com ajuda de gala de Borja, contratado durante a temporada, ficaram com o título da Libertadores.

O sucesso, como era de se esperar, chamou a atenção de vários clubes, principalmente do futebol brasileiro. Cinco nomes, entre eles o de Rueda, reforçaram Flamengo, Palmeiras e Santos, mas nenhum correspondeu às expectativas dos torcedores.

Foto: Divulgação
Marlos Moreno, talvez o grande expoente da equipe, foi contratado pelo Manchester City e emprestado ao Girona, da Espanha, onde teve poucas oportunidades. Hoje, é alvo do Flamengo, que espera anunciar seu primeiro reforço.

Caso venha para o Brasil, o jovem de 21 anos pode salvar a imagem da geração campeã do Atlético Nacional.

Veja como foi o desempenho dos jogadores no Brasil:

JONATHAN COPETE

NÚMEROS:
Jogos - 83
Titular - 67
Gols - 24
Vitórias - 44
Derrotas - 19
Empates - 20

O primeiro a desembarcar no Brasil foi Copete. Deixou a equipe colombiana até mesmo antes da conquista do título da Libertadores pelo "sonho de jogar num grande clube brasileiro". Hoje é o que menos decepcionou, mas passou longe de encantar.

- Fez a estreia no dia 29 de junho de 2016 e balançou a rede na derrota por 3 a 2 para o Grêmio. Foi presença constante entre os titulares de Dorival Júnior.
- Na temporada seguinte, porém, deixou de ser efetivo e, aos poucos, foi perdendo o prestígio da torcida e a posição no time. Flertou com o banco de reservas.
- Hoje está na mira do Atlético-MG, que já tem tudo acertado com o colombiano. Com contrato com o Peixe até junho de 2021, pode ir para Minas Gerais por empréstimo ou envolvido num troca de jogadores.

MIGUEL BORJA

NÚMEROS:
Jogos - 43
Titular - 22
Gols - 10
Vitórias - 24
Derrotas - 11
Empates - 8

Foi, talvez, a maior sensação da reta final da Libertadores. Contratado para suprir carências na semifinal da competição, Borja saiu do anonimato para virar carrasco do São Paulo. Fez os quatro gols nas duas vitórias dos colombianos (2 a 0 e 2 a 1). Terminou ainda com o gol do título, contra o Del Valle.

- Alexandre Mattos levou os torcedores à loucura com a contratação do atacante - chegou por US$ 10,5 milhões (R$ 32,7 milhões na cotação da época), a mais cara da história do clube.
- Estreou com gol na vitória por 4 a 1 contra a Ferroviária, pelo Paulistão. Porém, ficou mais marcado pelas várias chances perdidos do que pelo faro de artilheiro.
- Saiu do banco na maioria das oportunidades na temporada e mostrou pouco pelo valor investido.

ALEJANDRO GUERRA

NÚMEROS:
Jogos - 38
Titular - 31
Gols - 7
Vitórias - 20
Derrotas - 13
Empates - 5

As credenciais de Alejandro Guerra dispensavam apresentação. Terminou 2016 escolhido como melhor jogador da Libertadores da América, o que fez o venezuelano virar objeto de desejo de alguns clubes do continente.

- Ainda em dezembro de 2016, o Palmeiras "quebrou a web" com o anúncio do meia - contrato válido por 3 anos.
- Esteve em campo com certa regularidade, chamou a atenção pela qualidade com a bola no pé, mas passou longe do jogador que desequilibrava no Atlético Nacional.
- Terminou o ano como reserva, tendo algumas oportunidades com Alberto Valentim no decorrer das partidas.

ORLANDO BERRÍO

NÚMEROS:
Jogos - 46
Titular - 24
Gols - 6
Vitórias - 24
Derrotas - 8
Empates - 14

No dia 27 de janeiro, o Flamengo anunciou Berrío, que chegou com fome de título, pelo menos nas palavras. O jogador ganhou a vaga no Atlético Nacional no decorrer da Libertadores e virou xodó do torcedor colombiano.

- Estreou com gol diante do Grêmio, na vitória por 2 a 0 pela Copa da Primeira Liga. Prato cheio para a torcida rubro-negra.
- Muita força, velocidade "à la Bolt"... Nada que fizesse do colombiano titular incontestável do Flamengo com Zé Ricardo.
- Com Rueda, ganhou mais espaço, mesmo sem ser efetivo. Ficou marcado por belíssimo drible em Victor Luís na semifinal da Copa do Brasil.
- Terminou o ano de maneira melancólica, com uma lesão grave no joelho - serão cerca de 8 meses afastado dos gramados.

REINALDO RUEDA

NÚMEROS:
Jogos - 31
Vitórias - 13
Derrotas - 8
Empates - 10
Aproveitamento - 52,6%

Com experiência internacional em seleções e o título da Libertadores no currículo, Reinaldo Rueda chegou no Flamengo para arrumar a casa. O colombiano substituiu Zé Ricardo e encarou o desafio de comandar o clube mais popular do país.

- Logo de cara, dois jogos decisivos contra o Botafogo. Eliminou o rival na semifinal da Copa do Brasil.
- Deu nova cara para a equipe, aproveitou Cuéllar e Juan, mas viu a equipe oscilar em alguns momentos, principalmente no Brasileirão, sempre longe da briga na ponta.
- Passou por Chapecoense, Fluminense e Junior de Barranquilla na Sul-Americana.
- Levou dois golpes duros nas finais: na Copa do Brasil, caiu para o Cruzeiro, no Mineirão; na Sul-Americana, viu o Maracanã silenciar no empate que deu o título ao Independiente.
- A surpresa ficou para o fim: com a temporada encerrada, recebeu proposta da seleção chilena, virou novela e deixou o Flamengo.


Cinco nomes, entre eles o de Rueda, reforçaram Flamengo, Palmeiras e Santos, mas nenhum correspondeu às expectativas dos torcedores.


Postar um comentário

[facebook]

FlamengoResenha

{facebook#https://www.facebook.com/FlamengoSouRubroNegro} {twitter#https://twitter.com/FlamengoResenha} {google-plus#https://plus.google.com/u/0/107993712547525207446} {youtube#https://www.youtube.com/channel/UCiHkjDj2ljgIbiv_zUvdG6g/videos}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget